Facebook Twitter Gplus Flickr Pinterest LinkedIn YouTube E-mail RSS
magnify

Embraer

Embraer Defesa e Segurança escolhe Sagem para fornecer sistema de compensador horizontal do KC-390

Publicado em 23/01/2012 por em Brasil, Militar

A Sagem da França vai fornecer o sistema de compensador do estabilizador horizontal do KC-390. (Foto: Embraer)

A empresa brasileira Embraer Defesa e Segurança escolheu o sistema de acionamento feito pela Sagem (Safran Group) para o sistema de compensador do estabilizador horizontal (HSTS) no seu novo avi”ao de transporte militar/reabastecimento aéreo KC-390. O primeiro voo do KC-390 está prevista para 2014.

O sistema de compensador do estabilizador horizontal permite ao piloto controlar a compensação do estabilizador horizontal de forma mais eficiente possível para manter a atitude da aeronave estável, ao mesmo tempo, minimizando as forças de controle aerodinâmico para pilotar o avião. O HSTS dá uma contribuição fundamental para a segurança de vôo, e a solução inovadora desenvolvida pela Sagem, com atuadores de motor elétrico, oferece um mais eficiente controle eletrônico do sistema.

Os fatores decisivos na escolha da Embraer deste sistema da Sagem foram os custos competitivos e a capacidade comprovada da empresa para produzir um sistema de alta performance e integrado.

De acordo com o presidente e CEO da Sagem Philippe Petitcolin, “a escolha da Embraer confirma as decisões de tecnologia que fizemos sobre a próxima geração de atuadores elétricos. O nosso sistema selecionado para esta aeronave reflete integralmente o conceito emergente de “mais elétrica” na aeronave. Outra característica é sua tecnologia de dupla compatibilidade, uma vez que será igualmente utilizado em aeronaves civis ou militares do futuro.”

O trabalho de desenvolvimento deste novo sistema será realizado no centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Sagem, em Massy, ??perto de Paris.

Sagem, uma empresa de alta tecnologia do grupo Safran, e detém posições de liderança mundial ou europeia em Optronics, aviônica, eletrônica e software de segurança crítica para ambos os mercados civil e militar. Sagem é a empresa número 1 na Europa e número 3 em todo o mundo para sistemas de navegação inercial (INS) utilizado em aplicações via aérea, terrestre e naval. É também o líder mundial em controles de vôo de helicóptero e líder européia em Optronics e sistemas táticos UAV.

 

Síria assina compra de 36 jatos de treinamento Yak-130 com a Rússia

Publicado em 23/01/2012 por em Militar

A Síria assinou um contrato com a Rússia para compra de 36 jatos de treinamento de combate Yak-130.

A Síria assinou em janeiro de 2012 um contrato com a Rússia para compra de 36 aviões de treinamento de combate Yak-130, informou o jornal Kommersant, citando uma fonte próxima da Rosoboronexport, a agência estatal responsável pela exportação de armas na Rússia. O negócio pode chegar a US$ 550 milhões, ou cerca de 15,3 milhões de dólares por aeronave. A execução do contrato será deve incluir a fabricação das aeronaves na linha de montagem em Irkutsk, e a primeira aeronave de exportação deve chegar a Damasco em 2013.

As negociações para o fornecimento de aeronaves de treinamento para Síria datam de meados de 2010. Presumivelmente, os novos Yak-130 que serão integrados na frota da Força Aérea vão complementar a frota existente de aviões de treinamento L-39 Albatros. Mas, como relata o jornal, o acordo com Damasco é muito arriscado, porque no futuro, a Síria poderá sofrem com sanções impostas pela ONU. Em particular, por causa dessas sanções contra a Líbia, a Rússia perdeu potenciais contratos no valor de quatro bilhões de dólares.

No início, os EUA expressaram preocupação sobre o fornecimento de armas russas à Síria, mas em resposta a isso, a Rússia disse que não violem leis e acordos internacionais.

