Avião interceptado tinha saído da Bolívia e estava sem plano de voo. Ação faz parte da Operação Ostium, que reforça a vigilância no espaço aéreo nas fronteiras com a Bolívia e Paraguai.

Uma aeronave Embraer A-29 Super Tucano da Força Aérea Brasileira (FAB) interceptou um avião bimotor Seneca II, matrícula PR-EBF, com mais de 500 kg de cocaína, por volta das 14h (horário de Brasília), desta terça-feira (6/3), na região de Nova Fernandópolis (MT).

Três aeronaves A-29 foram usadas na interceptação.

A ação faz parte da Operação Ostium para coibir ilícitos transfronteiriços, na qual atuam em conjunto a Força Aérea Brasileira, a Polícia Federal e órgãos de segurança pública.

Três aeronaves de defesa aérea A-29 Super Tucano da FAB e um avião radar E-99 foram empregadas para monitorar e interceptar o avião proveniente da Bolívia.

Operação foi realizada em conjunto com a Polícia Federal e Polícia Militar do Mato Grosso.

O piloto de defesa aérea seguiu o protocolo das medidas de policiamento do espaço aéreo brasileiro, conforme estabelece a Lei 7565/1986 e o Decreto 5.144/2004, interrogando o piloto do bimotor, mas não obteve resposta. Nesse momento, a aeronave foi classificada como suspeita.

Aeronave estava com carga de cocaína.

Na sequência, o piloto de defesa aérea ordenou a mudança de rota e o pouso obrigatório no aeródromo de Cuiabá (MT), porém o piloto do avião interceptado não obedeceu. Quando a defesa aérea estava prestes a comandar o tiro de aviso, o avião interceptado realizou pouso forçado na área rural do município de Nova Fernandópolis (MT).

Um helicóptero da Polícia Militar do Mato Grosso foi acionado e transportou a equipe da Polícia Federal para fazer a abordagem da aeronave no solo.

Avião fez pouso forçado em Tangará da Serra após ser interceptado pela FAB.

“O objetivo do policiamento do espaço aéreo foi cumprido. Reforçamos a importância da apresentação de plano de voo para quem voa em nosso território”, disse o Comandante de Operações Aeroespaciais da FAB, Tenente-Brigadeiro Carlos Vuyk de Aquino.


Fonte: Agência Força Aérea, Ten Jussara Peccini – Fotos: FAB e Polícia Federal

4 COMENTÁRIOS

  1. Alguém sabe se o piloto foi preso? Temos que mudar as regras de engajamento, avião que não responde as ordem da aeronave interceptadora deve ser abatido, principalmente nestas rotas de armas e drogas. Portou fuzil, morre.chega de tolerância com a bandidagem. E quem consumir drogas poderiam voltar as penas de trabalho forçado, etc.

  2. Enfim 1 no ano se tudo correr conforme as estatísticas fecharemos o ano com umas 5.

  3. 1 a menos e ainda perderam o avião. E o meliante estava esperto, sabia que ia tomar tiro tiro e pousou. Agora tem que descobrir o dono do avião.

Comments are closed.