Com impasse entre Israel e EUA para venda dos F-16 usados para Croácia, a Saab vê possibilidades de negociar seus jatos Gripen.

As perspectivas da Saab para vender seus jatos de combate Gripen para a Croácia aumentaram, já que o governo croata ameaçou cancelar o acordo para compra de 12 caças F-16 usados ??de Israel, caso um impasse entre os EUA e Israel não seja resolvido até a semana que vem.

O Gripen já havia sido rejeitado em favor dos F-16 israelenses usados, mas com a administração dos EUA bloqueando a venda dos jatos F-16 modernizados de Israel, a Croácia pode não ter outra opção a não ser ir com a oferta de novos jatos da Saab combinada com um pacote de financiamento.

“A Croácia precisa de uma resposta de Israel até 11 de janeiro ou a encomenda de 500 milhões de dólares do país dos Bálcãs para uma dúzia de aviões F-16 será cancelada”, afirmou o Ministério da Defesa da Croácia na quinta-feira.

A Croácia optou pela compra de caças F-16 usados de Israel, mas os EUA estão bloqueando a venda.

A administração dos Estados Unidos supostamente bloqueou o acordo entre Israel e a Croácia depois que o secretário da Defesa, James Mattis, rejeitou um pedido do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu pela venda dos 12 caças F-16.

Trump ficou chateado com a modificação da aeronave por Israel que levou a Croácia a aceitar a oferta israelense, informou a Voz da Croácia em 11 de dezembro de 2018.

A embaixada dos EUA na Croácia emitiu uma declaração de que o país apoia fortemente a Croácia em seu desejo de modernizar sua força aérea e de ser interoperável com os aliados da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte).

“Há mais de um ano trabalhamos com Israel nos detalhes da proposta de compra de aeronaves do F-16. Durante essas conversas, fomos consistentes e claros em relação às condições técnicas sob as quais podemos aprovar a venda”, afirmou o relatório.

A Croácia quer substituir seus antigos caças MiG-21.

O segundo fato é que o Estado de Israel assumiu a obrigação de oferecer uma aeronave compatível com a OTAN para a Croácia e que o prolongamento de sua vida útil será feito com a aprovação do produtor original, a Lockheed Martin. E terceiro, a aprovação para entregar os aviões à Croácia é responsabilidade do estado de Israel ”, disse Damir Krsti?evi?, ministro da Defesa da Croácia durante esse período.

“Por razões que não entendemos completamente, os americanos endureceram suas condições e, aparentemente, interpretamos mal sua posição sobre o acordo. Praticamente, o acordo do F-16 com a Croácia está morto e não achamos que é possível obter acordo que conciliar as condições dos EUA e as demandas croatas no concurso”, informou Barak Ravid do Canal 10 de notícias de Israel, ao portal de notícias Axios na última semana de dezembro de 2018.

Com base em relatórios anteriores, é improvável que Israel consiga selar o acordo, que por sua vez dará uma chance para a Saab vender sua nova aeronave Gripen para a Croácia.

A Croácia emitiu uma solicitação de propostas para substituir seus antigos jatos MiG-21 e recebeu propostas da Lockheed Martin para novos F-16, da Grécia para F-16 usados ??e da Saab para novas aeronaves Gripen.

Enquanto os F-16 da Força Aérea de Israel têm décadas, eles foram atualizados recentemente e foram equipados com as armas mais modernas.

Os caças da Saab Gripen, por outro lado, são novos e acredita-se que a empresa sueca tenha oferecido opções atraentes de financiamento, além de um pacote de armas e comunicações.

7 COMENTÁRIOS

    • Como de costume espalhando suas mentiras fundadas apenas em ódio não é mesmo Xings!? Isso tem nome, é antissemitismo e não tem nada a ver com o valor das aeronaves para Israel e sim com uma disputa meramente de mercado, simples assim.

  1. Trump e o ex- secretário de defesa Matris são burros. proibindo a venda dos F-16 de Israel fazem o Gripen vencer o Governo da croácia vai acertar nessa escolha que o tempo de vida útil deste é maior que F-16 usados que não pousa em estradas e tem frescura em ter pista limpa para não entrar sujeira na turbina. Melhor que o Gripen só o F-35