No dia 2 de março de 1969, 51 anos atrás, o sonho de viagens supersônicas começou a virar realidade, quando o Concorde deixou seu hangar e ganhou os céus pela primeira vez.

O primeiro voo de teste partiu da pista 33 no aeroporto de Toulouse-Blagnac, em Toulouse, França. O voo foi restrito a apenas 28 minutos, com velocidades de até 430 quilômetros por hora, e “foi tão perfeito quanto esperávamos”, observou o piloto chefe de testes, Andre Turcat.

Na cabine de comando estavam André Édouard Marcel Turcat, Henri Perrier, Michel Retif e Jacques Guinard. Durante o voo, o “nariz caído” e o trem de pouso permaneceram abaixados.

Os espectadores do primeiro voo ficaram admirados quando os quatro motores Rolls-Royce / Snecma Olympus 593 começaram a rugir e o jato supersônico subiu aos céus, com a difícil missão de definir um capítulo na história da aviação. Afinal, como o voo de teste foi adiado várias vezes e com os custos de desenvolvimento disparados dos inicialmente esperados US$ 500 milhões para mais de US$ 2 bilhões, o romantismo do Concorde começou a desaparecer.

Foram feitos dois protótipos do Concorde. A francesa Aerospatiale fabricou o primeiro e a British Aerospace Corporation construiu o Concorde 002, seguidos por duas aeronaves de desenvolvimento de pré-produção e dezesseis aviões de produção.

Até a primeira decolagem do Concorde francês, prefixo F-WTSS, foi adiada em 1969. Inicialmente, os fabricantes do jato supersônico planejavam o primeiro voo para 28 de fevereiro. Mas o o atraso não estava relacionado ao avião supersônico: o clima teria sido a questão principal.

No entanto, apesar de estar mais de um ano atrasado em relação ao cronograma original, o Concorde iniciou sua campanha de teste de quase sete anos, o que acabaria resultando no primeiro voo comercial apenas em 1976.

O Concorde 001 fez 397 voos durante os testes de voo. Acumulou um total de 812 horas, 19 minutos de tempo de voo, das quais 254 horas e 49 minutos eram supersônicas.

O primeiro supersônico britânico, registrado G-BSST (o segundo exemplar fabricado), iniciou sua campanha de teste um mês depois e voou pela primeira vez no dia 9 de abril de 1969. Dois dias antes, enquanto realizava testes de táxi em Bristol, no Reino Unido, o G-BSST estourou um de seus pneus: uma re-ocorrência regular ao longo da história operacional da Concorde, que acabou levando ao desastre fatal em Paris, no dia 25 de julho de 2000.

Primeiro voo do Concorde 002 no Reino Unido.

Concorde foi uma verdadeira maravilha tecnológica. No entanto, o sonho supersônico terminou em 2000, quando o voo 4590 da Air France caiu nos arredores de Paris.

Enquanto os dois aviões de teste nunca entraram em serviço comercial, o F-WTSS e o G-BSST estão preservados em Paris-Le Bourget, França (LBG) e na RNAS Yeovilton, Reino Unido (YEO), respectivamente.

Os Concordes de produção foram certificadas para uma velocidade operacional máxima de cruzeiro de Mach 2.04 e uma altitude operacional máxima de 60.000 pés (18.288 metros). O alcance máximo de 3.900 milhas náuticas (7.223 quilômetros).

Anúncios

4 COMENTÁRIOS