No próximo dia 27 de dezembro, o último esquadrão de MiG-27 da Força Aérea indiana será desativado. O caça ganhou o apelido de ‘Bahadur‘ devido ao seu bom desempenho durante a Guerra de Kargil.Para os indianos, o MiG-27 provou ser um “ás” na missão de ataque durante a guerra de Kargil em 1999 e que recebeu o apelido de ‘Bahadur‘ dos pilotos, será retirado de serviço na próxima sexta-feira (27) quando o último esquadrão composto por sete aviões fizer uma cerimônia de despedida na base aérea de Jodhpur.

A Força Aérea indiana atualmente é o único usuário do MiG-27 no mundo, mas isto só até o dia 27. Jodhpur abrigava dois esquadrões de MiG-27, dos quais um foi desativado no início de 2019.

O MiG-27 entrou em serviço com a Força Aérea indiana em 1984. No total a HAL fabricou  sob licença 165 jatos. O Bahadur esteve envolvido em vários acidentes. Cerca de 10% frota foi perdida.

Caça MiG-27 “Flogger” da Força Aérea da Índia.

A guerra de Kargil foi travada entre a Índia e o Paquistão de 3 de maio a 26 de julho de 1999 em um dos campos de batalha mais altos do mundo. Mais de 500 soldados indianos foram mortos em ação. O Paquistão perdeu mais de 700 soldados. A primeira perda indiana foi um MiG-27 no dia 27 de maio quando o motor do jato apresentou uma falha técnica.  Ao ejetar, o piloto foi capturado. Um MiG-21 que fazia a escolta desceu para averiguar o local da queda e foi abatido por um MANPADS (man-portable air-defense systems) paquistanês.

Os alvos em Kargil estavam a 4.800 m a  5.500 m. A maioria das aeronaves e armas não são projetadas para serem usadas em altitudes tão elevadas. O MiG-27 mostrou-se muito bem no conflito, lançando suas armas de uma altitude de 9.000 m.


FONTES: The Economic Times; India Today


NOTA DO EDITOR: Bahadur é um termo mongol para “guerreiro”.

Anúncios

5 COMENTÁRIOS

  1. "Fabricado" sob licença na Índia e mesmo assim perderam só 10% das unidades em acidente ? Um milagre…

  2. A IAF não vai aposentar nada. O avião está se aposentando sozinho…

  3. Certa vez li que os pilotos da USAF que testaram o MiG-27 se surpreenderam com o avião, pois ele era mais perigoso para o piloto do que para o inimigo. O motor tinha um limitador de velocidade, pois era propenso a explodir. O motor era tão bruto que o MiG-27 era capaz de Mach 2 a baixíssima altitude!

Comments are closed.