Airbus A330 MRTT da Força Aérea de Cingapura reabastece em voo um F-15.

A Airbus e Cingapura começaram o trabalho em uma aeronave A330 MRTT para o sistema de de reabastecimento aéreo automático (A3R) que deve receber a certificação até 2021.

O programa A330 SMART MRTT desenvolverá, certificará e implementará a capacidade de reabastecimento automático ar-ar (A3R), além de soluções de manutenção aprimoradas para o A330 MRTT.

O sistema A3R não requer nenhum equipamento adicional no receptor e visa reduzir a carga de trabalho do operador de reabastecimento aéreo, melhorar a segurança e otimizar a taxa de transferência de reabastecimento ar-ar (AAR) em condições operacionais para maximizar a superioridade aérea.

Depois que o sistema A3R é ativado pelo operador, o Sistema de Controle de Voo da lança se torna totalmente automatizado e progride para transferir combustível ao entrar em contato com o receptor. Durante esse processo, o operador simplesmente monitora a operação. No caso de uma anomalia devido a desvios de estabilidade do receptor ou mau funcionamento no avião-tanque, o sistema A3R pode desconectar e/ou liberar a lança do receptor com segurança.

O Airbus A330 MRTT da Força Aérea de Cingapura durante o Singapure Air Show 2020.

No lado do receptor, os pilotos que se aproximam do avião-tanque recebem dicas visuais do Pilot Director Lights (PDL) automatizado. Esse recurso permite operações mais eficientes, com transições mais suaves e minimiza o tempo durante o estado de acoplamento.

O desenvolvimento do A3R abre caminho para uma operação de reabastecimento aéreo totalmente autônoma.

Em julho de 2018, a Airbus demonstrou que o A3R era viável como um produto após a conquista do primeiro contato automatizado do mundo com um sistema de sonda. Em uma operação conjunta com a Real Força Aérea Australiana (RAAF), o avião-tanque de desenvolvimento A310 da empresa realizou sete contatos automatizados com um KC-30A (A330 MRTT) da RAAF, também fabricado pela Airbus.

Anúncios