AJ-1_convoo midwayO Savage foi originalmente construído para a Marinha dos Estados Unidos como um bombardeiro estratégico baseado em porta-aviões.

XAJ-1 Savage

XAJ-1 Savage
XAJ-1 Savage em voo em 1948.

O North American AJ Savage foi originalmente construído para a Marinha dos Estados Unidos como um bombardeiro estratégico baseado em porta-aviões.

Em 13 de agosto de 1945, apenas uma semana após a primeira bomba atômica ser lançada sobre Hiroshima, a Marinha iniciou um concurso de design para uma aeronave de ataque com base em porta-aviões que seria capaz de transportar uma carga útil de 4.535 kg, que nada mais era que o peso da a “Fat Man“, a bomba de plutônio que explodiu sobre Nagasaki.

A empresa North American entrou no concurso com o seu projeto NA-146. Era um avião grande, de asa alta e com uma envergadura de mais de 23 m e um comprimento de 20,79 m. Era propulsionado por um par de motores Pratt & Whitney radial refrigerado a ar R-2800-44W montados em naceles nas asas, cada um dos quais giravam uma grande hélice de quatro pás. Um motor a jato General Electric J33 foi montado na fuselagem traseira. Este motor de jato se destinava a ser usado durante a decolagem, para alta velocidade sobre o alvo e bem como em caso de falha de um dos motores a pistão.

XAJ-1

A entrada de ar para o motor a jato foi localizada logo à frente do estabilizador vertical. A ingestão foi coberta por uma porta que se abria durante o funcionamento. O jato de escape estava localizado na parte inferior da fuselagem traseira por baixo do estabilizador vertical. A tripulação de dois sentavam-se lado a lado. O avião não levava nenhum armamento defensivo, dependendo somente do seu alto desempenho para evitar a interceptação.

O trem de pouso principal tinha duas rodas cada e era ligado às naceles do motor, recolhendo para trás em alojamentos na parte traseira das naceles. O trem do nariz tinha um único pneu e retraía para a parte traseira de um nariz bem achatado. O gancho de parada foi acoplado na parte inferior da cauda, na parte traseira do tubo de escape do motor a jato.

Um AJ-2 reabastece um F7U Cutlass.
Um AJ-2 reabastece um F7U Cutlass.

No início, parecia que o programa AJ Savage nunca poderia se concretizar. A Força Aérea dos Estados Unidos havia sido criado como um serviço separado e independente, em setembro de 1947. Quase imediatamente, a nova USAF se envolveu em uma rivalidade com a Marinha dos Estados Unidos sobre os papéis que cada um iria desempenhar no fornecimento de um elemento de dissuasão nuclear da Guerra Fria, que naquele tempo estava apenas começando.

A USAF, naturalmente, pensou que a dissuasão nuclear era estritamente sua responsabilidade, o que ela fornecia através de sua frota de bombardeiros estratégicos B-36 de longo alcance, B-29 e B-50.

A Marinha, com medo de que ela estivesse prestes a perder a capacidade nuclear, propôs uma frota de aeronaves de ataque nuclear baseadas em porta-aviões.

prototype

aviões.

A Força Aérea era radicalmente contra o programa da Marinha. Depois de muito debate, em 1948, o Secretário de Defesa James V. Forrestal anunciou um acordo sob o qual a USAF teria a responsabilidade primária para a entrega de armas nucleares, mas a Marinha iria ser autorizada a continuar com o desenvolvimento de sua força de ataque nuclear própria.

Em 24 de junho de 1946, a Marinha encomendou três protótipos sob a designação XAJ-1. Doze aeronaves de produção foram contratadas. A nova aeronave foi atribuído o nome de Savage. Mais 28 unidades foram encomendados em maio de 1948.

O primeiro protótipo saiu da fábrica, em junho de 1948, e decolou em seu voo inaugural em 03 de julho de 1948. O programa de teste de voo não foi sem problemas, perdendo-se a segunda e a terceira aeronaves em acidentes devido a falhas estruturais.

