Facebook Twitter Gplus Flickr Pinterest LinkedIn YouTube E-mail RSS
magnify

Embraer

Home Diversas Brasil IMAGENS: DIA DA AVIAÇÃO DE CAÇA DA FAB – Base Aérea de Santa Cruz, RJ (Brasil)
formats

IMAGENS: DIA DA AVIAÇÃO DE CAÇA DA FAB – Base Aérea de Santa Cruz, RJ (Brasil)

O Dia da Aviação de Caça da FAB teve a presença de vários esquadrões operacionais, e contou com uma demonstração em voo das aeronaves de caça, como os F-2000 e F-5EM. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok)

O Dia da Aviação de Caça da FAB teve a presença de vários esquadrões operacionais, e contou com uma demonstração em voo das aeronaves de caça, como os F-2000 e F-5EM. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok)

Desde o dia 18 de abril, os pilotos da Força Aérea Brasileira (FAB) estiveram reunidos na Base Aérea de Santa Cruz (BASC), no Rio de Janeiro, para a tradicional Reunião da Aviação de Caça (RAC 2013), que inclui as comemorações do Dia da Aviação de Caça (22 de abril), o qual foi celebrado com uma bela festa que contou com a presença de 11 esquadrões operacionais da FAB.mlb130422_185_1280

flb2013_04_22_029_1280p

Esquadrões da FAB estiveram na BASC para comemorar o Dia da Aviação de Caça.

Esquadrões da FAB estiveram na BASC para comemorar o Dia da Aviação de Caça.

Nessa segunda-feira, dia 22, O dia amanheceu o céu com zonas azuis, nuvens carregadas e chuva fraca ocasional. Embora o dia tenha permanecido assim em grande parte do tempo, o Cavok Brasil esteve presente no evento com os colaboradores Mauro Lins de Barros, Flávio Lins de Barros e Marco Ferreira dos Santos, que puderam acompanhar de perto a demonstração das aeronaves Mirage F-2000, F-5EM, A-1, A-29 Super Tucano e do helicóptero de ataque AH-2 Sabre.

Passagem baixa de dois F-5EM do 1° GAVCA. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok)

Passagem baixa de dois F-5EM do 1° GAVCA. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok)

mlb130422_034edit_1280

Os caças F-5Em do 1° GAVCA foram os anfitriões do encontro,

Os caças F-5Em do 1° GAVCA foram os anfitriões do encontro,

A festa começou com a habitual cerimônia do P-47, com passagem de dois caças F-5EM (4864 e 4837) do 1° GAVCA, e que contou com a presença do Ministro da Defesa, Celso Amorim, e do Comandante da Aeronáutica, Tenente Brigadeiro Juniti Saito. Em seguida, no pátio oeste, houve uma homenagem aos veteranos do 1° GAvCa e o desfile militar, onde ocorreu passagens de dois F-2000C Mirage (4948 e 4949) do 1° GDA e dois F-5EM (4839 e 4862) do 1°/14° GAV. Após houve a entrega da medalha Brigadeiro Nero Moura aos pilotos mais antigos e de troféus para os destaques da nova geração de caçadores. O anfitrião deste ano é o Primeiro Grupo de Aviação de Caça (1º GAVCA), que em dezembro completa 70 anos de criação.

A presença das aeronaves A-1 da FAB. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok)

A presença das aeronaves A-1 da FAB. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok)

Caças A-1 também marcaram presença. (Foto: )

Caças A-1 também marcaram presença. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok)

mlb130422_298_1280

As aeronaves A-1 do Esquadrão taxiam na BASC. (Fotos: Mauro Lins de Barros / Cavok)

As aeronaves A-1 do Esquadrão Adelphi taxiam na BASC. (Fotos: Mauro Lins de Barros / Cavok)

No hangar Zeppelin, estavam expostos um F-5EM do 1° GAVCA e o modernizado A-1M (5526), com diversos armamentos em exibição. Junto ao F-5EM estava exposto um míssil ar-ar Mectron MAA-1 Piranha recortado, exibindo a sua configuração interna. No pátio externo haviam poucos aviões, como alguns C-99, um C-105A e um H-34.

