Facebook Twitter Gplus Flickr Pinterest LinkedIn YouTube E-mail RSS
magnify

Embraer

Home Militar França espera selar acordo de venda do Rafale para os Emirados Árabes Unidos em abril
formats

França espera selar acordo de venda do Rafale para os Emirados Árabes Unidos em abril

Publicado em 03/02/2012 por em Militar

O acordo de venda do caça francês Rafale com os Emirados Árabes Unidos vem se desenrolando a quase 4 anos. (Foto: Dassault Aviation)

A França poderá selar um acordo há muito esperado com a Dassault para vender pelo menos 60 caças Rafale para os Emirados Árabes Unidos em abril, virando o que parecia ser uma causa perdida, disse o jornal francês La Tribune nesta quinta-feira.

O jato fabricado na França surgiu nessa terça-feira como licitante preferencial numa competição de US$ 15 bilhões para fornecer 126 aviões de combate a Índia, levantando esperanças de uma venda que iria aumentar o orgulho nacional francês e restaurar o brilho do seu setor de aviação.

Citando fontes não identificadas, o jornal disse em seu site que o presidente Nicolas Sarkozy irá para os Emirados Árabes Unidos em março ou início de abril, quando o contrato estiver suscetível de ser finalizado.

O acordo, potencialmente avaliado em US$ 10 bilhões está sendo trabalhado desde 2008, mas foi posto em dúvida em novembro, quando o quarto maior exportador de petróleo do mundo disse que os termos propostos eram “não competitivos e impraticáveis.” Ele pediu detalhes de uma aeronave rival, o Typhoon, fabricado pelo consórcio Eurofighter.

“Tudo foi desbloqueado (entre os Emirados Árabes Unidos e a Dassault),” disse uma fonte não identificada ao jornal La Tribune.

Uma fonte do governo francês disse à Reuters que Paris estava à espera de ouvir os Emirados este mês. A Dassault e o Ministério da Defesa da França não quiseram comentar.

Sarkozy marcou um ponto comercial com o anúncio desta semana em que os anos de lobbying haviam empurrado a Índia mais perto de comprar o Rafale e vai tentar obter ganhos políticos antes da eleição presidencial de abril, em que ele está ficando para trás nas pesquisas com o candidato rival socialista, François Hollande.

Os Emirados Árabes Unidos tem pressionado para os motores da aeronave serem atualizados com empuxo extra e para um melhor radar, disseram fontes da indústria.

O La Tribune disse que havia alguns detalhes técnicos ainda a serem resolvidos, mas que eles eram fáceis de resolver. Ele acrescentou que, como parte do acordo, Paris levaria de volta os existentes caças Mirage 2000 dos Emirados, também fabricados pela Dassault.

Falando após o anúncio da Índia, o Ministro da Defesa francês Gerard Longuet insinuou que poderia haver mais acordos futuros.

“Boas notícias são como preocupações, elas voam em esquadrões”, disse ele. “Esse (acordo) é o início de um esquadrão de boas notícias.”

Uma vitória francesa nos Emirados Árabes Unidos também poderia levar a novos contratos na região árabe do Golfo, que compartilha a preocupação do Ocidente de que o Irã esteja usando seu programa de energia nuclear para desenvolver armas, uma acusação que Teerã nega. A Arábia Saudita assinou um contrato de armas com os EUA no valor de quase US$ 60 bilhões no ano passado.

O Catar, um aliado próximo da França, disse no ano passado que queria substituir sua frota de caças Mirage em 2012, e possivelmente compraria entre 24 a 36 unidades do Rafale. O Kuwait, em 2010, disse que também está considerando a compra de caças Rafale para substituir sua frota de antigos caças Mirage.

De acordo com analistas, os países do Golfo estão olhando para ter o mesmo avião por razões de interoperabilidade, bem como diferenciando-se do maior poder militar do Golfo, a Arábia Saudita, que usa caças norte amricanos F-15 fabricados pela Boeing.