O Yak-130 é projetado pelo bureau de design Yakovlev, de acordo com uma especificação da Força Aérea Russa para aeronaves de treinamento tático para os pilotos, bem como para os pilotos de caças de quinta geração. O Yak-130 é altamente manobrável, pode atingir velocidades de até 1.060 km/h e está equipado com moderna aviônica. Dentre os equipamentos de combate, o Yak-130 pode transportar mísseis, bombas e pods de canhões, num total de até três toneladas.

Em dezembro de 2011, o Ministério da Defesa russo assinou um contrato para fornecer 55 jatos Yak-130, e no final de dezembro, a Argélia começou a receber seus 16 aviões Yak-130 encomendados.

Texto: Rustam, direto da Rússia – Tradução: Cavok

 

Austrália suspende temporariamente os voos de seus helicópteros Black Hawk

Três helicópteros S-70A-9 Black Hawk do Exército Australiano durante operações no Timor Leste. (Foto: Ministério de Defesa da Austrália)

O Exército da Austrália suspendeu temporariamente as operações de vôo para os helicópteros Black Hawk devido a identificação de um uma quantidade de parafusos quebrados durante uma verificação de manutenção de rotina. Três Black hawks do Exército Australiano estão atribuídos a Força-Tarefa Conjunta 631 no Timor Leste. Os voos de evacuações médicas de emergência para o pessoal da Força Internacional de Estabilização no Timor-Leste continuam autorizadas durante a suspensão temporária.

O Diretor Geral Interino da Aviação do Exército, Coronel Stephen Evans disse que a suspensão, que começou no dia 19 de janeiro, foi para garantir a segurança e é consistente com os procedimentos de Aeronavegabilidade Operacional do Exército.

“A suspensão cautelar permanecerá em vigor para permitir uma investigação sobre a causa do problema seja concluída”, disse o coronel Evans.

Os helicópteros Seahawk da Marinha diferem significativamente dos Black Hawk na área afetada, e as operações de voo dos Seahawk não foram suspensas.

 

Segundo Su-35S de série recebe as cores da Força Aérea Russa

Publicado em 23/01/2012 por em Militar

O segundo caça de produção em série Su-35S já com as cores da Força Aérea da Rússia. (Foto: White / Russiaplanes.net)

O site de fotografias russianplanes.net divulgou recentemente uma nova foto do segundo caça de produção em série Su-35S (número de série 02/01) da KnAAPO, que recebeu as novas cores da Força Aérea da Rússia, com o número 02 em vermelho aplicado na parte da frente.

O caça multimissão realizou seu primeiro voo, a partir de Komsomolsk-on-Amur, no dia 2 de dezembro de 2011, e agora supostamente foi transferido para o 929º Centro Nacional de Vôo de Teste do Ministério da Defesa em Chkalov, Akhtubinsk.

Texto: Rustam, direto da Rússia – Tradução: Cavok

 

China vai adquirir 20 helicópteros russos Ka-32A11BC

Um helicópteros multitarefa Kamov Ka-32A11BC recentemente encomendado pela China. (Foto: Kamov Helicopters)

A Russian Helicopters venceu uma competição na China e venderá para os chineses 20 helicópteros utilitários Ka-32A11BC, conforme uma fonte ligada a negociação.

“A vitória era muito esperada e merecida. Há ainda várias propostas em diferentes regiões da China, que podem aumentar o número de helicópteros Kamov na colônia chinesa”, disse a fonte.

O Ka-32A11BC é uma versão multitarefa do Ka-32A. O helicóptero é único no transporte de carga externa com o sling e como “guindaste voador” ao instalar grandes e altas estruturas. O sistema de transporte coaxial do Ka-32A11BC tem várias vantagens importantes em termos de precisão no voo pairado e na manobrabilidade do helicóptero, o que lhe permite realizar operações de montagem de alta complexidade. O Ka-32A11BC pode executar uma ampla gama de atividades, incluindo combate a incêndios em arranha-céus com um jato de água.

