Um Boeing 777-200LR pegou fogo na última quarta-feira no aeroporto de Delhi enquanto estava sendo preparado para um voo para São Francisco. Representantes da Air India o chamaram de “pequeno acidente”.

A frota de aeronaves Boeing 777 da Air India sofreu um novo golpe na noite da última quarta-feira, quando uma de suas aeronaves pegou fogo durante a manutenção de rotina no Aeroporto Internacional Indira Gandhi, em Delhi.

A unidade de energia auxiliar (APU) da aeronave B777-200LR, registro VT-ALF, pegou fogo durante a manutenção no sistema de ar-condicionado quando estava sendo preparada para o voo Delhi-São Francisco, um dos mais longos do mundo. Autoridades da Air India disseram que foi “um pequeno acidente”.

“Ontem à noite, em Delhi, quando um engenheiro estava fazendo um exame técnico de rotina de uma aeronave vazia (777), o desligamento automático da APU ocorreu. O pessoal dos bombeiros do aeroporto observou fumaça preta do escapamento da APU e acreditou que era um incêndio com risco de explosão e cobriram a APU e parte da fuselagem com spray de espuma ”, disse um comunicado da companhia aérea.

Falta de recursos

A Air India possui 18 Boeing 777 – 15 777-300ER e 3 777-200LRs. Três deles foram “groundeados” por cerca de um mês devido à falta de recursos para manutenção.

“Não havia fundos para comprar peças de reposição e continuar operando essas aeronaves. No entanto, agora, estamos simultaneamente comprando peças sobressalentes e coletando-as para trazer os B777s aterrados de volta à frota nos próximos dias”, disse uma fonte da Air India.

De acordo com outro funcionário da Air India, as negociações também estão entre a companhia aérea nacional e o Banco do Estado da Índia para operar aeronaves em cinco rotas internacionais que foram levados pela Jet Airways antes que problemas financeiros forçassem a “aterrissagem” da companhia aérea.

A Jet Airways possui 10 Boeing 777-300ERs, e a autoridade disse que a Air India planeja alugá-las.

Os pilotos dizem que a questão não é a qualidade da aeronave ou a idade – a que pegou fogo na quarta-feira tem apenas oito anos de idade. O capitão NK Beri, da Air India, disse que a vida útil de um Boeing 777 é de cerca de 25 a 30 anos. “Há jumbos (747), que têm 50 anos e ainda estão operacionais”, disse ele.

Em setembro de 2018, o voo IA 101 da Air India entre Delhi e Nova Iorque – operado por um Boeing 777-300ER de nove anos, sofreu uma falha múltipla em seus sistemas, forçando um pouso de emergência que foi classificado como “milagroso”.

O capitão Rustom Palia, que comandou o voo e recebeu elogios pelo pouso, disse que os problemas são unicamente devidos a falta de dinheiro. “Desde que as aeronaves sejam mantidas adequadamente, elas podem continuar a voar. Mas a manutenção de aeronaves é um negócio caro, por isso tem mais a ver com finanças e nada a ver com o projeto dos 777s ”, disse Palia.

Charles Price, piloto de 777 em outra companhia, disse: “Se a Air India não tem fundos para comprar peças de reposição, isso não é um problema de aeronave. Todas as aeronaves exigem peças de reposição no dia a dia, a manutenção é geralmente feita trocando unidades e enviando a peça usada de volta para revisão geral.

Problemas financeiros da Air India

A Air India tem uma dívida de US$ 8,4 bilhões. O painel ministerial liderado pelo ministro das Finanças, Arun Jaitley, aprovou a venda da subsidiária Air India Air Transport Services, enquanto também havia planos de vender outra subsidiária, a Air India Engineering Services, para reduzir o peso da dívida da companhia aérea. Em 2018, a Air India chegou a lançar licitações para vender suas propriedades em todo o país.

Em seu relatório anual para 2017-18 , a Air India já havia declarado que, para reverter seu desempenho, eliminaria gradualmente sua antiga frota. Isso, reduziria os custos de manutenção, o que seria seguido por uma redução no emprego contratual e nas agências terceirizadas. Também disse que introduziria uma nova frota em várias rotas domésticas e internacionais, aumentando assim o apelo dos passageiros.


FONTE: ThePrint, edição CAVOK.

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. Na Índia caem anvs militares numa quantidade muito acima da média de outros países, fogo no porta-aviões essa semana, e agora acidentes constamtes com anvs civis, só demonstra (na minha opinião) que um país com uma população tão grande passando fome, é absurdo gastarem tanto e tão mal (leia-se CORRUPÇÃO) com caças, foguetes, porta-aviões etc.

  2. A incapacidade gerencial dos indianos, principalmente do governo, é algo que preocupa o mundo, afinal, a Índia tem um arsenal nuclear.

Comments are closed.