Aeronave IA-58H Pucará.

A Força Aérea Argentina (FAA) decidiu reiniciar o trabalho em um protótipo de aeronave Pucará, o IA-58H, com motores Pratt & Whitney PT-6A-62 e completar sua certificação em julho, disse uma fonte sênior da FAA. O movimento acontece quando a FAA planeja aposentar seus aviões de ataque IA-58A Pucará em setembro.

O protótipo IA-58H Pucará II AX-561 ainda tem algumas horas de voo de teste para certificar o processo, cujo desenvolvimento foi suspenso em março de 2017.

Já faz três meses que a FAdeA (Fábrica Argentina de Aviones) e a Força Aérea Argentina têm mantido reuniões técnicas visando chegar em um acordo de modernização incluindo a remotorização com os turboélices Pratt & Whitney PT6A-62, juntamente com a integração de uma suíte de eletrônica e aviônica Full Glass Cockpit, semelhante à aplicada ao Pampa III, fornecida pela empresa israelense ELBIT.

De acordo com a publicação Jane’s, a intenção é desenvolver uma nova plataforma de vigilância que será apresentada em outubro. O protótipo e outros dois Pucarás receberão uma nova cápsula de vigilância com sensores giro-estabilizados desenvolvida pela empresa argentina FixView. O pod terá uma conexão sem fio que permitirá que seja controlado usando uma tela e um console instalado na parte traseira do cockpit.

O Pucará é uma aeronave de ataque projetada para operar em pistas de terra pequenas e não necessariamente preparadas. Sua principal missão é apoiar forças terrestres e especialmente missões de contrainsurgência. Seu armamento é composto de 4 metralhadoras de 7,62 mm, 2 canhões de 20 mm e 3 pontos fixos com capacidade de carregar uma combinação de bombas e foguetes.

Anúncios

7 COMENTÁRIOS

  1. Ficou menos detestável. Agradeçamos ao Sílvio Santos e seus produtos de beleza.

  2. Deveriam desistir disso logo e poupar recursos para demandas mais urgentes.

  3. A Argentina é o eterno ontem.

    Se vc não se livra do velho, não há espaço para o novo.

    É o eterno Perón, Evita, Malvinas…

    • Os argentinos pagaram caro por uma suposta "independência". O resultado foi uma aeronave ruim e para moderniza-la é necessário apoio estrangeiro.

    • No mercado de usados, existem vários King Air seminovos. Com três ou quatro aeronaves, a FAA teria uma excelente plataforma para a missão, em uma aeronave moderna, com uso militar, com milhares de aeronaves em operação, que já foi adaptada com sucesso para todo o tipo de missão e com desempenho em vôo melhor que esse jabuti do Pucara.

      Melhor ainda, compra um drone e fecha esse martelinho de ouro.

Comments are closed.