O Ka-32A11BC, desenvolvido pelo escritório de design da Kamov dentro da holding Russian Helicopters. A produção em série do Ka-32A11BC está definida na fábrica de Kumertau. Até à data, foram construídos mais de 140 helicópteros, e cerca de metade deles são operados em mais de 30 países do mundo.

Hoje, o Ka-32A11BC já está certificado nas principais regiões da América do Norte e do Sul, Europa e Ásia. Em particular, em 2011 o helicóptero foi certificado no Brasil, Índia, e em 2009 na Europa (Certificação do Tipo EASA.IM.R.133). Em 2008, o Ka-32A11BC foi certificado na China, Indonésia e Coréia do Sul; em 2007 no Chile e em 2005 no México. Em 2006, o helicóptero recebeum uma certificação complementar no Canadá para prestar serviços de tráfego aéreo com passageiros (o certificado original foi emitido pelo Canadá em 1998).

As modificações do helicóptero Ka-32 têm sido operadas com sucesso pelos operadores nacionais na Espanha, Portugal, Colômbia, Suíça, Canadá, Coréia do Sul, Taiwan, Japão, China e outros países, bem como empresas estrangeiras de leasing no Brasil e no Chile.

Dica do amigo Rustam, da Rússia. Obrigado ;-)

 

Venezuela negocia com BNDES crédito para compra de 20 aeronaves da Embraer

A Venezuela tem interesse nas aeronaves Embraer 190. (Foto: Ben Wang)

A Venezuela negociará crédito de até US$ 814 milhões com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) brasileiro para financiar a compra de 20 aviões de uso comercial da construtora Embraer, disse neste domingo o presidente Hugo Chávez.

“Estão me pedindo US$ 814 milhões pelas 20 aeronaves Embraer. Está aprovado, mas eu não vou destinar os recursos, é para processar e trabalhar o financiamento com o BNDES, do Brasil”, declarou Chávez, durante seu programa dominical, “Alô Presidente”.

“Agradecemos muito à (presidente brasileira) Dilma (Rousseff) pelo crédito que vai nos dar”, acrescentou o presidente venezuelano, assegurando que seu país “precisa contar com uma boa linha aérea”.

As aeronaves integrarão a frota da companhia estatal venezuelana Conviasa.

Chávez informou, ainda, que está em negociação a compra de quatro aeronaves Airbus 340-500 com cinco anos de uso de uma companhia estatal dos Emirados Árabes por 60 milhões de dólares cada.

“Aprovados os recursos para a aquisição destes aviões, só resta fazer o esclarecimento de crédito”, afirmou Chávez a seus ministros, presentes na transmissão do programa.

A compra de aviões da Embraer começou a ser negociada durante a vista da presidente Dilma a Caracas, em dezembro passado. Na ocasião, foi assinado um pacto de cooperação entre a Embraer e a Conviasa.

As transações comerciais entre os dois países representaram um montante de 4,686 bilhões de dólares em 2010, com superávit para o Brasil de US$ 3,021 bilhões.

Fonte: France Presse

Dica do amigo Symon. Obrigado ;-)

 

PrivatAir encomenda cinco aeronaves CS100 da Bombardier, com mais 5 opções

Publicado em 23/01/2012 por em Comercial

Impressão artística de um Bombardeir CS100 Series nas cores da PrivatAir. (Foto: Bombardier)

A Bombardier Aerospace anunciou nessa sexta-feira, dia 20 de janeiro, que com sede em Genebra, a PrivatAir colocou um pedido firme de cinco aviões CS100 e adicionais opções de cinco aeronaves CS100. Pelo preço de tabela da aeronave CS100, o contrato de pedidos firmes está avaliado em aproximadamente US$ 309 milhões, e poderá aumentar para US$ 636 milhões caso as cinco opções forem exercidas.

A PrivatAir foi fundada há mais de 30 anos e opera uma grande frota de aeronaves comerciais e de negócios para fornecer serviços de fretamento privado e de companhia aérea privada. Seus serviços especializados incluem exclusivamente vôos de classe executiva, em nome de várias companhias aéreas da rede principal. Como um excelente exemplo da versatilidade da única aeronave do mundo nova no seu segmento, a aeronave CSeries adquirida pela PrivatAir será entregue numa configuração de classe toda executiva.