“Meu desejo é que os Emirados Árabes Unidos tomem uma decisão que permita que os dois vizinhos que desejam interoperabilidade com ele possam tomar as suas decisões”, disse Longuet em janeiro, quando perguntado sobre potenciais contratos no Catar e no Kuwait.

“Se eles tem a sensação de ausência de uma decisão, eles vão procurar noutro lado. Por enquanto eles estão interessados, mas eles só vão decidir realmente se o primeiro fizer o pedido.”

Fonte: Reuters – Tradução e Adaptação do Texto: Cavok

 

43 Respostas

  1. Wolfpack

    Para tudo, olha esta foto de cartão postal?

    Demais!

    [ ]s

  2. Wolfpack

    Quanto a nota! É um texto que fala muito e não diz nada :(

    De intenções o Inferno está cheio delas :)

    Fatos reais mesmo somente o fato dos homens de bata e turbante estarem estressados com o Irã ao lado louquinho pra fazer M…

    Quero só ver se Israel adiantar o relógio, o que vai acontecer na França e Estados Unidos em ano eleitoral. Sai de baixo, e ambos estão no meio de um furacão econômico.

    [ ]s

  3. Giordani RS

    Será muita irônia por parte dos Deuses do Olímpo, o Rafale desencantar…em duas vendas, mais de 200 aparelhos! E mais os duzentos e pouco da AdLA, quase 500! Mas ironia mesmo sería a RN de Rafale!!!! Aí é para "alguém cometer harakiri com sabre de luz!!!! Hehehehehe…

    • Manuel

      Não duvido nada…No futebol, o difícil é o primeiro gol, e no caso da venda dos Rafales será o mesmo. Acho que tanto nos EAU e no Brasil essas vendas são quase certas. E se isso se concretizar, não duvido de que o rafale seja o caça francês de mais sucesso em termo de vendas…O Brasil deve expandir suas compras com o passar do tempo para 120 aeronaves, os EAU deve seguir o mesmo raciocínio e por aí vai. A Índia deve querer padronizar sua força aérea com 4 aeronaves (Tejas, Rafale, Su-30 E PAK FA)e portanto a quantidade de aeronaves de cada modelo tem q ser aumentada. E quem sabe até a Marinha indiana prefira o Rafale M para os futuros PAs.

    • wadijo

      Harakiri com sabre de luz ? Hum ………. Quem sera'?
      Ah, ja' sei, deve ser o Yoda, com inveja das orelhas do Dr. Spock !!! Heheheheheeh

  4. F20A - Tigershark

    Lindissima foto!

    Se a venda sair será ótimo para a competição comercial, pois assim uma fábrica e suas pesquisas se salvarão e fornecerão mais lenha na aguerrida guerra de competição de competências pelo mundo. Muito bom se a Dassault se safar da quebra. Parabens lacaios da dassault!

  5. stalkersdl

    mas o berço esplêndido ainda iberna por causa de seus mandatários entreguistas.

  6. luiz

    uma maquina dessas não podia ficar sem vendas…um brinde à engenharia rsrsrsr…parabéns a Dassault e isso será bom para o FX forever sem dúvidas…ou serão Mirages Tampões? veremos

  7. HMS TIRELESS

    O potencial problema para a Dassault é se os EUA entrarem de sola na área, oferecendo caças F-15,F-16 e F/A-18E/F, via FMS e com prazos curtos de entrega. Uma vez que a galera ali anda altamente nervosa com os rompantes de loucura de Teerã, e receosa do gatilho nervoso de Telavive, a coisa pode enrolar.

