As cinco aeronaves Super Etendard Modernisé (SEM) adquiridas pelo Governo Argentino para a ARMADA chegarão ao país na próxima quinta-feira (09).

Eles chegarão a bordo do navio “Lily Auerbach” ao lado de inúmeras peças de reposição, radares e um simulador para treinamento e qualificação dos pilotos. Espera-se que o barco atraque nas primeiras horas da manhã, onde ao meio-dia a descarga será iniciada.

Os aviões serão recebidos pelo ministro da Defesa da Nação, Oscar Aguad, e líderes seniores da ARMADA (Marinha Argentina). Após o desembarque, as aeronaves serão transferidas para a Base Aérea Comandante Espora.

A aquisição das cinco aeronaves foi realizada sob a modalidade de “Estado a Estado“, para a qual a convocação para licitação pública internacional não era necessária e custou ao Tesouro argentino US$ 15 milhões. Outros US$ 5 milhões para comissionar as aeronaves.

Esse reequipamento é um paliativo para a diminuta e enfraquecida força aeronaval. Os “novos” SEMs serão administrados pela ARMADA, mas um plano de reestruturação prevê o fim das aeronaves asa-fixa com a Marinha. Se esse plano for aprovado, os SEMs passarão para a Força Aérea Argentina (FAA).

Projetado pela Dassault para a Marinha Francesa, o Super Etendard entrou em serviço em 1978, sendo aposentado em 2016.

Junto com essas cinco aeronaves, estão equipamentos que atenderão as outras 11 aeronaves que a Marinha ainda possui, muito embora nem todos estejam em condições de voo. Com isso, os pilotos argentinos irão tirar proveito de sistemas modernos de navegação/ataque e a possibilidade de missões noturnas.


Com informações de La Nueva

Anúncios

7 COMENTÁRIOS

  1. Atenção ingleses! Cuidado! Os argentinos podem tentar uma nova invasão! Fiquem atentos!

      • Rsssss….se perguntarmos para os argentinos dirão que F-35 passará apertado diante dos seus Super Etendard

  2. Tenho curiosidade em saber como é esse processo de " envelopamento" das aeronaves. A Impressão que tenho é que é
    digamos assim, "embalado" a vácuo.

  3. Só tem que vetar qualquer tentativa dos Argentinos de aquirirem mísseis Exocet. hahaha
    Mas, interessante para o que a Argentina tem condições de ter, seria legal vê-los por aqui na CRUZEX.

    • Sim, seria muito bom mesmo tê-los numa CRUZEX. Mas quanto aos EXOCET, eu me arrisco a dizer que TALVEZ não seja um problema tão grande: há a possibilidade de se conseguir mísseis no mercado paralelo e também pode haver alguma adaptação (dizem que o MAN será basicamente uma "cópia personalizada" do Exocet. Logo, se houver compatibilidade, poderia ser lançado pelo SUE).

  4. Se, no fim das contas, os argentinos conseguirem dispor de 8 dessas aeronaves modernizadas e REALMENTE operacionais, já está ótimo! Voam pouco…. bem manutenidas, podem ainda durar mais uns 10 anos talvez. Falta só saber se há vetores de esclarecimento, uma vez que a razão de se usar os SUE é a função de ataque a alvos navais.

    P.S.: não falo nem sobre Malvinas, esqueçam isso! Kkkkkkk é apenas uma questão de manter um mínimo de atividade de dissuasão.

    Bom dia a todos!

Comments are closed.