Míssil ar-ar Mectron MAA-1 Piranha recortado, exibindo a sua configuração interna. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok)

Míssil ar-ar Mectron MAA-1 Piranha recortado, exibindo a sua configuração interna. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok)

flb2013_04_22_023_1280p

“O dia 22 de abril de 1945 é lembrado como a data em que os pilotos do Primeiro Grupo de Aviação de Caça realizaram o maior número de missões na Segunda Guerra Mundial. Ao celebrar esta data, nós preservamos a memória daqueles que representaram o país há 68 anos nos céus da Itália”, explica o Comandante da Terceira Força Aérea, Brigadeiro do Ar Luiz Fernando Aguiar. A III FAE é a unidade militar responsável pelas Aviações de Caça e de Reconhecimento da FAB.

Passagem baixa de dois Mirage F-2000C do 1° GDA. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok)

Passagem baixa de dois Mirage F-2000C do 1° GDA. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok)

Caças Mirage vem para passagem baixa na BASC. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok)

Caças Mirage vem para passagem baixa na BASC. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok)

Na sequência, os convidados e a imprensa foram levados ao palanque no stand de tiro para assistir à demonstração operacional, que contou com diversas aeronaves da FAB.

flb2013_04_22_308_1280p

Demonstração de tiro com o helicóptero AH-2 Sabre. (Fotos: Fábio Lins de Barros / Cavok)

mlb130422_226_1280

mlb130422_224_1280

mlb130422_212crop_1280

Os convidados e a imprensa assistiram à demonstração operacional, que contou com diversas aeronaves da FAB. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok)

Os convidados e a imprensa assistiram à demonstração operacional, que contou com diversas aeronaves da FAB. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok)

O helicóptero AH-2 Sabre do Esquadrão Poti. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok)

O helicóptero AH-2 Sabre do Esquadrão Poti. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok)

Abrindo a exibição, os A-29 Super Tucano lançaram suas bombas de 500 lbs. Em seguido veio a novidade muito aguardada, a apresentação do AH-2 Sabre com tiros de canhão, lançamento de flares e lançamento de foguete. A demonstração dos A-1 e dos F-5EM foi cancelada devido a grande quantidade de nuvens e fumaça, fazendo com que as aeronaves pousassem com o armamento.430552_4864299881454_936938766_n

400578_4864302801527_1566154044_n

934144_4864314761826_1607120084_n

404677_4864311201737_630571008_n

mlb130422_007_1280

Detalhes do A-1M.

Participaram dos voos de demonstração operacional:

  • Dois A-29A (5714 e 5718) do 3°/3° GAV com bombas de 500 lb
  • Dois F-5EM (4846 e 4877) do 1° GAVCA com bombas de 500 lb
  • Um A-1A (5511) e um A-1B (5651) do 1°/16° GAV com bombas de 500 lb
  • Dois AH-2(8956 e 8958) do 3°/3° GAV do 2°/8° GAV com foguetes

mlb130422_027crop_1280

Passagem de um F-5EM do 1° GAVCA. (Foto: Flávio Lins de Barros / Cavok)

Passagem de um F-5EM do 1° GAVCA. (Foto: Flávio Lins de Barros / Cavok)

A festa encerrou-se com um coquetel para os convidados no Cassino dos Oficiais. Como sempre, foi uma bonita festa com a hospitalidade tradicional e a oportunidade de reencontrar muitos amigos.

FLB_5825

Super Tucanos do Esquadrão Joker.

