O helicóptero Mi-171A2 oferece longo alcance, o que é importante para um país com inúmeras áreas de difícil acesso como o Brasil.

A Russian Helicopters, parte da Rostec State Corporation, e a Agência Federal de Transporte Aéreo (Rosaviatsia) entregaram documentação técnica e operacional do helicóptero Mi-171A2 à Agência Nacional de Aviação Civil do Brasil. As autoridades brasileiras de aviação decidirão sobre a certificação do helicóptero para o mercado nacional com base em sua aplicação/operação.

“O Brasil é nosso parceiro de longa data e um dos principais países da América do Sul para a promoção de produtos de helicópteros russos”, disse o diretor geral da Russian Helicopters, Andrey Boginsky. “Os helicópteros Mi-171A1 operam com sucesso no país há mais de 10 anos, e tenho certeza de que o novo helicóptero em breve também terá a oportunidade de ganhar uma reputação positiva.

“A autoridade de certificação do Brasil está processando a documentação recebida no Mi-171A2. Considerando a experiência na certificação do helicóptero Mi-171A1, acho que esta situação será resolvida em pouco tempo”.

“Em vista da alta demanda do Brasil por helicópteros multipropósito de classe média, estamos trazendo para o mercado local uma nova máquina – moderna, espaçosa e confiável”, disse o diretor do grupo de aviação Rostec, Anatoly Serdyukov. “O helicóptero Mi-171A2 oferece longo alcance, o que é importante para um país com inúmeras áreas de difícil acesso. Pretendemos desenvolver o serviço de pós-venda como parte de uma parceria internacional para garantir a máxima vida operacional. ”

Em 2005, o helicóptero Mi-171A1 otimizado para as exigências dos operadores comerciais europeus e os regulamentos de aviação FAR-29 receberam aprovação para o certificado de tipo no Registro de Aviação do Brasil. Durante o seu desenvolvimento, foi dada especial atenção às questões de segurança. No mesmo ano, o primeiro helicóptero Mi-171A1 foi entregue ao Brasil.

MI-17A2 taxiando
MI-17A2 é um helicóptero médio avançado baseado no MI-17A1.

Em 2010, o helicóptero Mi-171A1, apresentado pela operadora Atlas Táxi Aéreo, venceu a concorrência de uma empresa estatal brasileira de petróleo e gás para realizar trabalhos aéreos na Amazônia devido às suas características positivas e relação preço / qualidade.

O sistema T-HUMS (sistema de monitoramento e diagnóstico a bordo) foi instalado no novo helicóptero Mi-171A1 pela primeira vez a pedido da empresa brasileira. Ele fornece monitoramento automático de uma grande variedade informações em tempo real, aumentando significativamente a segurança de voo.

Os helicópteros Mi-171A1 foram utilizados pela Atlas Táxi Aéreo em condições ambientais adversas para apoiar a perfuração da Petrobras nas florestas tropicais do Brasil, comprovaram suas melhores características. Em um ano de operação intensiva, um helicóptero, por exemplo, voou mais de 1.000 horas (uma média de 120 horas por mês), movimentando cerca de 600 toneladas de carga, principalmente equipamentos de perfuração.

O Mi-171A2 foi desenvolvido com base neste helicóptero, o resultado de uma modernização completa dos helicópteros Mi-8/17. Mais de 80 mudanças foram feitas no design do Mi-171A2. O helicóptero é equipado com motores VK-2500PS-03 (uma versão civil dos motores instalados nos helicópteros de combate Mi-28) com sistema de controle digital.

Uma das diferenças mais importantes entre o Mi-171A2 e os helicópteros da família Mi-8/17 é o novo sistema de transporte. O helicóptero tem um rotor de cauda em forma de X mais eficiente e um novo rotor principal com lâminas compostas integradas com um layout aerodinâmico melhorado.

Em agosto de 2017, o helicóptero recebeu um certificado Tipo A da Agência Federal de Transporte Aéreo da Rússia, que indica a implementação dos mais rigorosos requisitos de segurança para helicópteros civis.

Anúncios

8 COMENTÁRIOS

  1. Que venha também o Ansat, Mi 38 e Mi 26 , este ultimo seria muito útil…

      • Se não quisesse não teriam comprado Mi 171A1, disse no sentido de uso civil nao militar.. E tem muitas chances sim..

  2. É a mania de sempre…. transferir ideologia pros equipamentos

    coisa de gente doida….

  3. Eu Acho que o que interessa é se a máquina voa bem é cumpre as exigências estabelecidas pelo cliente. Não interessa de onde vem a máquina. Sendo boa é dando retorno é o que interessa. Quer ver vão falar de pós venda!

Comments are closed.