Facebook Twitter Gplus Flickr Pinterest LinkedIn YouTube E-mail RSS
magnify

Embraer

Home Militar Treinamento dos pilotos dos F-35A vai começar em janeiro de 2013 em Eglin
formats

Treinamento dos pilotos dos F-35A vai começar em janeiro de 2013 em Eglin

Publicado em 19/12/2012 por em Militar
Os pilotos e mantenedores dos F-35A vão iniciar o treinamento nos caças em janeiro de 2013. (Foto: Lockheed Martin)

Os pilotos e mantenedores dos F-35A vão iniciar o treinamento nos caças em janeiro de 2013. (Foto: Lockheed Martin)

Após uma avaliação independente da capacidade de Eglin para conduzir o treinamento de pilotos nos caças F-35A Lightning II, o Comando de Educação e Treinamento Aéreo (AETC – Air Education and Training Command) da Força Aérea dos EUA anunciou no dia 17 de dezembro que a 33ª Ala de Caça pode realizar a tarefa a partir de janeiro de 2013.

“Os resultados preliminares fornecidos pela equipe conjunta de teste operacional (Joint Operational Test Team) mostram que a aeronave F-35A e seu treinamento de pilotos e manutenção dos sistemas, são robustos o suficiente para conduzir a transição planejada de pilotos e os cursos de atualização dos instrutores”, disse o comandante do AETC, o general Edward A. Rice Jr.

O AETC vai iniciar a formação curricular, a fim de atender aos requisitos definidos pela Força Aérea dos EUA. Um processo deliberado será utilizado, que continua a validar a eficácia do sistema avançado de formação nos blocos enquanto eles estão sendo disponibilizados pelo pessoal do gabinete do programa F-35, pelos militares da USAF e Lockheed Martin.

A Avaliação de Utilidade Operacional (OUE – Operational Utility Evaluation), que começou no dia 10 de setembro e estava prevista para durar 65 dias, abrangeu os cursos em sala de aula e o intensivo treinamento de simulador junto com seis voos, por quatro primários e dois pilotos estudantes em conversão.

Até o momento, todo treinamento serviu para avaliar a aeronave e criar o programa de treinamento. (Foto: U.S. Air Force)

Até o momento, todo treinamento serviu para avaliar a aeronave e criar o programa de treinamento. (Foto: U.S. Air Force)

Com as condições favoráveis que incluíram “bom tempo, uma realizada equipe de manutenção e instrutores talentosos para treinar os pilotos, o processo OUE durou apenas 46 dias de treinamento”, disse o coronel Andrew Toth, comandante da 33ª Ala de Caça, um piloto instrutor de F-35A que lidera os esforços conjuntos e internacionais do programa F-35 em Eglin.

“Você está aqui deixando uma marca duradoura em como a equipe irá executar o treinamento do F-35 tanto em vôo como no treinamento de manutenção ao longo dos próximos 50 anos”, disse ele durante um discurso para os membros da ala após o sucesso da OUE.

Durante a OUE, os pilotos experientes em transição do F-16 e A-10 para o primeiro caça furtivo multimissão do mundo. Dois pilotos, o major John Wilson e o major Matthew Johnston eram do 58° Esquadrão de Caça da Base Aérea de Eglin e dois, o tenente-coronel Brian O’Neill e o Major Joseph Scholtz eram de unidades de teste operacionais na Base Aérea de Edwards, na Califórnia, e na Base Aérea de Nellis, Nevada.

“Suas performances foram excelente … e o sorriso de cada aluno no rosto após o pouso de seu primeiro vôo mostraram que eles estavam bem preparados e o jato era fácil de voar, assim como eu tinha experimentado com o meu primeiro voo”, disse o tenente-coronel Lee Kloos, comandante do 58° Esquadrão de Caça, que é encarregado de supervisionar as operações diárias de voo do esquadrão. Ele também é o primeiro piloto não de testes de desenvolvimento a voar o F-35.

O OUE foi iniciado pelo Diretor Executivo do Programa Conjunto de Caças de Ataque com sede em Washington, D.C., e se destinava a melhor informar o comandante do AETC com dados abrangentes de uma fonte independente para Rice poder decidir como proceder com o futuro treinamento de pilotos dos F-35A em Eglin.

“O OUE mostrou que os homens e mulheres em Eglin estão prontos”, disse Rice. “Estou muito orgulhoso de todos, sendo nos uniformes e com a empresa de apoio contratada, que se empenharam em anos de trabalho duro. O ponto culminante dos trabalhos foi o sucesso demonstrado para que o Centro Integrado de Formação possa conduzir seguras e eficazes operações de voo, além da formação acadêmica.”

O treinamento está programado para começar no dia 7 de janeiro com quatro pilotos do 58° Esquadrão de Caça e dois pilotos de testes operacionais.

O foco da equipe de avaliação do OUE foi sobre a capacidade de conduzir o treinamento dos pilotos, mas a liderança concorda que não poderia fazer isso sem seus mantenedores.

