A Força Aérea da Índia planeja adquirir 56 aeronaves C-295.

O plano da Força Aérea Indiana (IAF) para adquirir 56 novas aeronaves de transporte militar Airbus C-295 deu um passo adiante com a IAF tendo concluído as negociações.

“As negociações para o acordo para compra dos C-295s foram concluídas”, disse um alto funcionário de defesa ao jornal The Hindu.

Em maio de 2015, o Conselho de Aquisição de Defesa da Índia (DAC) aprovou uma proposta da Airbus Defence & Space e seu parceiro indiano, o Grupo Tata, para adquirir as aeronaves de transporte militar C-295 como substituto para a frota envelhecida de An-32 da IAF, composta por 56 aeronaves.

Sob o presente acordo, 16 aeronaves serão construídas pela fabricante de equipamento original (OEM) Airbus e os 40 restantes serão construídos no país pela fabricante indiana Tata através de transferência de tecnologia.

A IAF supostamente fez alterações nos parâmetros atuais. Ele apresentará uma proposta perante o DAC em junho deste ano, após as eleições de Lok Sabha, para sua aprovação.

“A transação precisa da liberação do DAC, pois há uma mudança nos parâmetros anteriores. A próxima reunião do DAC será realizada em junho. Então, vamos empurrar o acordo naquele momento”, acrescentou o funcionário.

Este acordo tornou-se ainda mais crítico à medida que um projeto separado para co-desenvolver e produzir uma aeronave de médio porte (MTA) de 20 toneladas com a Rússia para substituir o An-32 em serviço foi descartado após discussões iniciais sobre o projeto.

O An-32, que é a aeronave de transporte militar da IAF, estão atualmente sendo atualizados sob um acordo de US$ 400 milhões finalizado com a estatal Antonov da Ucrânia em 2009.

Anúncios

6 COMENTÁRIOS

  1. Alem dos An-32 também vão substituir os Hawker Siddeley HS 748..

  2. Vai por terra a versão que esses aviões são inadequados à ambientes hostis.

    • Realmente, é fato que a força aérea indiana é um ambiente hostil a qualquer aeronave.

  3. Processo que deveria ter sido implementado no Brasil.

    Com o avanço do EB na aviação de asas fixa e a MB na possibilidade de assumir a aviação de patrulha, o C-295 se torna uma ótima opção para o fomento de uma segunda indústria de asas fixa no país. A FAB ainda poderia necessitar poucas algumas, entretanto o EB e a MB poderiam fortalecer uma boa carteira de pedidos. Além de outros órgãos públicos, como PF, PRF, IBAMA, etc…

    • não tem mercado no Brasil para isso cara. Ainda mais o KC-390 vai substituir o C-295

  4. Frota da IAF é um legião estrangeira. pelo menos vão jogar fora do Antonov por algo ocidental. o Hercules C-130J e o C-17 estão operando lá. Os retardados contra venda da Embraer regional vão dizer que é culpa dos yankess o KC-390 não ter mercado lá.

Comments are closed.