“A aeronave CSeries representa tecnologia de ponta e são verdadeiros aviões do século 21″, disse Greg Thomas, presidente e CEO da PrivatAir. “O avião CS100 é bastante adequado para nossos planos de expansão de rotas e estamos ansiosos para introduzir esta aeronave muito moderna em nossa frota.”

“O programa de aeronaves CSeries continua crescendo e temos agora anunciado nosso 11° cliente”, disse Guy C. Hachey, presidente e Chefe Operacional de Cliente da Bombardier Aerospace. “A família de aeronaves CSeries é projetada para flexibilidade operacional e muitas companhias aéreas ao redor do mundo, como a PrivatAir, estão muito conscientes de como a aeronave pode cumprir os seus planos futuros. Nosso esforço global, bem como os benefícios de desempenho superior do avião CSeries, irá garantir que a Bombardier irá capturar uma parcela significativa do segmento de mercado de 100-149 assentos ao longo dos próximos 20 anos”.

“Entre os 11 clientes que selecionaram o avião CSeries estão grandes companhias aéreas, as operadoras nacionais, companhias aéreas premium que servem os aeroportos no centro da cidade, uma companhia aérea low-cost, empresas de leasing e agora, com o pedido da PrivatAir anunciado hoje, um provedor de serviço completo de companhias aéreas parceiras”, disse Philippe Poutissou, Vice-Presidente de Marketing da Bombardier Commercial Aircraft. “Essa diversidade de clientes fala muito sobre a flexibilidade da família de aeronaves CSeries para atender às necessidades de transporte aéreo em todo o mundo.”

Projetado para o crescente mercado de 100-149 assentos, a 100% nova família de aeronaves CSeries combina materiais avançados, tecnologia de ponta e métodos comprovados para atender às exigências da aviação comercial em 2013 e no futuro.

Incluindo a encomenda da PrivatAir, a Bombardier registrou pedidos firmes para 138 aeronaves CSeries e também reservou opções para 124 aeronaves e direitos de compra para 10 aeronaves a partir dos atuais clientes, bem como cartas de intenções para até 30 aeronaves CSeries feito pela Ilyushin Finance Co, e por até 15 aviões CS300 da Atlasjet.

 

Sukhoi deve iniciar as entregas dos jatos Superjet 100 para Ásia Ocidental e México em 2012

Publicado em 23/01/2012 por em Comercial

O jato regional Sukhoi Superjet 100 deve começar a ser entregue para os clientes da Ásia Ocidental e México em 2012. (Foto: Superjet International)

No ano de 2012 começará a entrega das aeronaves comerciais Sukhoi Superjet 100 para os mercados da Ásia Ocidental e no México, conforme disse o vice-presidente sênior da Sukhoi, Igor Syrtsov, a agência de notícias Itar-Tass.

“Este ano é um marco para nós – e vamos começar as entregas dos Sukhoi Superjets 100 para o mercado externo”, disse Igor Syrtsov. “E vamos entrar nos mercados estrangeiros, que não tinham aeronaves de fabricantes soviéticos, ou equipamentos fornecidos pela Rússia”.

Syrtsov disse que deve começar as entregas para a Indonésia e Laos. Além disse serão entregues quatro aeronaves para os nossos parceiros italianos, da Sukhoi Superjet International, representante da Sukhoi, que repassarão para o cliente final no México. A empresa espera que o ano seja importante para aumentar o interesse estrangeiro no produto.

