boeing-building-1
© Boeing, em caráter ilustrativo

A fabricante norte-americana de aeronaves Boeing eliminará cerca de 4 mil postos de trabalho em sua divisão de aviões comerciais em meados deste ano e mais cerca de 550 postos de trabalho em uma unidade que realiza testes de voo e de laboratório, disseram porta-vozes da empresa à Reuters.

A fabricante de aviões vai reduzir 1.600 posições na divisão de aviões comerciais através de pedidos de demissões voluntárias, enquanto o restante dos cortes deve ocorrer pelo não preenchimento de vagas abertas, disse o porta-voz Doug Alder.

“Embora não exista nenhuma meta de redução de empregos, quanto mais nós pudermos controlar os custos como um todo menos impacto haverá para o nível de emprego”, disse Alder.

Os cortes de empregos, que incluem centenas de postos executivos e de gestão, não serão feitos por meio de demissões involuntárias, disse Alder.

A Boeing também vai cortar cerca de 10 por cento dos cerca de 5.700 postos de trabalho em sua divisão que realiza testes de vôo e de laboratório, disse a porta-voz Sandra Angers à Reuters.

A Boeing tinha um total de 161.400 empregados em 31 de dezembro.

divider 1

FONTE: Reuters

EDIÇÃO: Cavok

Anúncios

4 COMENTÁRIOS

  1. Meu deus!
    161400 empregados é gente demais! Haja avião pra pagar essa conta!

    • Devem ter contabilizado todos os terceirizados e "Severinos" ao redor do globo kkkkkkkkkkkkkk

  2. Mas é isso mesmo…

    A Embraer que é muito menor que a Boeing tem 20.000 empregados… então não acho nada estranho ela ter 160 mil. Uns anos atrás, numa apresentação da Boeing, disseram que estavam com 120 mil (faz uns 10 anos).

    • Se a Boeing fosse estatal, passaria dos 300.000 "empregados"… enquanto certa república teria mais um cabide com a EMBRAER aos trancos e barrancos.

Comments are closed.