A Avianca retomou seus voos para Caracas, após um incidente ocorrido sexta-feira a noite com um Boeing 787 da companhia.
A Avianca retomou seus voos para Caracas, após um incidente ocorrido sexta-feira a noite com um Boeing 787 da companhia.

A companhia aérea colombiana Avianca informou que retomará neste domingo (23) os voos “partindo de e com destino à Venezuela”, após o anúncio feito neste sábado (22) sobre sua suspensão.

A suspensão foi decidida depois que um avião militar desse país se aproximou de um voo comercial da empresa.

“Depois dos esclarecimentos, entre os governos de Colômbia e Venezuela, sobre o incidente (…), a Aeronáutica Civil da Colômbia autorizou a retomada das operações a partir de e para a Venezuela”, indicou a Avianca em um comunicado, acrescentando que serão reiniciados “os voos Bogotá-Caracas-Bogotá e Lima-Caracas-Lima, a partir deste domingo 23 de outubro”.

A companhia já havia reduzido bastante as frequências de voos com a Venezuela, devido a problemas cambiais com o país vizinho.

O incidente aconteceu na sexta à noite (21), quando, durante um voo da Avianca, detectou-se no espaço aéreo venezuelano a presença “a curta distância” e por quatro minutos de um avião desse país, relatou o governo colombiano neste sábado.

Hoje, a Colômbia pediu explicações à Venezuela.

Segundo um comunicado do Ministério da Defesa, a Força Aérea Colombiana detectou, às 19h10 (22h10, horário de Brasília), em território venezuelano, o avião da Avianca AVA011, que cobria a rota Madri-Bogotá.

“Da mesma forma, o Sistema detectou na mesma posição outra aeronave com similares condições de voo a curta distância do avião comercial”, acrescenta o comunicado.
Às 19h14 locais (22h14, Brasília) – completa o texto -, “a aeronave que voava próximo ao avião da Avianca tomou rumo norte e se afastou”.

O Ministério da Defesa explica que, duas horas depois, as autoridades venezuelanas responderam a “contínuos chamados” colombianos, informando “que se tratava de uma aeronave militar venezuelana em missão de navegação”.

Fonte: AFP

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

  1. Cambada de incompetentes esses comunistas de 'meia tigela'!!! Será que vão se justificar alegando que havia terroristas tentando lançar a aeronave sobre Caracas? Ou que eram os ianques tentando invadir a venefavela?

  2. Tem caroço nesse angu. Uma interceptação sem motivação e sem explicação alguma depois do incidente, como se fosse algo feito pelos pilotos sem ordem alguma, no mínimo muito estranho. Ainda mais interessante são as coincidências nesse incidente.

    Primeira coincidência é que as rotas europeias de Bogotá são onde ocorre maior tráfico de drogas saindo da Colômbia, com drogas e malotes saindo e voltando através de mulas para Europa, especialmente na rota espanhola, todo dia pegam muita gente com droga nesses vôos. Segundo a ONU, apreensões de drogas em aviões vindos da Colômbia representam 40% do total de droga que entra dessa maneira na Europa.

    Segunda coincidência é que a ONU considera a Venezuela o maior exportador de droga para a Europa por navios, 60% de toda cocaína apreendida em portos e em águas europeias vieram da Venezuela, droga obtida das FARC/Bolivia e Peru. Pode-se dizer que grupos de narcotraficantes colombianos e venezuelanos distinto competem pelo tráfico internacional para Europa por métodos diferentes. Além disso, o USSOUTHCOM fez um dossiê do trafego aéreo ilegal na região e identificou uma movimentação intensa de vôos da Venezuela para Honduras e Republica Dominicana, que coincide com as rotas de apreensões nos EUA, pela Florida e fronteira mexicana.

    E a terceira coincidência vem da prisão recente (junho) de um oficial venezuelano na Colômbia, Yazenky Antonio Lamas Rondón, um piloto, capitão do exército, acusado pelo DEA de ter feito um desses vôos para Honduras com carga de quase uma tonelada e meia de cocaína, será extraditado para os EUA, e pode ser o elo para comprovar o envolvimento de militares venezuelanos no tráfico internacional de drogas, através do dito Cartel dos Sois (nome dado pois oficiais de lá não usam estrelas e sim sóis nos ombros).

    Enfim, apenas coincidências que se somam a uma história muito estranha, mas vai saber.

  3. A Colombia é um país totalmente desmoralizado.
    Os EUA que não extradita americanos convenceu a pobre Colombia a extraditar colombianos na época do Escobar, com a desculpa que das cadeias colombianas os traficantes continuavam a mandar nas suas quadrilhas.
    Agora os EUA(DEA) querem que a Colombia extradite um venezuelano por ter feito voo para um outro país.
    Porque os EUA não convencem os americanos a parar de cheirar cocaina em vez de procurar a solução nos países dos outros.

Comments are closed.