Texto: Rustam, direto da Rússia – Tradução: Cavok

 

Incidente com caça F-16D da Força Aérea da Grécia

Um caça F-16D Block 52 da Força Aérea Grega, semelhante ao que pousou de barriga nessa quinta-feira na Base Aérea de Larisa. (Foto: Hermen Goud)

Um acidente que teria, provavelmente resultado em mortes e sérios danos, foi evitado na manhã de quinta-feira na Base Aérea da OTAN de Larisa (LGLR), quando o trem de pouso de um caça Lockheed Martin F-16D Block 52, da Ala de Combate 110 da Força Aérea da Grécia, não funcionou adequadamente e a aeronave realizou um pouso de emergência, varando a pista.

Os dois pilotos gregos a bordo conseguiram finalmente parar a aeronave antes do pessoal de emergência e das equipes de resgate, incluindo helicópteros, correrem para o local para ajudar os pilotos e certificarem-se que maiores danos não ocorreriam.

Devido a uma investigação geral ordenada pela liderança da Força Aérea grega para determinar a causa do acidente, todas as aeronaves F-16 devem permanecer no solo, e as aeronaves que estão em treinamento ou em missão serão verificadas posteriormente.

Os caças F-16s Block 52 das bases de Larissa, Chania (Creta) e Agchialos (Volos) são os mais modernos já adquiridos pleoa Força Aérea da Grécia.

Fonte: Greek Reporter – Tradução: Cavok

 

Secretário de Defesa dos EUA retira caça F-35 da “liberdade condicional”

Publicado em 22/01/2012 por em Militar

O caça Lockheed Martin F-35B Lightning II recebe o aval do Secretário de Defesa dos EUA e sai da "liberdade condicional" após progressos no seu desenvolvimento. (Foto: Lockheed Martin)

O secretário de Defesa dos EUA, Leon Panetta, nessa sexta-feira liberou o caminho para a versão do caça Lockheed Martin F-35 do Corpo de Fuzileiros Navais, cancelando a decisão de colocar o programa numa “liberdade condicional”, depois de dizer que progressos suficientes foram feitos para resolver os problemas técnicos.

As autoridades disseram que a decisão de Panetta mostra que o programa F-35 em geral continua a ser uma prioridade de investimento para os EUA para combater as potências emergentes, particularmente a China, apesar da pressão crescente sobre o orçamento do Pentágono.

“Somos e temos que continuar a ser o país mais forte militar no mundo. Não vamos recuar da nossa posição”, disse Panetta ao anunciar a decisão. “Se nós vamos ser um líder mundial, temos que manter o nosso poder militar”.

O Secretário de Defesa Leon Panetta discursa na Estação Naval de Patuxent River, onde o caça F-35B está sendo extensivamente testado. (Foto: WSJ)

O anúncio foi um impulso à Lockheed Martin e para o programa do Joint Strike Fighter de US$ 382 bilhões, que tem sido assolada por excesso de custos e atrasos de desenvolvimento. O programa é o mais caro programa de armas do Pentágono.

No ano passado, o então secretário de Defesa, Robert Gates, colocou a variante da aeronave F-35 do Corpo de Fuzileiros Navais, conhecida como F-35B, em período de comprovação por um período de dois anos, ameaçando cancelar o projeto da aeronave a menos que os problemas técnicos fossem resolvidos.

No levantamento do estágio do programa nessa sexta-feira, Panetta citou “suficiente” e do progresso “real” para corrigir alguns problemas com a aeronave. “Isso não quer dizer que não temos um longo caminho a percorrer”, Panetta disse durante uma visita a Estação Naval de Patuxent River, no sul do Maryland, onde a aeronave tem sido testada extensivamente.

O caça F-35B começou a ser entregue para os Fuzileiros Navais dos EUA no começo de 2012. (Foto: Lockheed Martin)

O modelo F-35B é o mais complexo dos três jatos F-35 em desenvolvimento. Ele pode decolar de pistas curtas e pode pousar verticalmente como um helicóptero. Autoridades disseram que a formação da frota começará em 2012.

O general James Amos, comandante dos Fuzileiros Navais, e outros líderes do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA têm elogiado o F-35B como uma necessidade contra potenciais rivais. Pode ser lançado de navios anfíbios, garantindo que os EUA não esteja dependente de porta-aviões para projetar seu poder ao redor do globo.

