Jato de ataque leve/treinamento KAI FA-50 Golden Eagle.

O governo da Argentina avançou nas últimas semanas nas negociações para compra de 10 aviões FA-50 Golden Eagle da Coreia do Sul, avaliados em US$ 200 milhões, que devem ser pagos em um plano de 10 anos.

As negociações finais teriam ocorrido entre os dois governos na sexta-feira passada, de acordo com o portal infobae durante a reunião de cúpula do G20 no Japão, onde o presidente Mauricio Macri falou a sós com o seu homólogo sul-coreano Moon Jae-in em uma pausa da reunião dos chefes de estado.

Mauricio Macri e Moon Jae-in durante encontro de líderes do G20 no Japão.

“A intenção do governo argentino é adquirir dois aviões FA-50 este ano e oito no próximo ano, o que dará uma superioridade aérea para a nossa defesa”, disse um funcionário do governo da Argentina.

Os aviões sul-coreanos substituirão a escassa frota de jatos A-4AR que a Força Aérea Argentina possui. Um orçamento extra-orçamentário especial será alocado para esta compra.

Na embaixada de Coreia do Sul, na Argentina, eles expressaram que, no momento, “nenhum comentário será feito” sobre essa informação. Na verdade, o adido militar sul-coreano está no Chile no momento e não quis dar detalhes da operação.

A Argentina vem desde 2017 tentando adquirir estas aeronaves supersônicas fabricadas pela empresa sul-coreana KAI.

Venda de aeronaves IA-63 Pampa III

A Fábrica Argentina de Aviones (FAdeA) acaba de fechar uma venda de duas aeronaves Pampa para a Guatemala e está negociando a venda de mais seis aeronaves para o Paraguai por um custo global para as duas operações de US$ 130 milhões.

Na verdade, Macri se reune hoje com o presidente da Guatemala, Jimmy Morales, para formalizar publicamente essa venda de aeronaves no quinto ano do governo guatemalteco de Olivos.

Anúncios

18 COMENTÁRIOS

  1. Vamos supor que os FA-50 tenham uma taxa de disponibilidade na faixa de 70%, então de 10 aeronaves 7 vão estar sempre prontas para voo, dessas 7 prontas para voo 1 ficará para adestrar pilotos e uma para testar armamento, sobra 5 para ficar de alerta, uau…

  2. Argentina ciscando mais do que galinha caipira.
    Já foi anunciado intenção de compra de quase tudo que voa… Pero no hay plata.. Acho que querem é uma doação.
    Mas enfim, caso se concretize podemos dizer que seria um pequeno passo para a Coréia do Sul mas um salto gigantesco para a Argentina kkk
    Para esses cucarachos metidos a europeus está de bom tamanho.

  3. Excelente escolha. Muitos achavam que iriam de JF-17, porém além de mais caro, os argentinos o avaliaram e o reprovaram. O FA-50 não é um caça multirole de alta performance mas é muito bom.
    E por este valor que estão pagando, acho que seria uma boa opção para substituir os A-1 da FAB e os A-4 da Marinha.

  4. Solução racional e pragmática para Forças com orçamentos apertados e comumente contingenciados. Isso não é privilégio da Argentina, diga-se de passagem já operou em sua história forças de combate muito superiores as da FAB. Os Hermanos poderão repor suas perdes e adquirir novos lotes quando a conjuntura mudar, já a FAB terá que suar sangue para repor seus Gripens. Temos que concordar que esta aeronave seria uma excelente alternativa para Forças Aéreas modestas como a FAA e a FAB. O Pampa começa a tomar lugares aonde o Super Tucano não se firmou. Guatemala é o primeiro, mas acredito que outros países da AL seguirão o mesmo caminho.

  5. Excelente para a Argentina.
    Melhor ainda para o Brasil.
    Pelo menos nos próximos 30 anos a Argentina não terá nada para fazer frente ao Gripen E.
    Se bem que sempre tem alguém para achar que a solução argentina é melhor que a brasileira…hauahuhauahuahauha