Super Tucanos do Esquadrão Joker.

mlb130422_288_1280

Os Super Tucanos realizaram lançamento de bombas de 500 libras. (Fotos: Mauro Lins de Barros / Cavok)

Os Super Tucanos realizaram lançamento de bombas de 500 libras. (Fotos: Mauro Lins de Barros / Cavok)

A RAC também é considerada um momento de congraçamento entre as unidades militares do país. Para simbolizar o momento, os pilotos utilizam o cachecol do Segundo Esquadrão do Quinto Grupo de Aviação (2º/5º GAV), o Esquadrão Joker, que forma os futuros caçadores da FAB.

mlb130422_072_1280

mlb130422_074_1280

 (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok)

A presença do 1° GAVCA. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok)

São os esquadrões operacionais da Aviação de Caça da III Força Aérea (III FAE):

  • Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Aviação (1º/1º GAV), Esquadrão Jambock – Base Aérea de Santa Cruz – Rio de Janeiro (RJ);
  • Segundo Esquadrão do Primeiro Grupo de Aviação (2º/1º GAV), Esquadrão Pif Paf – Base Aérea de Santa Cruz – Rio de Janeiro (RJ);
  • Primeiro Grupo de Defesa Aérea (1º GDA), Esquadrão Jaguar – Base Aérea de Anápolis – Anápolis (GO);
  • Primeiro Esquadrão do Terceiro Grupo de Aviação (1º/3º GAV), Esquadrão Escorpião – Base Aérea de Boa Vista (RR);
  • Primeiro Esquadrão do Quarto Grupo de Aviação (1º/4º GAV), Esquadrão Pacau – Base Aérea de Manaus (AM);
  • Primeiro Esquadrão do Décimo Grupo de Aviação (1º/10º GAV), Esquadrão Poker – Base Aérea de Santa Maria – Santa Maria (RS);
  • Primeiro Esquadrão do Décimo Quarto Grupo de Aviação (1º/14º GAV), Esquadrão Pampa – Base Aérea de Canoas – Canoas (RS);
  • Primeiro Esquadrão do Décimo Sexto Grupo de Aviação (1º/16º GAV), Esquadrão Adelphi – Base Aérea de Santa Cruz – Rio de Janeiro (RJ);
  • Segundo Esquadrão do Terceiro Grupo de Aviação (2º/3º GAV), Esquadrão Grifo – Base Aérea de Porto Velho – Porto Velho (RO);
  • Terceiro Esquadrão do Décimo Grupo de Aviação (3º/10º GAV), Esquadrão Centauro – Base Aérea de Santa Maria, Santa Maria (RS);
  • Terceiro Esquadrão do Terceiro Grupo de Aviação (3º/3º GAV), Esquadrão Flecha – Base Aérea de Campo Grande – Campo Grande (MS).

Esquadrão de instrução da Aviação de Caça da I Força Aérea (I FAE):

  • Segundo Esquadrão do Quinto Grupo de Aviação (2º/5º GAV), Esquadrão Joker – Base Aérea de Natal – Parnamirim (RN).

Texto: Mauros Lins de Barros, com informações da FAB

 

 

 

 

 

 

Enhanced by Zemanta
 
Tags: , , ,

42 Respostas

  1. 27bill

    COMO SEMPRE AS AERONAVES DA FAB SEMPRE APARECENDO VOANDO COM POUCO ARMAMENTO OU NENHUM,COMO NO CASO DOS F 5 E DOS MIRAGE 2000.FESTA DE AVIAÇÃO DE CAÇA DEVERIA TER AS AERONAVES ABARROTADA DE ARMAMENTO,PELO MENOS EM DATA COMEMORATIVA.É RARO VER UMA FOTO DOS MIRAGE 2000 TOTALMENTE ARMADOS.PARECE QUE O BRASIL NÃO É MUITO CHEGADO EM PODER DE FOGO.O ESQUADRÃO PANTERA RECEBEU SEUS BLACKHAWKS SÓ COM 1 METRALAHADORA ,SENDO QUE PODERIA TER VINDO COM AQELES CABIDES EXTERNOS QUE PODE CARREGAR MISSEIS.OS UH 1 QUE OS PANTERA OPERAVA TINHA FOGUETES PELO MENOS E AGORA NEM ISSO MAIS.E OUTRA : EU DUVIDO O BRASIL COMPRAR UM CAÇA PESADO COMO O F 18 .A FAB TEM TRADIÇÃO DE SÓ OPERAR AVIÃO PEQUENO.

