O helicóptero Mi-17 “417” da Força Aérea da Bulgaria era o último remanescente da frota.

Um helicóptero Mi-17 da Força Aérea da Bulgária caiu na noite do dia 11 de junho (hora local), na base aérea de Plovdiv, em Krumovo. Ambos os pilotos morreram no local e um militar a bordo ficou gravemente ferido.

O incidente ocorreu quando o Mi-17 (matrícula 417) realizava um voo pairado de treinamento, a cerca de 50 metros acima do solo, quando inesperadamente balançou bruscamente e bateu no solo, pegando fogo logo em seguida.

“Dois tripulantes – o comandante e o co-piloto morreram na queda do helicóptero. O terceiro membro da tripulação – um mecânico do esquadrão – foi imediatamente transportado para o hospital, e estava consciente”, disse o ministério de defesa da Bulgária em um comunicado.

O helicóptero pertencia ao Esquadrão de Aviação Rotativa 24 na base em Plovdiv, e tinha acabado de ser revisado. Com o acidente, a Força Aérea da Bulgária perdeu seu último Mi-17 operacional, que era usado principalmente para combate a incêndios em terrenos de difícil acesso.

O acidente é o segundo acidente mortal envolvendo um helicóptero militar búlgaro nos últimos 12 meses. Um helicóptero Panther da marinha búlgara caiu no Mar Negro durante um exercício militar na costa de Varna, em junho de 2017.

O equipamento militar antiquado da Bulgária, cuja maior parte foi fabricado na União Soviética, causou tensões nas forças armadas, com pilotos da principal base aérea do país, de Graf Inativo, se recusando a pilotar aviões MiG-29 em outubro por preocupações de segurança.

3 COMENTÁRIOS

    • Mas pela queda deste helicópteros não pode julgar o estado dos equipamentos das forças búlgaras ,eles perderam se não me engano só este helicóptero este ano….os Americanos perderam quase 10 aeronaves só este ano, e nem por isso sua força e absoluta , afinal só cai quem voa não……

      • Me referi mais as quantidades, sendo este que caiu o último Mi-17 operacional da Bulgária. Agora segundo o Flight Global, restando apenas 2 Mi-24 que foram recolocados em condições de voo, e 12 AS532 Cougar nas asas rotativas da Força Aérea Búlgara. E eu digo quantidade e qualidade de meios, porque depois da Bulgária, só tem alguns quilômetros de Mar Negro até a Criméia, território este que pertence a Rússia agora. Isso que me refiro como "o estado" deste país membro da OTAN.