Jato de treinamento/ataque leve IA-63 Pampa III.

O Ministério da Defesa da Argentina anunciou no dia 7 de junho que a Força Aérea Argentina (FAA, Fuerza Aérea Argentina) receberá até o final do ano os seus três primeiros aviões IA-63 Pampa III fabricados no país.

A aeronave a jato de treinamento Pampa III fabricada pela Fábrica Argentina de Aviões SA (FAdeA), em Córdoba, também pode ser utilizada para operações de combate. O contrato para as três aeronaves, que também inclui equipamentos de apoio e software, está avaliado em cerca de US$ 30 milhões, e foi assinado em março deste ano.

Segundo o acordo, a FAdeA deve entregar três aeronaves IA-63 Pampa III, uma estação fixa e duas móveis para planejamento de missão (Ground Station Mission Planning). Os Pampa III prestarão serviços na VI Brigada Aérea de Tandil (província de Buenos Aires).

Além da aeronave Pampa III, o Ministério da Defesa da Argentina também observou que a FAdeA está atualizando a frota de cinco Lockheed Martin C-130 Hercules da FAA e que mais uma unidade estará pronta nas próximas semanas.

A fabricante, que não entregava novas aeronaves há 10 anos, também divulgou que assinou um contrato com a empresa israelense IAI, para tarefas de manutenção, engenharia e serviços relacionadas ao Pampa III.

Um dos C-130 Hercules modernizados pela FAdeA para FAA.

Essas tarefas de recuperação fazem parte de um processo de organização econômica da empresa, que também visa aumentar os contratos extra-estatais e reduzir o déficit financeiro e operacional.

Nessa linha, a FAdeA conseguiu assinar contratos fora do Estado Nacional com organizações nacionais e internacionais, incluindo processo de exportação para o Paraguai de uma aeronave agrícola Puelche.

5 COMENTÁRIOS

  1. Questiono os senhores: pq não interessa a FAB esse aparelho? Não digo hoje! Mas em breve teremos 36 Gripen em solo brasileiro, enquanto houver F-5 voando junto com F-39 tudo bem, o próprio F-5 pode servir para adestrar os futuros pilotos de F-39, porém quando estes tiverem todos dado baixa, um treinador a jato avançado/capacidade leve de ataque seria muito bem vindo a FAB! Lógico que temos que avaliar se o que gastaríamos nessa aquisição é o melhor que o nosso dinheiro pode comprar.

    • O Comando da FAB foi que definiu assim! Os caras disseram que mais horas de treinamento no Super Tucano seriam equivalentes a usar um jato destes para conversão, adicionando também mais horas de voo no Gripen F pra fechar a conversão.

    • Os Gripens F biposto foram encomendados sob essa justificativa, transição do básico direto para o avançado. Eles não existem na Suécia, estão sendo desenvolvidos para o Brasil. Agora que poderia auxiliar no treinamento de certas táticas e cenários que os A-29 não são capazes e sob um custo muito menor que treinar nos Gripens, aí eu gostaria de ouvir a opinião dos colegas. Para uma força aérea como a nossa que muito provavelmente vai aposentar os Gripens sem batismo de fogo, treinar em outros aviões significa deixar os Gripens no chão. Agora caso o cenário mude…

  2. Interessante esse avião, certos aspectos seria muito bem vindo e útil na FAB. Queria ouvir a opinião dos colegas.

  3. O Pampa poderia levar alguns armamentos? Sera que não seria viavel pra argentina equipar os pampas com alguns tipos de misseis e coloca los na sua força aerea já que a mesma não se encontra "bem das pernas"?

Comments are closed.