Aeronave A320 da Avianca.

Em entrevista a um canal de televisão da Colômbia, o chairman da Avianca Holdings, German Efromovich, disse que o aporte da United Airlines na Avianca Brasil deverá acontecer até o final de janeiro. Enquanto isso, segundo ele, as operações da empresa seguem normalmente.

“O que aconteceu é que depois que o acordo com a United foi fechado, estávamos negociando que a segunda parte do financiamento do fundo iria para a Avianca Brasil. Só que antes disso, um arrendador de aeronaves se precipitou e entrou com um pedido de recuperação de 11 aviões”, explicou o empresário.

Diante desse cenário, a Avianca Brasil não viu uma alternativa que não fosse o pedido de recuperação judicial, para garantir a frota necessária para sua malha de verão. “A partir do pedido do primeiro arrendador, outros também fizeram o mesmo. Vimos na recuperação judicial uma saída para preservar a empresa, as operações, os empregos e, principalmente, os viajantes”, comentou Efromovich.

“Grandes empresas aéreas passaram por recuperações, entre elas a American, United e a Delta. Reitero que as operações da Avianca Brasil seguirão normalmente, inclusive no período dos festejos do final do ano. Acredito que até o final de janeiro a segunda parte do financiamento estará concluída e a empresa seguirá honrando os seus compromissos”, finalizou.

Avianca Holdings diz que Avianca Brasil não faz parte do seu grupo

Avianca Brasil e Avianca Holdings. (Foto: Flickr Creative Commons / Joao Carlos Medau)

A Avianca Holdings, empresa controlada pelo grupo Synergy, da família Efromovich, com 51,5% da companhia, enviou comunicado ao mercado informando que a Avianca Brasil não faz parte do grupo de empresas controladas pela holding.

O comunicado foi divulgado após a Avianca Brasil ter protocolado pedido de recuperação judicial no Brasil, juntamente com a sua holding operacional AVB. O valor da dívida, segundo a lista de credores anexada ao processo, é de R$ 493,8 milhões.

A OceanAir Linhas Aéreas usa o nome comercial Avianca Brasil por conta de um contrato de licença de marca com a Aerovias de Continente Americano (Avianca). A empresa é controlada pela Synergy, que tem participação majoritária na Avianca Holdings, mas as duas empresas não têm relação uma com a outra.

A Avianca Holdings mantém acordo de compartilhamento de assentos em aeronaves com a Avianca Brasil e tem buscado uma potencial integração com a empresa. Desde o ano passado, as companhias avaliavam uma potencial fusão de operações, antes da deterioração nos resultados da Avianca Brasil.

No fim de novembro, a Avianca Holdings fez um acordo comercial com a United Continental Holdings para compartilhamento de voos entre Avianca, Copa e United Airlines. A United também concedeu à Synergy um empréstimo a prazo de US$ 456 milhões, garantido por um penhor de patrimônio da Synergy e de 516 milhões de ações ordinárias da Avianca Holdings.

O empréstimo e o estudo de uma possível integração entre Avianca Holdings e Avianca Brasil fazem parte dos esforços da companhia para fortalecer seus resultados.


Fonte: Panrotas / Valor Econômico

Anúncios