737 MAX da Lion Air - Boeing considerou redesenho do sistema MCAS antes dos acidentes com o 737 MAX, diz relatório do NTSB
Boeing 737 MAX da Lion Air.

Os engenheiros e os pilotos de teste da Boeing consideraram, antes de dois acidentes fatais do 737 MAX, se o sistema anti-estol deveria ser redesenhado depois de discutir como os dados defeituosos de um único sensor poderiam acioná-lo repetidamente, descobriram os investigadores da agência de segurança nos transporte dos EUA (NTSB).

O chamado sistema MCAS, que contava com um sensor, foi associado, em parte, as quedas dos jatos 737 MAX pilotados pela Lion Air e pela Ethiopian Airlines, que desencadearam um aterramento mundial e uma crise corporativa na maior fabricante de aviões do mundo.

O possível redesenho discutido durante o desenvolvimento do 737 MAX foi descartado, com base em parte no pressuposto de que os pilotos reagiriam a tempo a qualquer mau funcionamento, de acordo com um relatório do NTSB (National Transportation Safety Board) para investigadores indonésios.

Embora não faça parte formal da análise exigida, a equipe da Boeing discutiu o cenário de ativação repetida do MCAS devido a dados de Ângulo de Ataque erroneamente altos e considerou se era necessário um redesenho, disse o relatório do NTSB, citando uma apresentação de 2019 da Boeing para a agência.

Captura de Tela 2019 10 25 às 17.24.54 - Boeing considerou redesenho do sistema MCAS antes dos acidentes com o 737 MAX, diz relatório do NTSB“Como parte dessa discussão, eles discutiram os efeitos combinados da cabine de comando … mas determinaram que não era necessário redesenhar”, disse o NTSB sobre a discussão da Boeing, referindo-se a alertas que poderiam ser potencialmente perturbadores para os pilotos.

Mais tarde, em uma revisão após o acidente com o 737 MAX da Lion Air em outubro passado, que matou todas as 189 pessoas a bordo, a Boeing também descobriu que apresentar o cenário aos reguladores não o levaria a classificar o sistema anti-estol como um risco maior na época.

A Boeing redesenhou o sistema para confiar em mais de um sensor e ajudar a reduzir a carga de trabalho do piloto, na tentativa de devolver o modelo ao ar.

Os novos detalhes do design do sistema MCAS do NTSB estão incluídos em um relatório final das autoridades indonésias sobre o acidente da Lion Air. O NTSB tem apoiado a investigação liderada pela Indonésia.


Fonte: Reuters

Anúncios