    • Giordani RS

      O problema do FMS é que o equipamento é baratinho, baratinho, mas o resto é dar a Alma pro Diabo, como a FAB e a Embraer descobriram…

      • HMS TIRELESS

        ISrael compra via FMS há 40 anos e nesse intervalo já venceu duas guerras, muitas batalhas e derrubou inúmeros caças inimigos. Então creio que esse tal "perigo"de "entregar a alma ao diabo" é absolutamente relativo

        • Galileu

          Dinhero não é pobrema cumpanhero, olha que espetáculo que é nossa economia… ahahaha

        • HMS, isso é fato: equipamento americano e francês, na sua grande maioria, são "topo de linha", juntando isso ao pragmatismo Israelense em defesa e os resultado todos sabemos, porém não se deve esquecer que Israel é praticamente um estado americano além mar, um país que reza a cartilha americana em qualquer situação macro. Os USA vendem equipamento à Turquia, mas não faria o que fez e faz pela mesma, caso esta se meta em alguma confusão lá pelas bandar orientais… esta é uma diferença que deve ser bem considerada! ou seja, precisa estar muito bem alinhado com os USA para poder contar com este ou com a indiferença desta em atos de guerra, senão…. prepara a cabeça!

          • Saci

            Francisco, por favor sem xingamentos.

            O problema do Rafale é não ter um sistema parecido com o FMS. Se a França tivesse um sistema parecido, o Rafale hoje teria uma boa cartela de clientes. Mesmo um país comprando 300 aviões Rafale, ele terá tendo apenas um comprador. Isso reflete no custo porque se um só comprador usa um modelo de avião, ele fica atrelado ao uso do mesmo na França.

            A EMBRAER vendeu muito avião porque são muitos operadores e isso cria toda uma logística que no final acaba barateando o custo para todos que o usam. Quando o F-16 foi lançado, ele tinha um custo de voo que foi tema de debate no congresso americano. No final dos anos 80, esse preço tinha caído muito e hoje é um dos aviões mais baratos de manter, mesmo contando com aviônica no estado da arte.

            Vocês falam de alinhamento aos EUA, mas se esquecem da guerra da Lagosta em 1963. Naquela época, a França mandou navios militares próximo a nossa costa.

            Como confiar num país desses que por uma disputa banal pesqueira mandou navios militares? Ou como confiar na França que um mês antes tinha Gadafi no colo e depois passou a caçá-lo? E nas Malvinas que passaram toda a informação necessária dos Exocets para os ingleses?

            A verdade é que não tem santo nessa igreja não. Independente de qual avião for, ele continuará voando.

            • E Saci bem informado… (risos)

              E lembrando dessa tal Guerra das Lagostas a qual nem mesmo um tiro foi dado, lembro ao colega como são confiáveis esses norte-americanos:
              "Na época, o Departamento de Estado americano enviou mensagem ao Brasil lembrando que nossos navios de guerra – na época arrendados aos Estados Unidos – por contrato não poderiam se envolver em conflito com países amigos dos norte-americanos. Ordenava por isso que eles voltassem imediatamente às suas bases."
              "O Brasil recusou-se a atender ao pedido americano, mencionando o Tratado Interamericano de Assistência Recíproca (TIAR)"
              http://www.revistadehistoria.com.br/secao/artigos

              Quanto aos tais códigos do EXOCET devo lembra-lo que mesmo que tenham sido repassados ainda assim todos os misseis argentinos atingiram seus alvos.

            • Saci, me mostre um "xingamento" meu, pode ser? caso contrário pare de falar estas bobagens, atente-se a interpretar corretamente o que escrevo! ser ácido, ríspido, sarcas, irônico, indelicado é diferente de ser um "insultador"! aprenda isso de uma vez por todas!
              de resto, só falou mais do mesmo, da cartilha dos "americanistas"… dos fãn-boys…

          • wadijo

            Amigo AMX,

            nao vou perder a oportunidade (rarissima) de discordar de voce.

            Israel nao e' um estado americano. Usamericanus e' que sao estado de Israel.

            O mundo e' dos Goldstein, Bernstein, Rubenstein e, porque nao, FRANKESTEIN (um mitico monstro judeu !!!).

