O Departamento de Defesa dos EUA anunciou que a Northrop Grumman receberá uma modificação no contrato original para a produção e suporte de uma segunda aeronave não tripulada MQ-4C Triton para Austrália.

“O Comando de Sistemas Aéreos Navais (NAVAIR), da Estação Aérea de Patuxent River, Maryland, em nome de seu parceiro de cooperação internacional, o Governo da Austrália, pretende emitir uma única modificação de contrato de fonte para a Northrop Grumman Systems Corporation (NGSC), San Diego, California, para a produção e suporte de uma aeronave MQ-4C Triton adicional e ativos relacionados”, afirmou um aviso de pré-requisição publicado no dia beta.sam.gov.

A Austrália está planejando adquirir pelo menos seis aeronaves Triton dos EUA por meio de um programa cooperativo com a Marinha dos EUA. A compra da adicional aeronave Triton faz parte do programa Project Air 7000 da Força de Defesa Australiana (ADF) para substituir as aeronaves AP-3C Orion da Royal Australian Air Force (RAAF).

Em março do ano passado, foi anunciado que o governo australiano aprovou a compra do segundo MQ-4C Triton para a RAAF.

O Northrop Grumman MQ-4C Triton é um avião não tripulado HALE (High Altitude Long Endurance), usado para patrulha marítima e outras funções de vigilância. O Triton se baseia em elementos da aeronave de vigilância RQ-4 Global Hawk, com reforços na estrutura e na asa.

O MQ-4C pode voar a altitudes de 55.000 pés por 24 horas e está equipado com sensores que fornecem imagens de alta resolução e vídeo quase em tempo real. O conjunto de sensores pode fornecer uma visão de 360 ??graus de seus arredores por mais de 2.000 milhas náuticas. A aeronave possui sistemas de degelo e proteção contra raios, que permitem que ela desça através das camadas de nuvens e tenha uma visão mais próxima dos navios e outros alvos no mar.

Pilotos e operadores de sensores voam o Triton a partir de estações terrestres, podendo comandar os voos a partir de qualquer parte do mundo.

Os MQ-4Cs da Austrália serão operados pela RAAF e complementarão o papel de vigilância das aeronaves de patrulha marítima tripulada (MPA) P-8A Poseidon da RAAF através de operações sustentadas a longas distâncias, além de serem capazes de realizar uma variedade de tarefas de inteligência, vigilância e reconhecimento (ISR).

Juntas, essas aeronaves aumentarão significativamente a capacidade de guerra anti-submarina (ASW) e ataque marítimo da Austrália, bem como a capacidade de busca e salvamento (SAR).

Espera-se que a primeira aeronave pilotada remotamente (RPA) Triton seja introduzida em serviço na RAAF em meados de 2023, com todas as seis aeronaves planejadas para serem entregues e em operação no final de 2025, na Base da RAAF de Edinburgh, no sul da Austrália.

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

  1. Eles possuem também, tal como nós, um vasto litoral a ser patrulhado. Não consigo entender o porquê do Brasil não montar uma estrutura semelhante para o monitoramento tanto das nossas fronteiras secas como as da Amazônia Azul.