“Os mantenedores são a espinha dorsal das operações de voo. Se não tivessem realizado da forma como fizeram, não poderíamos ter terminado o OUE com cerca de duas semanas antes do previsto”, disse Toth apontando para sua equipe de especialistas da 58ª Unidade de Manutenção de Aeronaves e da Lockheed Martin contratada para apoio logístico.

Com o treinamento aprovado, o centro integrado de formação da ala se aproxima do pleno funcionamento com a capacidade total de 100 alunos piloto militares por ano, juntamente com os 2.100 estudantes de manutenção.

“Estamos ansiosos para 2013 quando vamos integrar o esquadrão ‘Grim Reapers’ da Marinha dos EUA e o F-35C nas nossas operações de voo, juntamente com os nossos parceiros internacionais, os holandeses e britânicos. O ritmo das operações não irá diminuir à medida que continuamos a crescer e estamos prontos para os novos desafios que o próximo ano vão trazer para o pessoal de ala e para o Centro Integrado de Formação F-35″, disse Rice.

Aproximadamente 36 pilotos da Força Aérea dos EUA são esperados para passar pelo programa de treinamento no próximo ano.

“A equipe da Eglin passou por um rigoroso processo para indicar o caminho para o treinamento do F-35A. Estamos ansiosos para começar o novo ano com mais história em construção para eles prepararem o Centro Integrado de Formação JSF com a tarefa de fornecer um programa de treinamento de classe mundial”, adiciona Rice.

Texto: Maj. Karen Roganov / Team Eglin Public Affairs – Tradução: Cavok

Agradecemos as contribuições até o momento. Graças à colaboração de algumas pessoas estamos conseguindo manter o site no ar, pois o valor necessário para manter o Cavok no ar é alto. Continuamos pedindo a ajuda de todos com as contribuições, que podem ser de qualquer valor. Se cada um ajudar um pouco, poderemos assim manter esse local como o melhor site de aviação do Brasil. Continuamos também lutando para conseguir um patrocínio, que ajudaria bastante nas despesas mensais do site. Para contribuir, utilize as formas de pagamento online abaixo ou nos botões localizados na barra lateral. Quem quiser também poderá doar através de depósito na conta corrente: Banco do Brasil – Agência: 0181-3 – C/C: 12.742-6 – Favorecido: Fernando Valduga. Desde já meu muito obrigado!




 

Enhanced by Zemanta
 

13 Respostas

  1. Abaliquo

    Treinamento para os pilotos do F-35A só vai começar em janeiro de 2013?
    Pelo menos teremos um pouco mais de tempo, antes de tentarmos a terceira.

  2. HMS TIRELESS

    Ao que tudo indica os dias do F-35 no serviço operacional estão próximos de se iniciar. Também está marcado para 2013 o início dos treinamentos dos pilotos da Heyl Ha'Avir no Lightning II.

    • Galileu

      Nem com o forte lobby israelense no congresso americano os israelenses terão seus F22, nem quando esses irem pro museu.
      Se abrir mão pra um vai ter que abir pra vários e não acho que o tio-san esteja afim de dor de cabeça ahahah

  3. Afonso_Portugal

    Só há aqui uma parte que me levanta muuuitas dúvidas: o F-35A a fazer o trabalho sujo do A-10. Muitas mesmo!!!

    • HMS TIRELESS

      Não vai não! o A-10 vai ser o novo B-52

      • Relojoeiro

        Olá, companheiro Tireless.

        Duvido que isso aconteça. Pra enfrentar fogo de artilharia antiaérea e até de armas leves, um frame de 40 anos não está nem de longe apto. Os B-52 continuam em operação pois realizam bombardeiros voando a grande altitude, os A-10 não, as missões cumpridas por eles o expõe quase que necessariamente ao fogo inimigo.

        • HMS_TIRELESS

          Camarada relojoeiro:

          Você está certo em lançar dúvida quanto a isso mas a maior virtude do A-10 (e também sua maior maldição) é ser extremamente robusto. Seria o mais "soviético" dos aparelhos dos EUA e foi declaradamente inspirado no Il-2/Il-10. Sem falar no seu maravilhoso canhão GAU-8.

    • _RR_

      Afonso_Portugal,

      Também considero pouco provavel ver uma aeronave furtiva e cara como essa cumprindo missões de apoio cerrado… Poderia até faze-lo, mesmo em altitude, usando munições de alta precisão, mas não há sentido em mobilizar uma aeronave custosa como será o F-35A para fazer um trabalho que uma aeronave subsônica ou mesmo um turbo-helice de alto desempenho faria… Se há substituto para os A-10, ele se encontra nos UAVs como MQ-9.

  4. Galileu

    A função do A10, creio eu que ficará a cargo dos drones

  5. _RR_

    Notícia importante.

    É o marco inicial rumo a operacionalidade.

    Em suma, é praticamente certo que o F-35A estará operacional a nível de esquadrão antes do final da década.

Você deve estar logado para postar um comentário.