            O Symon conhece bem essa parada !!

            Abraco especial e congratulacoes pela vitoria do Rafale !!

  8. Rafael Bergler

    Chega de tampões… chega de sempre querer usar o ''jeitinho brasileiro'' pra arrumar as coisas…

    Que venha o próximo vetor da FAB, com condições de nos defender de igual para igual com qualquer possível ameaça(que nunca chegue esse dia).

    Qualquer aeronave de 1ºlinha seria bem vinda(minha preferência é pelo Rafale) a essa altura do campeonato.

    –Linda foto–

    • Giordani RS

      Tá bom…no dia em que o campeonato brasileiro for sério…a cada dia que passa, mais me convenço que o nelson jobim tinha razão: "É demais pra nós…"

      O brasil para os brasileiros!

  9. Gilberto Rezende - R

    Foto do mestre fotográfico japonês Katsuhiko TOKUNAGA.

    Se esta venda para os EAU sair antes do Brasil parar com a bobagem e resolver logo o FX-2 vai ficar ainda mais difícil receber rapidamente as primeiras unidades…

    Pois, a princípio, para os EAU serão todas produzidas na França ocupando a linha de produção francesa junto com as encomendas locais.

    Quem vier depois vai ter que esperar por uma improvável expansão da linha de produção ou a disposição dos franceses/indianos/EAU cederem oportunidades na linha de produção.

    QUEM DIRIA…

  10. F-20A - Tigershark

    Gardenal…

    Tá por fora agora usam DEPAKENE que é muito do moderno. Já prá ressaca de Merlot via França nada melhor que muito água mineral da Fonte Ijuí.

  11. F-20A - Tigershark

    Rafale a Fenix da Flor de Liz (s)! Este renascimento deve ter alguma causa ainda secreta! Ou é subsidio francês ou vão transferir toda a produção para a Índia, ou com muita sorte para Guiana Francesa, que é propriedade destes colonialistas até os dias de hoje, poderia num golpe de sorte vir para São José dos Campos ou adjacências..

  12. Wolfpack

    Sabe o que eu quero? é ver o Rafale na FAB e depois um livro do Rudnei e do Casella:´"Já te atendo tchê!"

    [ ]s

  13. goulart7-Porto Alegr

    Para muitos que falam bobagens e mais Bobagens sem nenhum fundamento e fanatismo por esse ou por aquele caça, eu quero dizer o seguinte: A Dassault Aviation France, não foi que veio oferecer o Caça Rafale para os "Srs. Bresiliéns" e sim o governo do Brasil que pediu pra França o Rafale ser um dos concorrentes no PROJETO FX-3 atualmente FX-2 ,e nunca a França nem a Dassault disseram que iam fechar as portas da Dassaut por não vender um aviao Rafale que fosse ao Brasil isso é uma grande piada quem pensa isso, que a Dassault dependesse a existencia dela por não vender o Rafale para o Brasil ou de outro pais como India, Arabia, ou fosse lam quem fosse. Pois a França sempre se envolveu com inimigos do Sul do Norte do Leste e do Oeste, principalmente do Oeste (Russos) os mais perigosos de todos. E O governo Frances pediu para a Dassault que fizesse esse GENIAL CAÇA O RAFALE, para Defender o SOLO DA FRANÇA. E não pensando em concorrencia com esse ou aquele pais, simplesmente para defender o POVO DA fRANÇA, pois a França sim ela sempre teve que lutar em todas as frentes. e a respeito da suposta 'GUERRA DA LAGOSTA ENTRE O BRASIL E A FRANÇA" isso so se deu na cabeça dos famosos reporteres da imprensa brasileira, pois a França so mandou os navios de guerra para se numa eventual ataque da Marinha do brasil contra os barcos pesqueiros Franceses. Sds.

Você deve estar logado para postar um comentário.