Em maio de 1969 a Royal Navy (RN) e a Royal Air Force (RAF) realizaram uma saudável competição aérea entre Londres-Nova York para comemorar os 50 anos da primeira travessia aérea do Atlântico sem parada.

Enquanto o Phantom decolou e pousou numa pista, o Harrier foi um espetáculo a parte, arrastando multidões nos dois lados do Atlântico e sendo então reconhecido pelo público em geral

A competição foi patrocinada pelo Daily Mail, o mesmo que agraciou o Capitão John Alcock e o Tenente Arthur Whitten Brown com £10 mil quando eles realizaram a primeira travessia aérea ininterrupta do Atlântico. Alcock e Brown decolaram de Lester’s Field, perto de St. Johns, Newfoundland, em 14 de junho de 1919, e aterrissaram em 15 de junho de 1919, em Clifden, na Irlanda. O tempo de travessia foi de dezesseis horas, vinte e sete minutos.

Entre 4 e 11 de maio de 1969, os competidores foram obrigados a viajar entre o topo da Torre dos Correios, em Londres, até o topo do Empire State Building, em Nova York, em qualquer direção. Eles poderiam fazer uso de qualquer tipo ou número de transporte, desde que atravessassem o Atlântico por via aérea.

A RAF usou o Harrier GR.1 XV741, tendo nos controles o Líder de Esquadrão Tom Lecky-Thompson. O voo envolveu quatro reabastecimentos aéreos com aviões-tanque Handle Page Victor K1 e levou, até o pouso, exatos 6 horas, 11 minutos e 57 segundos.

O RN competiu com um F-4K Phantom, que também foram reabastecidos pelos K1, registrando um tempo de voo recorde de 4 horas, 46 minutos e 57 segundos. A equipe da Marinha Real sagrou-se campeã, recebendo um prêmio de £6 mil.

1 COMENTÁRIO

  1. adoro o F-4 Phanton avião top um dos melhores ja construido e mesmo sendo dos anos 60 ainda é usado por muitas forças aereas de ponta ao redor do mundo como a força aerea Grega e a Japonesa sem duvidas o Phanton é muito melhor que o MIG-21 adoraria ver a F.A.B operando o F-4