    NOTA DA MODERAÇÃO: AMIGO, PROCURE NÃO USAR CAIXA ALTA EM SEUS COMENTÁRIOS, OK?

    • Marco Ferreira

      27Bill, nao leve a mal o meu comentario.
      Quantas vezes voce esteve na RAC? Em quantas Operações aéreas desse porte voce acompanhou? veja bem amigo, o patio cheio de civis e autoridades, Impressa até o talo e um estresse do tamanho do mundo.
      a RAC nao é um local para demonstração de poderio aéreo é uma reuniao anual onde ocorre diversas cerimonias, premiações e outras coisas e sinceramente amigo vejo o seu comentário como um tipico brasileiro.,. Reclamamos sempre de tudo e de todos, nunca estamos satisfeitos com nada o F-18 vai chegar e vamos continuar a reclamar.

      Cara, não existe necessidade de ter aviões com seu payload no full em uma apresentação, agora pra seu conhecimento, tinha um F-5 em Alerta la na base, LOTADO de armas, tinha um Helicoptero do Puma lá em alerta sar, tinha outras aeronaves prontas para emprego imediato só que estas… Estas não estão nas fotos da matéria, entao meu caro, somente indo lá pra ver pessoalmente como eu vi todos estes.
      As aeronaves de demonstração estavam sem armamento e deram um show de manobras, adorei ver os jambocks aloprando nas passagens, nas manobras de alto G e em curvas sensacionais, os mirages tbm deram show.. so ficou defendo o AMX que so foram para o estande.
      Para finalizar, foram realizados ataques demonstrativos para o publico e autoridades e apesar do f-5 e o A-1 terem abortado, foi show ver os A-29 lançarem com precisão as bombas de 500lbs e os AH-2 fazerem o ataque de canhao e foguetes.

      Resumindo, seja menos critico e se divirta com o que voce tem!

      Cordiais abraços

      • GIORDANI

        Já tem vídeo disponibilizado? Por que os F-5 e A-1 abortaram?

      • 27bill

        Em nenhum momento reclamei da RAC.Fiz a constatação de nossas aeronaves sempre estarem com poucos armamentos.As aeronaves F5 e mirage 2000 da matéria estão desarmadas.E eu vejo muito nossas aeronaves voando assim. Pra mim 1 F5 lotado de armas não é nada.e se vier um F 18 pra fab não irei reclamar não.Como eu vejo muitas materias pela net sobre outras forças aereas,acho q nossas aeronaves sempre estão com pouco armamento.Se eu não me engano os A 29 do equador são mais bem equipados que os nossos.Não estou reclamando de nada ,é só a minha opinião.

      • 27bill

        No torneio de aviação de caça as aeronaves tambem estão com o armamento bem levinho ja reparou? então não sei quando vamos ver nossas aeronaves bem armadas.

        • GIORDANI

          Eu só sei duma coisa, como é difícil encontrar uma imagem de um F-5 ou A-1 armado…e na boa, em dia de exibição, por quê não maquetes aerodinâmicas em pelo menos um?

        • R22

          Na verdade manter as aeronaves com armamento completo sem necessidade é simplesmente um desperdício. Como exemplo, o missil AMRAAM tem uma vida útil de uns 5 anos armazenado. Quando instalado em um F-18, sua vida útil cai para cerca de 50 horas, devido ao atrito com o ar durante os vôos, e a vibração da aeronave em si. Depois desse tempo o missil é descartado ou tem que passar por uma “reforma”. Por isso não é raro vermos aeronaves carregando somente 1 missil em algumas missões. Imagine em forças com o orçamento limitado como a nossa. Por isso as aeronaves só levantaram voo carregando as bombas que seriam usadas na demonstração. Nada mais que isso.

