A aeronave CS300 recebeu sua nova pintura e designação junto a Airbus: A220-300. (Foto: Airbus)

A Airbus revelou hoje que os jatos C Series serão a nova Família A220 em uma cerimônia realizada em seu Centro de Entrega Henri-Ziegler, perto de Toulouse. Testemunhado por funcionários da Airbus e membros da mídia global, o primeiro A220-300 pousou diretamente da linha de pintura às 12h25, usando seu novo nome e cores Airbus.

A família A220 compreende dois modelos, o A220-100 e o A220-300, anteriormente os CS100 e CS300 da C Series da Bombardier, respectivamente. As aeronaves são totalmente otimizadas para o mercado de 100 a 150 assentos e complementam perfeitamente a família A320neo, a mais vendida da Airbus.

Cabine de comando do A220-300.

“Todos na Airbus estão ansiosos por esse momento histórico. Hoje, estamos entusiasmados em receber a Família A220 na Airbus e estamos honrados em vê-la usando suas novas cores Airbus pela primeira vez”, disse Guillaume Faury, Presidente da Airbus Commercial Aircraft, “presto homenagem a todas as mulheres e homens da Bombardier e a cadeia de suprimentos que lutaram nos últimos anos para trazer esta fantástica aeronave para o mundo. As aeronaves A220 agora entram em uma nova fase em sua carreira com todos os recursos da Airbus por trás dela para promover seu sucesso comercial em todo o mundo”.

Interior do Airbus A220-300.

Eric Schulz, Diretor Comercial da Airbus, acrescentou: “Estamos entusiasmados com a venda dos A220 graças, em particular, à sua tecnologia, que lhe dá uma vantagem decisiva em um mercado muito competitivo. Recebi muitos comentários positivos dos clientes em relação à excelente experiência de passageiros da aeronave, sua menor queima de combustível, menor peso e motores mais silenciosos. Todas estas razões contribuem para o meu otimismo de que a Airbus apoiará o objetivo de tornar o A220 um grande sucesso comercial”.

A Airbus fabrica, comercializa e suporta aeronaves da Série C sob a égide da parceria Airbus-Bombardier, com os dois jatos da Série C da Bombardier sendo trazidos para a linha de aeronaves comerciais da Airbus.

As aeronaves da Série C têm mais de 99 por cento de partes comuns entre elas, bem como a mesma classificação do tipo de piloto, facilitando a adição da família à frota de uma companhia aérea. Juntas, as aeronaves Série C são as mais eficientes nos céus de sua classe, com um baixo custo por viagem, bem como os níveis mais baixos de ruído de qualquer jato comercial em produção. Isso torna as aeronaves da Série C ideais para operações urbanas e aeroportos sensíveis ao ruído.

Anúncios

31 COMENTÁRIOS

  1. Caros colegas!
    Sou completamente leigo no assunto, sendo apenas um curioso. Mas acho que se a EMBRAER não abrir os olhos desta vez, poderá "ir pro saco" de uma maneira (sendo comprada e assimilada pela BOEING), ou de outra (com a perda de mercado).
    A força comercial da AIRBUS só tem equivalência na BOEING mesmo. E não é coisa inventada da minha cabeça kkkkk!
    Vejam a reportagem: https://epocanegocios.globo.com/Mercado/noticia/2

    Peço seus comentários a respeito!

    • Essa matéria da Época é atípica matéria paga para tentar viabilizar o negócio Boeing-Embraer. rsrsrs

      "Vendas frenéticas". Putz. kkkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. Tá aí só mais uma justificativa para a joint venture. Airbus não veio para brincar com o Cseries. Seria uma morte lenta e dolorosa, para a Influência da Airbus e para as Chinesas, que dominam um grande mercado.

  3. Airbus agindo rapidamente no campo de marketing com a antiga linha da Bombardier – se a Embraer e Boeing demorarem à fundir sua linha comercial, os E-Jets serão fadados ao fracasso comercial, correndo o risco da Embraer nunca se recuperar do golpe.

