O sistema escolhido permitirá a redução de horas de voo nas unidades de conversão operacional em aviões de combate de primeira linha, gerando economia de recursos para a Força e melhor preparação dos alunos. Foto: Robert White.

O Conselho de Ministros da Espanha concordou em modificar os limites estabelecidos na Lei Orçamental Geral 47/2003 para aumentar as despesas, a fim de permitir que o Ministério da Defesa realize a aquisição de uma nova aeronave de treinamento para a Academia Geral do Ar.

O Ministério da Defesa Espanhol pretende realizar a substituição do treinador CASA C-101 Mirlo do Ejército del Aire (Força Aérea Espanhola). Para isso, estima que serão necessários cerca de 225 milhões de euros neste programa. Atualmente este avião é o responsável pelo treinamento básico de novos alunos no curso de formação de pilotos da Força.

A modernização do ensino de voo permitirá adaptação do treinamento dos alunos da Academia Geral do Ar às novas tecnologias, já empregadas em outras Forças Aéreas, tanto para a geração presente e futura, satisfazendo os requisitos de formação superior e adequada de um Sistema Ensino Integrado (‘Integrated Training System’ – ITS), mais eficiente e melhor orientado para o emprego de tecnologias do que a atual.

As aeronaves C-101 utilizadas na formação básica dos novos pilotos serão retiradas de serviço de forma escalonada entre 2021 e 2027.

A estimativa do montante de recursos necessários para este programa é de 225.000.000 de Euros com o seguinte investimento por período:

Valor por ano
2020 – 75.000.000
2021 – 75.000.000
2022 – 75.000.000
Total – 225.000.000


FONTE: defensa.com, edição CAVOK

3 COMENTÁRIOS