O governo australiano já adquiriu uma aeronave remotamente pilotada MQ-4C Triton.

O governo australiano aprovou a compra da segunda aeronave pilotada remotamente MQ-4C Triton, anunciou Christopher Pyne, ministro da Defesa, e Linda Reynolds, ministra da Indústria da Defesa, no dia 27 de março.

Esta aeronave é a segunda de uma frota planejada de pelo menos seis aeronaves Triton que a Austrália está adquirindo através de um programa cooperativo com a Marinha dos Estados Unidos. A aprovação da segunda aeronave significa que o projeto está no caminho para que a primeira aeronave Triton seja lançada em operação em meados de 2023, com todas as seis previstas para serem entregues até o final de 2025, sediadas na Base da RAAF de Edinburgh, no sul da Austrália.

O ministro Pyne disse que a aquisição do segundo UAS Triton foi uma parte importante do fortalecimento da segurança marítima da Austrália.

“O Triton – que complementará nossa aeronave tripulada P-8A Poseidon – aumentará significativamente nossa capacidade de guerra anti-submarino e ataque marítimo, bem como nossa capacidade de monitorar e proteger a costa marítima da Austrália”, disse o ministro Pyne.

“Essas capacidades nos ajudam a proteger nossa área marítima de ameaças como o contrabando de pessoas e a exploração de nossos recursos naturais de atividades como a pesca ilegal. Os Tritons também poderão realizar tarefas aprimoradas de inteligência, vigilância e reconhecimento para apoiar as operações de todo o governo.”

A ministra Reynolds disse que o Triton oferece oportunidades significativas para a indústria de defesa australiana.

“O projeto deve criar cerca de 70 empregos no sul da Austrália e no Território do Norte”, disse a ministra Reynolds. “Na fase de sustentação, em particular, haverá uma oportunidade significativa para a indústria australiana compartilhar bilhões de dólares em manutenção do sistema e funções de gerenciamento de rede.”

“No mês passado, a Northrop Grumman – fabricante do Triton – assinou um Termo de Responsabilidade da Indústria Australiana com Defesa, que resultará em ainda mais investimento e melhores oportunidades para as empresas australianas.”

O MQ-4C Triton é um sistema não tripulada de alta altitude e longa duração (HALE) que será usada para patrulhamento marítimo e outras funções de vigilância.

Eles podem voar a altitudes de 55.000 pés por 24 horas de cada vez e são equipados com sensores que fornecem imagens de alta resolução e vídeo quase em tempo real. O conjunto de sensores pode fornecer uma visão de 360 ??graus dos arredores por mais de 2.000 milhas náuticas.

Pilotos e operadores de sensores pilotam o Triton a partir de estações terrestres, podendo comandar voos em qualquer parte do globo.

O sistema será operado pela Real Força Aérea Australiana (RAAF) e complementará o papel de vigilância da aeronave de patrulha marítima P-8A Poseidon da RAAF através de operações sustentadas a longo alcance, além de ser capaz de realizar uma variedade de tarefas de reconhecimento, inteligência e vigilância (ISR).

A Austrália já recebeu sete aeronaves Poseidon e alcançou a Capacidade Operacional Inicial no início do ano passado. Espera-se que a frota completa de 12 aeronaves Poseidon seja entregue e esteja em operação até 2022. Os Poseidons estão substituindo a frota AP-3C Orion da RAAF, que será retirada do serviço em 2023.

O MQ-4C Triton também possui sistemas de degelo e proteção contra raios, que permitem que ele desça pelas camadas de nuvens e ganhe uma visão mais próxima dos navios e outros alvos no mar, o que complementa o P-8A Poseidon. Juntas, essas aeronaves aumentarão significativamente a capacidade de ataque anti-submarino (ASW) e de ataque marítimo do país, bem como a capacidade de busca e salvamento (SAR).

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. Dois desses MQ4 e 12 caças com autonomia descente sediados em terra, pronto a MB seria uma força respeitável e não uma vergonha.

Comments are closed.