          • GIORDANI

            Lá pelos idos de 1992, um sargento me explicou que o AIM-9B só aguentava três voos, depois, tinha de ser recondicionado ou descartado. Além disso, cada AAM gera um estresse de 90kg na asa. Eu não peço a FAB que mantenha os aviões sempre armados, mas que disponibilize imagens COM os aviões armados. Em ocasiões como estas, por quê não configurar as naves com maquetes aerodinâmicas? O Hornet canadense e o Super Hornet da USN quando se apresentaram em SJC estavam com maquetes! Os F-4 dos Blue Angels se apresentavam com maquetes inertes!!!! Essas coisas!

            • Marco Ferreira

              Nesse caso seria interessante sim!

            • R22

              Realmente seria uma bela imagem com certeza. Ate eu gostaria de ver também. Depois de muito procurar achei uma imagem de um dos nossos Sabres armados com os misseis Ataka. Mas no Chão, dentro do Hangar. Nunca em voo. Realmente ver nossas aeronaves armadas em “full”, mesmo com essas maquetes daria uma melhor impressão da capacidade dos aviões.

      • Francisco AMX

        Marco, é que este é um sentimento que gera-nos dúvidas… entende? vc há de concordar que é muito raro, mesmo em fotos, tiradas em exercícios reais, vermos os caças armados com payload que seja na metade… então fica a dúvida? temos "munição" suficiente ou estamos poupando o escasso que temos?

        • Marco Ferreira

          Olha, lá pelos idos de 1999 ou antes um pouco, antes mesmo de eu pensar qualquer coisa na aviação eu era entregador da AVON, dai certa vez a rota era colada em Santa cruz, e perto da Base, inclusive a partir dai eu fiquei sabendo da existencia do F-5, foi a primeira vez que os vi. Nesta ocasião uma esquadrilha de 6 aeronaves estavam com seus pontos nas asas completamente preenchidos, inclusive com um missel na ponta das asas, nao sei qual missel, mas tinha. Era uma missao de treinamento na marambaia, eles sairam lotados e voltaram apenas com o tanque externo, dei sorte de ver decolar e pousar… Dai um matuto da área disse assim: Hoje vou pegar caranguejos, as bombas jogam eles pra cima!
          kkkk
          Mas foto? Nada de foto….

  2. FoxDelta

    Olhando assim, nem parece que a FAB está tão defasada…Acho que é por isso que o FX-2 não sai, os caças da FAB estão com aspecto de novos…rs

    • GIORDANI

      Verdade! Quem olha de fora, ou seja, a mídia "ispeçializada", por não fazer a mínima idéia, transmite uma falsa imagem ao povo. Essa é uma das razões que sou tão critíco do Godoy. Ele tem a faca e o queijo na mão para falar a verdade, e o que ele faz???? O oposto!!!!

      • Willi_am

        Gio, tem muito móvel bonito por aí cheio de cupim…. um dia agente 'toca' no móvel e ele vai se desintegrar… é mais ou menos por aí…. mas sabe como é, aparência é tudo… falar a verdade pra que??

    • ZorannGCC

      kkkkkkkk

      Eles estão novinhos porque pouco voam. Dá tempo de mante-los sempre limpinhos, bonitinhos, lavadinhos, enceradinhos!!!

      Se fosse muito usado, estariam todos encardidos, manchado de fuligem, com a pintura queimada….

      Vcs já viram carros de Bombeiros sujos e mal cuidados??? Agora carro de policia sujo e mal cuidado vc vê aos montes. Ambos fazem parte da Policia Militar. Mas os Bombeiros, entre uma emergencia e outra, num dia de plantão, sobra tempo para cuidar das viaturas. Então eles lavam (água não falta), enceram, gastam o tempo enquanto não são acionados para uma emergencia. No caso da policia, não da tempo pra nada. É 190 o tempo todo… Podem reparar que é exatamente assim (eu moro perto de um Agrupamento de Incendio e é exatamente assim…

      Na FAB, como os caças pouco voam, dá tempo para cuidar da aparencia. Veja que no caso dos Helis (que são mais usados) e aviões de transporte (muito usados) é comum ver aeronaves com pintura queimada e com a aparencia de desgaste.

