A Airbus está negociando uma entrega prevista para este ano de aeronaves A380 para Emirates.

A Airbus está em negociações com a Emirates sobre o período de entregas de aeronaves A380 que foram construídas e estavam programadas para entrega neste ano, disseram fontes da indústria.

A Emirates e a Airbus concordaram há dois anos em adiar a entrega de 12 aeronaves A380; seis seriam entregues em 2018 em vez de 2017, e outros seis atrasariam de 2018 para 2019. A Emirates se recusou a dizer se algum desses jatos foi entregue.

“Essa é uma questão entre a Emirates e a Airbus”, disse uma porta-voz da Emirates. A Airbus também se recusou a comentar.

Algumas fontes do setor questionaram a capacidade da Emirates de absorver novos A380 nesta fase.

Uma fonte disse que a Emirates não precisa deles por enquanto e parou as entregas como parte dos esforços para gerenciar a capacidade.

A companhia aérea também está gerenciando uma falta de pilotos que a forçou a cancelar alguns voos este ano.

A Emirates não tem necessidade urgente para mais aeronaves A380. (Foto: Eric Gaillard)

A incerteza mais recente surge em meio a um impasse entre a Emirates e as fabricantes de motores sobre um contrato necessário para manter vivo o pedido da companhia neste ano para mais 36 aviões A380, cuja produção está ameaçada de fechamento caso o negócio desmorone.

Ela convidou a Engine Alliance, da General Electric-Pratt & Whitney, e a Rolls-Royce, da Grã-Bretanha, para concorrer.

Enquanto isso, a Airbus mudou a demanda pelo A330neo, outro modelo de venda lenta derivado do A330ceo.

A Kuwait Airways encomendou oito jatos neste mês, mas fontes disseram que o acordo envolveu a troca de jatos que seriam para a Hawaiian Airlines, que os cancelou e desertou para a Boeing.

Como parte do acordo, a Airbus deve permitir que o Kuwait cancele alguns pedidos de novos e mais caros A350, disseram eles.


Fonte: Reuters

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

  1. Em suma, a Emirates meteu o pé na jaca ao impulsionar este projeto megalômano e agora quer se livrar do compromisso por mais unidades do elefante branco A-380, que já demonstra não ter mais lugar no contexto atual.

  2. Se a China e a India tivesse condicoes melhores para seus habitantes, esses A380 cairiam como uma luva. Faltaria lugar e faria do A380 um sucesso.

  3. Dá até uma certa agonia em imaginar a pressão que o departamento de vendas da Airbus deve passar quando o assunto é essa 'jaca'. Projeto que reflete bem a arrogância francesa.

Comments are closed.