MiG-27O auditor do governo indiano repreendeu a Força Aérea pelo desperdício de dinheiro para desenvolver um sistema de guerra eletrônica para o MiG-27.

O CAG (Comptroller and Auditor General) puxou a orelha da Força Aérea da Índia por causa da “infrutífera” despesa no desenvolvimento de um sistema de guerra eletrônica destinada a reforçar a capacidade do MiG-27.

O auditor do governo, no seu relatório apresentado ao Parlamento, disse que o projeto de joint venture da Índia com Israel para o desenvolvimento do sistemaTakshak” imprudente, ainda mais tendo sido elaborado em 2009 pela força, mesmo sabendo que o MiG-27 irá dar baixa do serviço em 2016.

Devido à decisão imprudente e atraso no desenvolvimento do sistema ‘Takshak’, o objetivo de melhorar a capacidade operacional do avião de caça não poderia ser alcançado. O Ministério da Defesa tinha concedido sanção para o projeto para ser desenvolvido até 2011 e “para aumentar a capacidade operacional dos aviões de combate e fortalecer a indústria de guerra eletrônica”.

O relatório diz que, apesar de atrasos no programa, a IAF descobriu durante os ensaios que ele não foi totalmente desenvolvido e não poderia atender a um grande número de especificações técnicas.

“A IAF também reconheceu que colocar o sistema ‘Takshak’ na frota de MiG-27 necessitaria pelo menos mais três anos (a partir de 2011) e a modificação completa da frota estaria terminada apenas em 2016, quando a frota foi planejada para ser colocada fora de serviço.”

FONTE: The Economic Times – Tradução e edição: CAVOK

Anúncios

5 COMENTÁRIOS

  1. Espero que como integrantes do BRICS, a Índia não empurre ao Brasil o MIG-27 ( e produzido lá!! ) como tampão até a chegada do Gripen E/F, aí…

Comments are closed.