Facebook Twitter Gplus Flickr Pinterest LinkedIn YouTube E-mail RSS
magnify

Embraer

Home Militar IMAGENS: Caças Tornado da RAF mostram seu valor no Afeganistão
formats

IMAGENS: Caças Tornado da RAF mostram seu valor no Afeganistão

PANAVIA Tornado GR4 da Royal Air Force. (Foto: Staff Sgt. Aaron Allmon II)

Os caças Tornado da base da RAF (Royal Air Force) de Marham, em Norfolk, mostraram sua tecnologia mais recente, a qual está sendo usada no Afeganistão para apoiar as forças terrestres nas campanhas de contra insurgência e busca de equipamentos explosivos improvisados (IED), durante um evento para jornalistas no dia 26 de janeiro, dias depois do retorno das aeronaves Tornado GR4 do Afeganistão.

Esquadrão 12 da RAF e os caças Tornado GR4, no aeródromo de Kandahar.

Essa capacidade de vigilância e inteligência da mais alta categoria, juntamente com sofisticados armamentos, atualmente está sendo utilizado na linha de frente do Afeganistão pelos velozes jatos Tornado GR4.

A Força Tornado tem estado patrulhando os céus sobre o Afeganistão no apoio a Operação HERRICK desde que assumiu as missões da Força Harrier em maio de 2009.

Protegido embaixo de um hangarete, um Tornado GR4 da RAF aguarda "na sombra" para mais uma missão no Afeganistão.

A capacidade sofisticada dos caças Tornado e suas tecnologias de vigilância tem sido a chave do sucesso das forças internacionais e do Reino Unido para evitar ataques de morteiros.

Seus sistemas de inteligência também estão sendo usados para procurar por dispositivos explosivos improvisados, os quais são a maior ameaça para as equipes no solo.

O Esquadrão 31, que fazia parte da Força Tornado, retornou para o Reino Unido no início de janeiro de 2010 depois de três meses de operações no Afeganistão.

O Esquadrão 31 conduziu cerca de 400 surtidas, sendo que 25% dessas envolveram tropas em contato com insurgentes.

Tornado GR4 da RAF taxia para mais uma missão nos céus sobre o Afeganistão.

O Tenente ‘Jules’ Fleming comenta: “Na minha primeira surtida no teatro de operações nós estávamos voando por apenas cinco minutos quando nos chamaram para apoiar as tropas. Eles estavam sob artilharia inimiga. Quando eles estão sob ataque você pode ouvir no rádio os rapazes correndo. Você precisar fazer o melhor para ajudá-los. Se eles ficarem sob fogo novamente, nós podemos ajudá-los direcionando um helicóptero Apache para providenciar ajuda”.

Fonte: Ministério da Defesa (MoD) do Reino Unido – Tradução e Adaptação do texto: Cavok

 

Você deve estar logado para postar um comentário.