A Austrália confirmou oficialmente a venda de 18 caças F/A-18A/B Hornet para o Canadá. (Imagem ilustrativa)

A Austrália confirmou oficialmente que venderá 18 caças F/A-18A/B Hornet ao Canadá por um valor não divulgado.

Os dois primeiros caças Hornet serão entregues ao Canadá em 2019, quando a transição da Força Aérea Real Australiana para o Lockheed Martin F-35A estiver em andamento, diz a ministra da defesa, Marise Payne.

A Austrália valoriza muito nosso relacionamento de defesa bilateral de longa data com o Canadá, e essa decisão é outro exemplo de nossa parceria estreita e forte,” disse Payne.

As aeronaves irão complementar a frota existente do Canadá à medida que o país desenvolve e implementa seu plano para substituir a frota de caças da Força Aérea Real Canadense,” disse Payne.

A transferência segue uma expressão oficial de interesse do Canadá em setembro. O pacote inclui peças de reposição para os caças.

A RCAF precisa de células para preencher uma lacuna de capacidade durante um processo pendente para adquirir 88 caças para substituir sua frota de 85 caças Boeing CF-18A/B Hornet. Um pedido de propostas é esperado em 2019 e uma decisão até 2022.


FONTE: FlightGlobal

Anúncios

8 COMENTÁRIOS

  1. Que mancada o Canadá está dando! Santo Deus!

    Esses esquerdopatas não perdem uma chance de fazer uma m&rd@!

    Porque a Austrália, Holanda, Itália, Japão, Israel, etc estão substituindo seus caças de quarta geração pelos de quinta geração?

    O Trudeau quer transformar a força aérea canadense num palanque?

    Fora Trump, salvem os esquilos e não desmatem as florestas.

    É ridículo!

    Defesa é coisa séria e só depois de 20 anos veremos os resultados que esse grande (b#$t@) está fazendo.

    Acho que Churchill quando vê um negócio desses deve se revirar no caixão!

    • Coisas do Cavok, o Super_Hornet triste porque compraram Hornet…
      Devia mudar o "nick" para Lightning II.

      • Querer que as Forças Armadas tenham o melhor equipamento ao menor custo para o contribuinte realmente é motivo de espanto.

  2. Não acho nenhum absurdo, fizeram as contas e perceberam que essa era a melhor opção, e se atende as forças deles não vejo nenhum problema.

  3. A Boeing está contente, tá tudo em casa, sendo Boeing tá bom pra ela.

  4. Se não me engano a opção pelos tampões é mais cara que o F35 ou qualquer outro avião novo, isso foi apontado em um relatório da RCAF, que o governo tentou censurar, apresentou que os custos de manutenção da velha frota acrescido ao tampão, além da necessidade logística de manter uma maior variedade de peças no futuro quando tiver que substituir os tampões, é mais caro que começar a trocar definitivamente os F18 por qualquer coisa nova, mesmo pelo Rafale.

    Quanto aos caças australianos, li na época da primeira aquisição que tinham sido descartados pois estão só a capa da gaita, voltaram a ser considerados pelo problema da Bombardier mas é uma aquisição só pra ter peças de reposição, dificilmente a RCAF não terá que encostar aeronaves, mas pelo menos isso levará mais uns 3 anos pra começar a ocorrer, depois da eleição de 2019.

    A motivação dessa compra é política, tirar esse assunto do diário de notícias, mas me parece uma aposta arriscada pois acaba por colocar a vida dos pilotos na dependência dessas peças tão usadas, a não ser que a RCAF aceite fazer figuração como a FAB.

  5. Há uma dimensão lógica e uma outra política.

    Pela dimensão técnica, os F-18 A/B que os canadenses estão comprando só se justificam pela dimensão política. E a não aquisição dos F-35 make in amercia do ponto de vista técnico não se justifica.

    1) a frota de legacys CF-18 Hornet do Canadá está no fim de sua vida operacional e qualquer tentativa de mantê-los na ativa levaria a um custo elevadíssimo, portanto o contribuinte perderia;

    2) se o Canadá tem compromissos com a OTAN, deve estar preparado para cumprir com seu ônus e isso os obriga a permanecer no estado da arte;

    3) para manter o compromisso acima ele deve atualizar sua frota, ou por uma aeronave de 4ª geração ou partir logo para uma 5ª geração;

    4) dentre as opções de 4ª geração o único caça que atende satisfatoriamente aos requisitos operacionais mínimos, a um custo acessível, é o F/A-18 Super Hornet!

    O Gripen NG, na minha opinião, é operacionalmente inferior ao SH.

    Quanto aos europeus (EF-2000 Typhoon e Rafale) ambos são excelentes caças, mas têm custos de aquisição e manutenção equivalentes ao debutante F-35 Lightning II, um puro sangue de 5ª geração.

    5) nas duas hipóteses os EUA oferecem a melhor opção aos canadenses.

    Se esse esquerdopata não tivesse saído do programa JSF, estaria recebendo seus cacinhas e ainda estaria faturando algum com a participação na produção.

    Ora, se os Yankes estão pagando US$ 100 milhões por um F-35, por que o Canadá ou outro “aliado” qualquer vai pagar US$ 50 milhões?

    Só digo uma coisa: se alguém acha ruim o américa first, quero só ver quando chegar o China only!

Comments are closed.