Panetta não destacou a China, mas ele disse: “Este caça de quinta geração é absolutamente vital para a manutenção de nossa superioridade aérea e vai permitir o tipo de operações vitais de que precisamos” para combater qualquer tentativa de deter o poder dos EUA.

Autoridades do Pentágono frequentemente apontam para o desenvolvimento de sistemas de armas da China que podem impedir a livre circulação de militares dos EUA como um desafio potencial para o domínio naval dos EUA no Pacífico, incluindo mísseis balísticos de longo alcance projetados para forçar as companhias aéreas dos EUA a ficar mais longe das suas costas.

A decisão de levantar a provação vem num momento crítico para a Lockheed Martin à frente do lançamento na próxima semana, de alguns detalhes do orçamento de defesa dos EUA de 2013.

“É mais uma afirmação de apoio para o programa”, disse Steve O’Bryan, vice-presidente de Integração do Programa e Desenvolvimento de Negócios do F-35, numa coletiva com jornalistas, semanas depois que ele ganhou uma competição para fornecer jatos para o Japão.

O’Bryan reconheceu a necessidade de mais testes este ano, incluindo vôos em velocidades mais altas e testes de bombardeios. A Lockheed ainda tem que superar um problema de design com o gancho usado para pousos porta-aviões. O’Bryan disse que estava confiante de que este estará pronto para o primeiro teste embarcado, em 2013.

A encomenda de 60 jatos pela Itália é a única para o modelo F-35B junto com os 340 planejados para o Pentágono. O’Bryan disse que havia “mais interesse no exterior.”

Aumentar a carteira de pedidos é fundamental para reduzir o custo médio do F-35, que a Lockheed estima em cerca de 65 milhões dólares ao longo da vida do programa. Os aviões iniciais estão custando o dobro.

Fonte: Wall Street Journal – Tradução: Cavok

 

VÍDEO: Lockheed EC-121T Warning Star realiza seu último voo antes de virar peça de museu

Após ficar mais de 15 anos no solo e passar por outros 7 anos de restauração, a aeronave Lockheed EC-121T Warning Star Super Constellation (Connie), matrícula AF 53-0548, realizou seu último voo no dia 14 de janeiro de 2012, voando entre Camarillo e Chino, na California. A aeronave agora pemanecerá na exposição estática no Yanks Air Museum, conhecido como a meca dos warbirds nos EUA. Veja a seguir o vídeo da decolagem em Camarillo, para seu voo de translado final.

A aeronave EC-121T era usado como sistema de alerta aéreo antecipado embarcado (AWACS) na USAF antes da entrada dos Boeing E-3 Sentry, voando missões 24 horas por dia, incluindo em voos sobre o Pacífico, além de Taiwan, Coreia do Sul e Islândia, além de ter participado da Crise de Mísseis em Cuba. Infelizmente, todo esforço de restauração foi para levar a aeronave para realização do último voo, sem chances de ver a aeronave em voo nas dezenas de shows aéreos pelos EUA.

Dica do amigo Ricardo Pereira. Obrigado ;-)

 

Aviação Virtual

Virtual Marco Ferreira
Aumentando a “realidade” do seu simulador com o A-29 Super Tucano e o Track IR
Saiba como ter o addon do Super Tucano no seu FSX e conheça o dispositivo Track IR para aumentar a realidade de seu voo virtual.

Histórias da Aviação Comercial

Virtual Marcelo Magalhães
Um Boeing 707 voando há mais de 50 anos
Conheça a trajetória de mais de 50 anos de operação de um Boeing 707-138B que atualmente está voando na África.

Asas Antárticas

Virtual Oswaldo Claro
Sempre alerta
Vocês sabiam que a FAB mantém equipamento e pessoal em alerta 24 horas em TODOS os seus esquadrões? Saiba mais aqui.

Notice: Undefined offset: 0 in /home/content/05/8942405/html/blog/wp-content/themes/ifeaturepro/core/actions/twitterbar-actions.php on line 90

No tweets to display