A Boeing está pensando em oferecer o F-15EX para Índia, em uma das compras de caça de longa data do país – um concurso no qual seu F/A-18E/F já está competindo.

A fabricante confirmou que solicitou autorização do governo dos EUA para oferecer o jato de combate bimotor para um requisito da Força Aérea Indiana para 110 caças.

“Enquanto aguardamos mais definições sobre os requisitos da Força Aérea Indiana, solicitamos uma autorização de venda para o F-15, para que possamos compartilhar todo o espectro de possíveis soluções em todo o nosso portfólio de caças, quando apropriado”, diz a empresa. “Continuamos a oferecer o F/A-18 Super Hornet para a Marinha Indiana e a Força Aérea Indiana, e nosso F-15 está experimentando um ressurgimento do interesse nos EUA e em todo o mundo”.

A Boeing estava respondendo a uma pergunta da FlightGlobal após uma reunião de 9 de fevereiro com Kelli Seybolt, vice-secretário da Força Aérea para assuntos internacionais, que revelou que a Boeing havia solicitado uma licença de exportação para a Índia para o F-15EX.

A licença permitirá à Boeing discutir o F-15EX com autoridades indianas, em conformidade com o Regulamento Internacional de Vendas de Armas dos EUA.

A decisão da Boeing ofereceria a mais recente variante EX do F-15 para Índia. Os aprimoramentos em relação às versões anteriores incluem um radar de matriz eletrônica digital ativa e carga útil aprimorada.

A entrada potencial do F-15 no concurso é a mais recente reviravolta em mais um exercício complicado de compras indiano. Após o colapso de sua aquisição de caças MMRCA (Medium Multi-Role Combat Aircraft) em 2015, a Índia reiniciou o requisito, inicialmente como uma aquisição de um tipo de motor único, que posteriormente foi ampliada para incluir aeronaves bimotores.

Os prováveis ??candidatos ao novo requisito mal definido já representam quem é quem na competição de aeronaves de combate. Estão incluídos o jatos monomotores Lockheed Martin F-16V – apelidado de F-21 para o concurso indiano – e Saab Gripen E/F, ao lado dos bimotores Dassault Rafale, Eurofighter Typhoon e Super Hornet. Também é provável que a Rússia ofereça o RAC MiG-35 e Sukhoi Su-35.

Além disso, há um requisito de 57 aeronaves separado para a Marinha Indiana, que a Boeing também está tratando com o F/A-18E/F.

Boeing F-15EX

Para a oferta da Força Aérea Indiana, os concorrentes se mostraram muito dispostos a oferecer uma ampla participação industrial na Índia, de acordo com o programa “Make in India” do primeiro-ministro Narendra Modi.

No show da Aero India em Bangalore em fevereiro de 2019, a Boeing propôs que, se o Super Hornet vencesse o acordo da força aérea, uma “fábrica futura” seria estabelecida para a produção local.

“Espera-se que o programa trabalhe com vários fornecedores indianos para desenvolver uma próspera base aeroespacial de defesa, o que poderia acelerar outros programas”, disse a empresa. “A instalação criará uma força de trabalho aeroespacial altamente treinada e de classe mundial”.

A Boeing não indicou se poderia ser oferecida uma instalação industrial semelhante para o F-15EX.

Boeing F-15EX

O F-15EX é a variante mais avançada dos jatos de combate Boeing F-15 Eagle/F-15E Strike Eagle até hoje. É um derivado da aeronave F-15SA atualmente em operação com a Real Força Aérea Saudita (RSAF).

As melhorias em relação às versões anteriores incluem o suporte de armas AMBER (Advanced Missile and Bomb Ejection Rack) para transportar até 22 mísseis ar-ar (AAMs), busca e rastreamento por infravermelho (IRST), aviônica avançada e guerra eletrônica (EW), radar AESA (matriz eletronicamente digitalizada ativa) e estrutura revisada com uma vida útil de 20.000 horas.

A aeronave F-15EX está sendo adquirida pela Força Aérea dos EUA. No orçamento divulgado em março de 2019, o Departamento de Defesa dos EUA solicitou US$ 1,1 bilhão para adquirir oito caças F-15EX para uma compra total planejada de 144 F-15EXs.


Fonte: Flightglobal

Anúncios

5 COMENTÁRIOS

  1. Pensando na produção em escala, que auxiliaria mesmo que pequena) na compra de mais Gripen pela FAB, óbvio que torço pra que ele ganhe, mas contra a "máquina industrial/política" americana, com ofertas de F-15EX pra FA indiana, e F/A-18E/F pra marinha, fica difícil, quase impossível, pros demais.