F-35A – crédito: Defence Blog

Um think tank¹ alemão está pedindo ao Ministério da Defesa da Alemanha que reconsidere o F-35 da Lockheed Martin como sucessor do PANAVIA Tornado do país.

Faz um ano que o F-35 foi eliminado da lista restrita de aeronaves de combate consideradas para a substituição do Tornado, que deixou apenas o Boeing F/A-18E/F Super Hornet e o Eurofighter Typhoon como opções. Mas nenhuma das aeronaves está qualificada para transportar a arma nuclear B61 que equipa o Tornado. 

Agora, a influente Sociedade Alemã de Política Externa (German Society for Foreign Policy – DGAP), argumenta que, para atender aos requisitos da missão nuclear, Berlim deveria “revisar” sua decisão original de considerar apenas o Super Hornet e o Typhoon, com os autores Heinrich Brauss e Christian Molling pedindo o F-35 a ser “incluído na análise e avaliação comparativas”, em um novo relatório publicado no dia 3 de fevereiro.

(Imagem: flugzeug-bild.de)

Os autores argumentam que, à luz da deterioração da situação de segurança na Europa, dada a invasão russa da Ucrânia e o lançamento de novos mísseis de cruzeiro russos que acabaram com o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário, a Alemanha precisa fazer “uma contribuição apropriada e confiável” Os componentes convencionais e nucleares da OTAN, fornecendo um “sucessor adequado para o Tornado em tempo útil”.

Os autores não sugerem que o F-35 seja a melhor escolha para substituir o Tornado, embora observem que a plataforma se tornará “a aeronave de combate para todos os planejamentos e procedimentos relevantes da OTAN nos próximos anos”.

Mas eles observam que a certificação do Typhoon para transportar a B61 “levaria muito tempo”, portanto pode não estar disponível como substituto para o Tornado a tempo. Eles também dizem que o Super Hornet poderia estar pronto para transportar a B61 até 2025, mas teria que ser acompanhado por outras aeronaves como o EA-18G Growler, aumentando os custos de operação. 

O relatório também põe em dúvida se o FCAS (Future Combat Air System – sistema futuro de combate aéreo) que a Alemanha está desenvolvendo com a França e a Espanha estará disponível para a missão de ataque nuclear com a B61.

Os autores também argumentam que a adoção do Typhoon como substituto do Tornado poderia prejudicar a flexibilidade, pois a Luftwaffe acabaria colocando sob responsabilidade em um modelo para todas as missões. 

A eliminação do F-35 da lista restrita foi em parte resultado do árduo lobby de Paris, que ameaçou encerrar a cooperação no programa FCAS se o caça dos EUA fosse selecionado. Acredita-se que o F-35 seja a aeronave escolhida por oficiais graduados da Luftwaffe., 

A Alemanha começaria a substituir seus Tornados a partir de 2025, mas o cronograma para a seleção e assinatura de um contrato está longe de ser certo. 

Em 2019, funcionários da Airbus disseram que esperavam que Berlim emitisse uma RFI (request for information – pedido de informações) atualizada sobre a substituição do Tornado.


FONTE: Aviation Week


¹Think tanks são instituições que se dedicam a produzir e difundir informações sobre temas específicos. Seus objetivos são influenciar ideias na sociedade e decisões na política. Em um mundo cujos problemas políticos e sociais são complexos e os cidadãos muitas vezes não têm tempo para se aprofundar nas discussões, os think tanks se apresentam como defensores de alguma solução. A expressão, do inglês, geralmente é traduzida para o português como “laboratório de ideias”. (FONTE: nexojornal.com.br)

Anúncios

4 COMENTÁRIOS

  1. Acho que os alemães não querem comprar problemas. Aqui mesmo, nesse site foi publicada uma matéria informando que o F35 ainda tem mais de 900 defeitos para serem reparados, sendo que 13 deles podem provocar mortes. O negocio é Typhoon e aguardar o FCAS.

  2. Acho mais negócio comprarem o Typhoon biposto ECR que a Airbus está propondo, mas não em grande quantidade enquanto esperam pelo FCAS. Essa questão de transportar bombas atômicas americanas…deveriam abdicar disso, já que não tem autonomia para as utilizarem, para que isso?

  3. Angela e Ursula sucatearam as forças armadas alemãs. Acredito que não estão preocupados com a Rússia. A principal fonte de renda russa ? a venda de gás para Alemanha, por isso pensam que a Rússia não será um problema.