O mais novo A350-900 da China Airlines recebeu uma pintura exclusiva, em parceria com a Airbus. (Foto: A. Doumenjou / Airbus)

A China Airlines, de Taiwan recebeu sua mais nova aeronave A350-900, que possui uma pintura exclusiva que combina o distinto logotipo de flor de ameixa da companhia aérea com o exclusivo padrão de fibra de carbono A350 XWB da Airbus. Confira a seguir um vídeo de como foi o processo de pintura desta aeronave única.

Após essa entrega, a China Airlines possui hoje 14 aeronaves A350-900 em sua frota. A companhia aérea opera essas aeronaves em rotas de longa distância sem escalas, incluindo serviços de Taipei para a Europa e América do Norte, bem como em rotas selecionadas na região da Ásia-Pacífico.

Desde a entrada em serviço em 2015, o A350 XWB se estabeleceu como o novo avião líder de longo alcance na categoria widebodies de dois corredores. Mais de 200 aeronaves já estão em serviço em 22 companhias aéreas, voando principalmente em rotas de longa distância.

No final de setembro de 2018, a Airbus registrou um total de 890 pedidos firmes para o A350 XWB de 46 clientes em todo o mundo, tornando-se um dos mais bem sucedidos programas de aeronaves widebody de todos os tempos.

As inovações introduzidas com a Família A350 XWB incluem o mais recente design aerodinâmico, fuselagem e asas em fibra de carbono, além de novos motores Rolls-Royce econômicos em termos de combustível. Juntos, esses recursos se traduzem em níveis inigualáveis ??de eficiência operacional, com uma redução de 25% no consumo de combustível, em comparação com aeronaves de gerações mais antigas do mesmo tamanho, bem como custos de manutenção significativamente menores.

Anúncios

4 COMENTÁRIOS

  1. Não demora muito e a China dá um pé no traseiro de europeus e americanos. Vem aí o C919, C929, a despeito de toda a propaganda anti-China que se verá na mídia ocidental. Caiu a casa!

    • Caiu a aeronave chinesa e com frequência.

      A propósito, essa empresa é de Taiwan, seria bom ler o texto.

    • Fora da China quem comprará as avionetas xing-ling? Ademais cumpre lembrar que caso Europa e EUA apliquem sanções e impeçam exportações de motores e aviônicos elas ficam sem voar pois os chineses têm se mostrado incapazes de produzir turbofans aeronáuticos decentes e os similares russos estão aquém em performance.

      Como se vê não se trata de “propaganda anti-china” mas apenas a apresentação dos fatos, que os sinófilos teimam em não aceitar.

Comments are closed.