      A FAB virou empresa de transporte aéreo. Só cargas e passageiros vip. De vez em quando, um SAR, uma ajuda humanitária. Os caças mesmo são para dia de festa, Circo Aéreo.

      • Marco Ferreira

        Neste caso concordo com voce e digo ainda mais, o GTE é o esquadrao que mais acumula hora de voo…
        Acho que é hora de vermos se as marcas do uso procedem ou se o pessoal da FAB é bom na limpeza como eu acho que é

  3. Marco Ferreira

    Amigos, a FAB nao esta sucateada…
    Temos comprado os helicopteros, temos modernizados o Bandeirante, o AMX, alguns F-5 e alem disso alguns super tucanos vem em configurações mais modernas.
    Não se enganem, a FAB ta bem das pernas e do bolso, porém o FX ainda nao teve resposta, mas quando tiver vai ser top tambem. Foi uma linda festa, com belissimas passagens, homenagens e pessoas…Senta pua

    • Francisco AMX

      olha os radicais aí Marco!… mas entendo o que tu fala… porém, sinônimo de modernidade não é apenas ter um avião reformado… precisa-se pegar como comparativo o que existe de moderno no mundo! de eficiência relativa!… um F-5 já não era nada de especial nos anos 70… então, vc pegar e modernizar este, usando componentes novos mas inferirores em desempenho, manter mesma motorização, um radar meia-boca, com mísseis "baratos"… acaba que não consegue nem atualizar o que tinah se compararmos com a década de sua compra: ou seja, em 1973 os F-5, tirando o quesito "novo", eram muito mais mortais do que são hoje!…
      Dizer que somos sucata tem o mesmo "tom" que dizermos que estamos muito bem… penso eu…

    • Willi_am

      Marco, seus comentários são sensatos e eu respeito isto… o que acredito é que um país com a economia como a nossa e com 'riquezas' como as nossas deveria ter força equivalente, isto é demanda.
      Estamos aquém? Pelos comentários dos 'mais entendidos' que tenho lido nos últimos anos: sim, estamos. A real proporção? Fica difícil de dimensionar, mas dá pra ter uma ideia.
      Percebi também que o Brasil tem investido 'mais', e sei também que gostaríamos que a velocidade fosse maior, mas existem etapas que não podem ser queimadas. Não vamos mudar a visão da noite pro dia. Tudo isto frusta, não na totalidade, Realmente ainda falta muito a ser feito.

      []s.

  4. 27bill

    Me parece que o AMX M está com um IRST ou é impressão minha?

  5. _RR_

    Já disse isso e não me canso de repetir… Para a FAB hoje, creio que um problema maior que a qualidade, é a quantidade… O F-5M é uma aeronave razoável para os dias de hoje. Fossem 250 ao invés de cinquenta e poucas, me arrisco a dizer que sequer haveria necessidade dos M2000. Com o F-5M, a transição para uma aeronave de geração 4.5 torna-se naturalmente a etapa seguinte a ser realizada.

    • Francisco AMX

      melhor seria ter 84 (7 esquadrões) M2000 modernizados ao padrão MK5/9m que os 250 F-5M… que, apesar de reformados até o osso, tem baixíssima disponibilidade se comparado aos M2000 de 1984 que estão na FAB… além de serem mais eficientes, sem comparação na verdade…

      • _RR_

        Francisco AMX,

        Concordo com o amigo, se fosse para se ter o M2000-5. Sem sombra de dúvidas, é uma aeronave mais eficiente. Por isso não reclamaria nem um pouco se viessem os exemplares M2000-9 dos EAU ou mesmo os M2000-5 franceses. Mas entre o M2000C ( e era desse que eu estava falando ) e o F-5M, creio o caça modernizado seria mais adequado, não pelo desempenho em si, mas por uma questão de custos e racionalização da frota…