AJ-1 Savage

AJ-1 no convoo do USS Wasp em 1954.
AJ-1 no convoo do USS Wasp em 1954.

A primeira versão de produção do Savage foi o AJ-1. Era diferente do protótipo por ter uma série de melhorias estruturais. O número de membros da tripulação foi aumentado para três. As pontas das asas e da cauda vertical dobravam para melhor armazenamento a bordo do porta-aviões. Embora os primeiros exemplares mantivessem o dossel deslizante do protótipo, este foi mais tarde substituído por um dossel fixo, moldado. Tanques de combustível montado na ponta de asa foram adicionados para aumentar o alcance.

A primeira AJ-1 voou em maio de 1949. A primeira decolagem de um AJ-1 de um porta-aviões foi em 21 de Abril de 1950, a partir de convés do USS Coral Sea e o primeiro pouso enganchado num porta-aviões foi em 31 de agosto.

O AJ-1 entrou em operação em setembro de 1949. Um total de 55 AJ-1 foram construídos.

Muitos AJ-1 foram reconstruídos como AJ-2. Os AJ-1 sobreviventes foram redesignados A-2A em 1962, no âmbito do novo sistema de designação unificada.

AJ-2P Savage

AJ-2P_Savage
AJ-2P_Savage

A próxima versão de produção do Savage era uma aeronave muito melhorada, especializada para o reconhecimento fotográfico. Ela foi inicialmente designada AJ-1P. O primeiro AJ-1P foi resultou da conversão de um AJ-1. Uma ordem para 23 aparelhos foi colocada em 18 de agosto de 1950, mas logo a designação foi alterada para AJ-2P.

A AJ-2P diferia do AJ-1 por ter um compartimento de bombas redesenhado que carregava câmeras de reconhecimento fotográfico no lugar de bombas. Talvez a diferença mais notável foi o nariz com a instalação de uma câmera K-38 voltada para a frente no lugar do radar, dando a aeronave um “queixo” distinto. Foram utilizados motores melhorados R-2800-48 e J33-A-10. O estabilizador vertical foi aumentado em cerca de 30 cm. Os elevadores do AJ-1 tinham um diedro distinto, mas no AJ-2P não.

Um Savage se aproxima de uma barreira durante pouso de emergência.
Um Savage se aproxima de uma barreira durante pouso de emergência.

No AJ-2P um quarto membro da tripulação foi adicionado, com o assento extra no convés superior a ré. Os quatro membros da tripulação eram o capitão do avião, comandante de foto, navegador da foto e técnico de fotografia.

AJ-2 Savage

As melhorias introduzidas na AJ-2P foram usadas em uma nova e melhorada versão de ataque designado AJ-2.

Em 14 de agosto de 1950, a Marinha emitiu um contrato para a conversão de 42 AJ-1 originais para o padrão AJ-2. Em 14 de fevereiro de 1951, a Marinha ordenou um adicional de 55 novos AJ-2.

Embora o AJ Savage tenha sido originalmente construído como uma aeronave de ataque, ela estava destinada a não servir muito nesse papel e nunca viu nenhum combate. O AJ Savage rapidamente se tornou obsoleto logo que o A3D Skywarrior se tornou disponível, bem como outras aeronaves de propulsão a jato. Em vez disso, muitos Savages foram convertidos como aviões-tanque. O motor a jato foi removido. Aviões-tanque AJ-2 serviram por vários anos com a maior parte dos esquadrões de ataque pesado a bordo dos porta-aviões.

Em 1960, a maioria dos Savages havia sido removida do serviço ativo da Marinha e substituídos por A-3K Skywarriors. Em 1962, AJ-2 sobreviventes foram redesignados A-2B sob o novo regime de designação unificada.

Muitos Savages excedentes acabaram no serviço civil como aviões de combate a incêndio.

AJ-3 Savage

aj-3

O Savage foi um grande avião para tentar se mover em um deck repleto de aeronaves, onde ‘espaço’ é um prêmio. A fim de resolver isso, foi solicitada uma versão menor e mais compacta do Savage, designado como AJ-3.

