A produção plurianual dos helicóptero AH-64E Apache economizará dinheiro de contribuintes dos EUA.

A Boeing e o governo dos Estados Unidos assinaram recentemente um contrato de US$ 3,4 bilhões por cinco anos, através do qual o Exército e a Arábia Saudita adquirirão a mais avançada versão do helicóptero de ataque Apache.

Este é o primeiro acordo de vários anos para a variante “E” do helicóptero Apache. O Exército receberá 244 Apaches remanufaturados (lotes 7-11), enquanto 24 novos irão para a Arábia Saudita, através de uma venda militar estrangeira (FMS).

“Este acordo é uma ótima notícia para nosso Exército, nossos soldados, os contribuintes americanos, nossos parceiros industriais e vários parceiros internacionais”, disse o Coronel do Exército dos EUA, Joseph Hoecherl, gerente do projeto Apache. “É um resultado direto da dedicação profissional e diligente esforços por parte do governo e das equipes da indústria para fornecer as capacidades tão necessárias do melhor helicóptero de ataque do mundo – o AH-64E Apache – a um preço justo e acessível que resulta em ano sobre ano de economias para o contribuinte. Nas mãos de nossos soldados, as tecnologias e capacidades do Apache são essenciais para as operações do Exército em todo o mundo”.

A Boeing constrói o Apache em Mesa, Arizona. As entregas do modelo “E” começaram em outubro de 2011. Sete clientes fora dos Estados Unidos encomendaram esta variante. Incluindo esta última versão, os EUA e 15 outros países confiaram no Apache durante as últimas três décadas.

“O Apache tem feito um impacto tremendo na defesa das nações que voaram com ele durante os últimos 37 anos”, disse Kim Smith, vice-presidente e gerente de programas de helicópteros de ataque da Boeing. “Nossa equipe entende a responsabilidade que temos de entregar a melhor aeronave a tempo e a um preço acessível a cada dia, e estamos empenhados em manter essa tradição bem estabelecida de excelência”.

O trabalho será realizado em Mesa, Arizona, com uma data de conclusão estimada de 30 de junho de 2022.

9 COMENTÁRIOS

    • Não entendi, se a FAB ja usa o MI-35, para que iria comprar o Apache?

      • era a escolha que deveria ter sido feita pela FAB amigo, ao invés do Mi-35. Por mais que eu goste do Sabre .. Mas o Apache penso que seja o TOP.

  1. Quase um quarentão, com cara de novinho malhado de academia. Quem não tinha o poster desse heli no quarto quando lançou.

  2. Se não estiver errado, o Exercito do Chile está muito interessado neste vetor já que os MD 500 estão sendo considerados insuficientes e diferente da Venezuela, Peru e Brasil, o Chile carece desta arma e tem sido visto indagando sobre os mesmos. Tal vez seja uma boa oportunidade de se pendurar no pedido americano.

Comments are closed.