        • Francisco AMX

          mas RR, 250 F-5M custariam mais (aquisição/custo operacional) do que comprar/modernizar 86 M2000-5/9, numa situação de triangulação… os franceses e os emirates viram numa negociação do Rafale com os EAU… por exemplo… de mais a mais, conseguir mais 150 F-5 em condições… sei que o amigo fala hipoteticamente, mas sempre é bom lembrarmos da realidade possível…

          • _RR_

            Francisco AMX,

            Concordo… Mas ainda creio que se deva analisar o custo benefício da coisa… E você está certíssimo ao focar na realidade atual. Conseguir mais 100 aeronaves F-5 em boas condições é algo difícil e hoje seria algo sem propósito… Se fosse para se fazer mais compras de F-5, teriam que ter sido feitas na década passada…

  6. Nick_Fry

    Belas fotos, parabéns Cavok. :)

    Agora dá para imaginar o seguinte: São 11 Esquadrões de Caça. 2 deles seriam equipados com caças Hi: 48 PAKFA. Nos demais, 9 esquadrões com 18 Gripen E/F cada. Seria o ideal na minha opinião.

    []'s

  7. Rodrigo DS

    Melhor do que nada, mas parabéns, porque fazem o melhor com o que tem!!!

    Off topic:

    Criptografia quântica é transmitida para avião em pleno voo
    http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/no

  8. 27bill

    Visite a Basp em Guarulhos,acho que vc vai gostar .

  9. ECO_CHARLIE

    As unidades da FAB deveriam ser totalmente reformuladas, devido à sua composição. Os dois únicos grupos de aviação que realmente existem são o GTE e o 1º Grupo de Aviação de Caça, o primeiro sendo constituido de três esquadrões e o grupo de caça por sua vez é constituído por dois esquadrões. As demais unidades são apenas esquadrões. Por exemplo, o 1º GDA não é um grupo, mas sim um esquadrão. Dessa forma deveríamos então ter no mínimo mais um esquadrão de M-2000 em Anápolis. Seguindo a mesma linha de pensamento, os esquadrões 1º/10º GAv, 2º/10º GAv e 3º/10º GAv parecem pertencer a uma única unidade e na verdade são unidades distintas( esquadrões funcionando como grupos, inclusive com a mesma estrutura de comando). O 2º/10º GAv por exemplo nem é unidade de caça mas sim um esquadrão de busca e salvamento localizado em uma base longe dos outros dois irmãos gaúchos. O mesmo pode ser dito dos 1º/3º,2º/3º e 3º/3º GAv's. Portanto, se hoje em dia cada grupo de aviação da FAB fosse constituído por no mínimo dois esquadrões, deveríamos ter cerca de 200 aeronaves de combate na FAB levando-se em consideração que temos 8 unidades de caça subordinadas à Terceira Força Aérea.

  10. ECO_CHARLIE

    Sou Fã do Mirage 2000 e não me incomodaria nem um pouco se a FAB comprasse mais deles, na versão mais modena lógico, mesmo sendo de segunda mão. Fico imaginando se a FAB em vez de apenas um esquadrão tivesse dois GDA com dois esquadrões cada.

    • Nick_Fry

      Caro Eco Charlie,

      Eu penso da seguinte forma: Já que o M-2000 está fora de linha na França, comprar todo o ferramental de produção, as licenças, e propriedade intelectual do mesmo. A partir do M-2000, faríamos algo parecido com que os Israelenses fizeram com o Mirage lll: criaram o Kfir.

      O M-2000 ainda é uma excelente plataforma aerodinâmica, mas carece de um radar AESA, e seria interessante trocar o motor pela versão mais moderna do F-110, que daria muito mais desempenho para o M-2000.

      []'s

  11. […] DIA DA AVIAÇÃO DE CAÇA DA FAB – Base Aérea de Santa Cruz, RJ (Brasil) […]

Você deve estar logado para postar um comentário.