Depois de estabelecer o recorde de maior tempo no espaço da história por uma mulher, a astronauta da NASA Christina Koch voltou à Terra na quinta-feira, junto com o comandante da Soyuz Alexander Skvortsov, da agência espacial russa Roscosmos, e Luca Parmitano da ESA (Agência Espacial Européia).

O trio partiu da Estação Espacial Internacional às 13h50 (horário de Brasília) e fez um pouso seguro com auxílio de pára-quedas às 17h12 (15h12 no horário do Cazaquistão) a sudeste da remota cidade de Dzhezkazgan, no Cazaquistão.

A missão estendida de Koch oferecerá aos pesquisadores a oportunidade de observar os efeitos dos voos espaciais de longa duração em uma mulher, enquanto a agência planeja enviar novamente humanos à Lua sob o programa Artemis e se preparar para a exploração humana de Marte.

Koch partiu no dia 14 de março de 2019, ao lado do astronauta da NASA Nick Hague e do cosmonauta russo Alexey Ovchinin. Sua primeira jornada ao espaço de 328 dias é o segundo voo espacial único mais longo de um astronauta dos EUA e também a coloca na sétima na lista de tempo acumulado no espaço para astronautas americanos com uma ou mais missões.

Apoiando os objetivos da NASA para futuros pousos humanos na Lua, Koch completou 5.248 órbitas da Terra e uma jornada de 139 milhões de milhas, aproximadamente o equivalente a 291 viagens à Lua e vice-versa. Ela conduziu seis caminhadas espaciais durante 11 meses em órbita, incluindo as três primeiras caminhadas espaciais, gastando 42 horas e 15 minutos fora da estação. Ela testemunhou a chegada de uma dúzia de naves espaciais e a partida de outra dúzia.

Para Parmitano e Skvortsov, esse pouso completou uma estadia de 201 dias no espaço, 3.216 órbitas da Terra e uma jornada de 85,2 milhões de milhas. Eles foram lançados em julho passado com Andrew Morgan, da NASA. Morgan também está participando de uma missão de duração prolongada no laboratório em órbita e retornará à Terra em 17 de abril.

Completando sua segunda missão, Parmitano agora registrou 367 dias no espaço, mais do que qualquer astronauta da ESA na história. Durante seu tempo no espaço para as Expedições 60 e 61, Parmitano conduziu quatro caminhadas espaciais, totalizando 25 horas e 30 minutos. Ele já conduziu seis caminhadas espaciais em sua carreira, totalizando 33 horas e 9 minutos. Parmitano era comandante da Expedição 61.

Skvortsov completou sua terceira missão e um total de 546 dias no espaço, colocando-o em 15º na lista de resistência espacial de todos os tempos.

Após os exames médicos que ocorrem depois do pouso, a tripulação retornará à cidade de Karaganda, Cazaquistão, a bordo de helicópteros russos. Koch e Parmitano embarcarão em um avião da NASA com destino a Colônia, na Alemanha, onde Parmitano será recebido pelos funcionários da ESA por seu retorno a casa. Koch continuará em casa em Houston. Skvortsov embarcará em uma aeronave do Gagarin Cosmonaut Training Center para retornar à sua casa em Star City, Rússia.

A tripulação da Expedição 61 contribuiu para centenas de experimentos em biologia, ciências da terra, pesquisa humana, ciências físicas e desenvolvimento de tecnologia, incluindo melhorias no espectrômetro magnético alfa, em um esforço para prolongar sua vida e apoiar sua missão de procurar evidências de matéria escura e testando impressoras biológicas 3D para imprimir tecidos semelhantes a órgãos em microgravidade.

Com o desengate da espaçonave Soyuz MS-13 com Koch, Skvortsov e Parmitano a bordo, a Expedição 62 começou oficialmente a bordo da estação, com os astronautas da NASA Jessica Meir e Morgan como engenheiros de vôo e Oleg Skripochka de Roscosmos como comandante da estação. Eles permanecerão a bordo como tripulação de três pessoas até o início de abril, quando o astronauta da NASA Chris Cassidy e os cosmonautas russos Nikolai Tikhonov e Andrei Babkin serão lançados na estação.

Acompanhe abaixo a cobertura da NASA do regresso de Christina Koch:

Anúncios