O AJ-3 era para ter tido uma envergadura menor e seria mais curto, mas a proposta nunca passou da fase inicial do projeto.

savage


North American AJ-2 Savage

Propulsão: Dois motores refrigerados a ar Pratt & Whitney R-2800-44W radiais com 2.300 hp a 30.000 pés e um motor turbojato Allison J33-A-10 com 2.000 kg de empuxo seco.

Desempenho: Velocidade máxima de 720 km/h em 34 mil pés, 575 km/h ao nível do mar. Velocidade de cruzeiro: 418 km/h. Velocidade de pouso: 190 km/h.

Teto de Combate: 41.500 pés (12.650 m)

Taxa de subida inicial: 3.050 ft/min (929,64 m)

Alcance de 3.900 km com uma carga de bombas de 1.450 kg e um par de tanques de combustível nas pontas das asas de 300 litros. Alcance máximo: 4.900 km.

Dimensões: Envergadura 21,78m; comprimento 19,23 m; altura de 6,55m;

Pesos: Vazio: 13.970 kg; Carregado: 22.950 kg; Máximo de decolagem: 24.500 kg.

Armamento: carga máxima ofensiva: 5.440 kg; Nenhum armamento defensivo.


FONTES:

joebaugher.com/usattack;

forums.ubi.com;

Bombardeiros A Jato, Michael Taylor, Editora Ao Livro Tecnico S/A; 1983;

AJ-1 Savage, Steve Ginter


IMAGENS: Internet e coleção particular do Editor.


ANTERIOR: Douglas Skyraider A-1

 

PRÓXIMO: Douglas A-3 Skywarrior


Anúncios

19 COMENTÁRIOS

  1. bonitão, olhem so a relação abaixo de usuarios da familia do motor Pratt & Whitney R-2800, isso por si explica a enorme quantidade de aparelhos na epoca, uma prova da confiabilidade do propulsor, Por acaso ele chegou a lançar alguma bomba nos testes que os americanos realizaram
    Brewster XA-32
    Breguet Deux-Ponts
    Canadair CL-215
    Canadair C-5 North Star
    Consolidated TBY Sea Wolf
    Convair 240, 340, and 440
    Curtiss P-60
    Curtiss XF15C
    Curtiss C-46 Commando
    Douglas A-26 Invader
    Douglas DC-6
    Fairchild C-82 Packet
    Fairchild C-123 Provider
    Grumman AF Guardian
    Grumman F6F Hellcat
    Grumman F7F Tigercat
    Grumman F8F Bearcat
    Howard 500
    Lockheed Ventura/B-34 Lexington/PV-1 Ventura/PV-2 Harpoon
    Lockheed XC-69E Constellation
    Martin B-26 Marauder
    Martin 2-0-2
    Martin 4-0-4
    North American AJ Savage
    North American XB-28
    Northrop XP-56 Black Bullet
    Northrop P-61 Black Widow
    Northrop F-15 Reporter
    Republic P-47 Thunderbolt
    Sikorsky CH-37 Mojave
    Sikorsky S-60
    Vickers Warwick
    Vought F4U Corsair
    Vultee YA-19B

  2. Valeu, Giordani!, gostei muito da foto do AJ-2 reabastecendo um F7U Cutlass. Gosto do F7.

  3. BOA NOITE,SOU NOVATO AQUI.MAS UM APAIXONADO POR AVIÕES MILITARES E PLASTIMODELISTA(SOFRÍVEL); ACHO BELÍSSIMA ESTA AERONAVE MAS MUITO DIFÍCIL DE ENCONTRAR NA ESCALA 1:72; QUANDO SE ACHA,CUSTA OS TUBOS(SOU MILICO,NÃO GANHO TÃO BEM ASSIM KKKK).
    SE POR ACASO ALGUM DOS ILUSTRES SENHORES SOUBEREM DE ALGUM NESTA ESCALA E QUE SEJA BARATO, FICAREI MUITO GRATO

Comments are closed.