  4. Bom dia a todos, também me considero um leigo no assunto mas concordo com o Eng_Batista esta notícia marca o inicio do fim da Embraer, caso ela não tome uma decisão definitiva, e não adianta ficar chorando sobre o leite derramado a Airbus veio jogando e jogando pesado.

  5. Bom dia a todos, também me considero um leigo no assunto mas concordo com o Eng_Batista esta notícia marca o inicio do fim da Embraer, caso ela não tome uma decisão definitiva, e não adianta ficar chorando sobre o leite derramado a Airbus veio jogando e jogando pesado.

  6. Airbus deu um golpe de mestre! Pegou a Bombardier com modelos realmente novos e, provavelmente, mais avançados do que os concorrentes, de modo que a Embraer se vê sem alternativa que não seja cair nos braços da Boeing…

  7. Uma curiosidade, vejam o padrão desta companhia chinesa de taxi aéreo VIP, a Deer Jet.
    Usam:
    Airbus ACJ319
    Boeing 787-8BBJ
    Dassault Falcon 7X
    Gulfstream IV
    Gulfstream V
    Gulfstream G200
    Gulfstream G450
    Gulfstream G550
    Raytheon Hawker 800
    Raytheon Hawker 850
    Raytheon Hawker 900
    . https://youtu.be/r15_6z9xryo

  8. O assunto inevitavelmente volta para a Join venture entre EMBRAER e Boeing, e em outro site li uma opinião que vale a pena reproduzir aqui:

    "Uma parceria pode até ser benéfica, mas não em termos leoninos como esse"

      • 80% para eles e 20% para nós é leonino!

        o justo seria 50/50 ou 51/49 para a gente.

        • SA é capital.

          Como se avalia uma empresa?

          Existem várias técnicas: valor de mercado (soma da negociação em bolsa), avaliação de patrimônio via balanço…

          Os dados da SA são públicos.

          A Embraer vale 1 Bi. A Boeing está botando 4 bilhões. A proporção é 20 e 80.

          Pra fazer 50/50, ou alguém entra pelo lado da Embraer com 3 bi ou a Boeing diminui a parte dela.

          Estão criando uma empresa cinco vezes maior que a Embraer atual e com muito mais recursos que a parceria Airbus-Bombardier.

          Ninguém coloca 4 bilhões para não fazer nada. Certamente há um grande projeto que o grupo Boeing pretende fazer.

          E as pessoas falando bobagem que o negócio é ruim e os caras criando um gigante de 5 bilhoes com sede no Brasil.

          • Como se avalia uma empresa? Exatamente como Trump avaliou a venda da Qualcomm. Simplesmente vetou.
            Em países civilizados, não se considera apenas a questão financeira. Ou de mercado.
            Deixe seu pensamento colonizado de lado e pense no melhor para o País.
            País no sentido das pessoas que aqui moram e trabalham.

            • Sua ignorância sempre surpreende.

              Empresas são compradas e vendidas todos os dias.

              O Canadá não esperneou com a Bombardier.

              Vc é um amante da China e gostaria de nos entregar para sermos escravizados por ela.

              Não fale em nome do nosso povo que vc ideia.

            • Entre dezenas de operações que acontecem de compra e venda todos os anos, o caso da Qualcomm é a quinta vez na história que uma venda é bloqueada.

              O motivo é óbvio. EUA não usam equipamento de rede fabricado na china, pois são chipados.

        • Não existe "nós". A Embraer é propriedade dos acionistas. Todos sabem quando a empresa vale. Nenhum acionista reclamou.

        • Justo para quem?
          Quase 1 ano de negociações, com vários atores envolvidos, diversas propostas e possibilidades.
          A resultante da negociação certamente não foi uma solução intempestiva.
          Especulo que o percentual está diretamente relacionado aos riscos assumidos. Em breve saberemos

Comments are closed.