Os 11 helicópteros Kaman SH-2g(I) Super Seasprite aguardando compradores dentro de um prédio de armazenagem na unidade da Kaman Corporation, em Bloomfield. Na foto, Bob Manaskie, Gerente Geral do Grupo de Pós-venda de Helicópteros, caminha defronte os helicópteros para inspeção de rotina. (Foto: Stephen Dunn / Hartford Courant)

Sedentos por novos helicópteros, governos pelo mundo todo enchem os fabricantes com pedidos gigantes. A grande demanda das forças militares dos Estados Unidos sozinhas colocaram a fabricante norte americana de helicópteros Sikorsky a se tornar a maior do mundo, gerando serviço para todos seus fornecedores – incluindo a Kaman, de Bloomfield, a qual fabrica os cockpits para os modelos de helicópteros Black Hawk e Seahawk, além de outras peças, e também de outros projetos com outras empresas. Apesar disso, a Kaman está lutando para conseguir revender um lote de seus helicópteros, 11 sofisticados, e recém fabricados SH-2G Super Seasprites.

Atualmente, dez desses helicópteros anti-submarino estão dispostos lado a lado num depósito de 82 hectares em Bloomfield, seus 44 rotores estão armazenados em tubos especiais e outras partes em caixas ao lado dos helicópteros. A 11ª aeronave, de demonstração, é mantida fora do depósito para apresentação a possíveis compradores.

É um raro caso de um fornecedor militar global que faz propaganda de um mesmo equipamento militar pela segunda vez — após o governo da Austrália voltar atrás em um acordo antigo — e poder oferecer quase que imediatamente para o mercado. Sal Bordonaro, presidente da divisão de helicópteros Kaman, colocou o preço por um terço do valor normal da aeronave. Estima-se que cada helicóptero esteja por um valor entre US$ 8 milhões a US$ 15 milhões.

O Governo Australiano pagou cerca de US$600 milhões pelas aeronaves, incluindo peças sobressalente, um simulador de voo, suporte operacional e outros materiais. Mas após uma longa disputa, a Austrália chegou num acordo no início de 2008 para devolver todas as 11 aeronaves — sem recuperar grande parte do seu investimento. As aeronaves tinham um valor unitário original de US$ 40 milhões, incluindo os custos de desenvolvimento dos sistemas, de acordo com a Kaman. Segundo especialistas, pagar US$ 15 milhões por cada helicópteros pode ser uma barganha.

Destinado a operar a partir de navios, os helicópteros bi-turbinas Super Seasprite podem ser equipados com mísseis, torpedos, cargas de profundidade e metralhadoras, e podem transportar até 6 passageiros. Projetado para vigilância marítima, guerra submarina, missões de busca e salvamento, além de outras missões navais, eles podem voar numa velocidade de até 173 mph. Controles avançados com telas touch-screen permitem que duas pessoas possam operar a aeronave, ao invés de três para um helicóptero Seasprite tradicional. Um simulador de voo com todos movimentos também está disponível para venda

Atualmente existem apenas três operadores de helicópteros da Kaman — Egito, Nova Zelândia e Polônia, os quais operam no total 18 aeronaves. Os executivos da Kaman dizem que estão focando as vendas para esses três e outros três potenciais compradores, mas também estão preparando propostas para nações da OTAN e outras naçoes no sudoeste da Ásia, América do Sul e no leste europeu. A Kaman está atualmente efetuando uma completa reforma em nove helicópteros do Egito.

A Austrália reclamava que a Kaman havia falhado na entrega de alguns sistema avançados de softwares das aeronaves. A Kaman reconheceu isso e atribuiu o atraso a um subcontratado, e disse que o trabalho havia sido completado.

A Kaman nega que as aeronaves fossem inseguras, como os australianos alegaram, afirmando que os militares norte americanos usaram versões anteriores por décadas sem nenhum problema sério. Como parte do acordo de 2008, a Kaman perdoou uma dívida de US$ 30 milhões que a Austrália ainda devia, e prometeu devolver mais US$ 25 milhões se conseguir revender as 11 aeronaves.

A Kaman levou uma dessas aeronaves para feiras militares em 2008 e 2009 em busca de compradores, mas até o momento não houveram interessados. Mas ele garante que ainda tentará por anos revender os 11 helicópteros antes de desmontá-los e reutilizar as peças que forem possíves.

Fonte: The Hartford Courant – Tradução e Adaptação do Texto: Cavok

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. hi, i want show my product to business, please used translator: revolução aerea comercial ,novos tipos de helicópteros com segurança de vôo durante o sinistro,uma nova tendência no mercado aéreo, o meu invento propõe capsula coletiva com paraquedas nas aeronaves do tipo helicópteros e aviões de grande porte, já em outros paisas propõe simplesmente o paraquedas, estou procurando fabricantes interessados na modernidade .

Comments are closed.