A Alemanha quer adquirir os MALE Heron TP desenvolvidos por Israel.

A Alemanha está perto de finalizar um acordo que fará com que o país compre seu primeiro drone com armamentos – um modelo projetado por Israel – da gigante aeroespacial européia Airbus, de acordo com uma resposta do governo aos legisladores.

O acordo, avaliado em 900 milhões de euros (US$ 1,10 bilhão), incluindo treinamento e manutenção, tem sido politicamente controverso por temer que possuir drones de combate possa tornar a Alemanha mais propensa a participar de uma ação militar ofensiva no exterior.

“No momento, o objetivo é que o Parlamento considere (o acordo) e que a subsequente assinatura do contrato ocorra em breve, antes que a atual oferta vinculante expire”, disse o Ministério da Defesa da Alemanha em uma resposta escrita a perguntas do partido de oposição da esquerda. Os termos da oferta são vinculativos até 31 de maio, o que significa que o Parlamento deve aprovar o acordo nas próximas semanas.

A resposta do governo, datada de 12 de abril, acrescenta que o acordo prevê a implantação de drones em um teatro de operações por volta de meados de 2020.

“Agora temos a confirmação de que o Parlamento deve aprovar a compra de drones com capacidade de armas, provavelmente em meados de maio”, disse o parlamentar Andrej Hunko, do Partido da Esquerda, no sábado.

“É o ponto de partida para a Alemanha obter seus próprios drones de combate”, disse ele. “Nós nos opomos a isso porque os drones de combate afrouxam as restrições à guerra, reduzem o limiar das operações militares e não têm nada a ver com a defesa nacional”.

A ministra da Defesa, Ursula von der Leyen, quer que a Alemanha adquira o tipo de drones de combate já amplamente utilizados por seus aliados, mas o Partido Social Democrata de centro-esquerda bloqueou um acordo no Parlamento antes das eleições do ano passado. Depois de concordar em estender sua coalizão governamental ao bloco de centro-direita de Merkel por mais quatro anos, os social-democratas lançaram objeções à compra de drones sem armamentos, mas não está claro se apoiarão o armamento, o que exigiria um acordo separado.

Os drones são uma variante do Heron TP fabricado pela Israel Aerospace Industries. Eles são usados ??para missões de reconhecimento, mas também podem ser equipados com uma carga letal, como mísseis Hellfire fabricados nos EUA.

O jornal semanal alemão Der Spiegel informou que Berlim favorece os mísseis Jedi fabricados por Israel, porque a explosão causada pela ogiva pode ser ajustada para minimizar danos colaterais.


Fonte: AP, via Washington Post

SEM COMENTÁRIOS