A Boeing aparentemente está tentando retomar a produção do jato 737 MAX o mais rápido possível. A agência de notícias Reuters informou que a Boeing está mirando maio como data desejada. No entanto, a próprio fabricante não tem certeza se é o momento certo.

A Boeing não constrói um 737 MAX desde janeiro. Após dois acidentes, o jato mais vendido está aterrado em todo o mundo há mais de um ano, e a Boeing agora está ameaçada pela crise do COVID-19, uma nova adversidade em dimensões não previsíveis anteriormente. No entanto, a fabricante da aeronave ainda parece confiante de que o pesadelo do MAX poderá terminar em breve e a aeronave receberá novamente a aprovação da FAA no meio do ano.

Aparentemente, isso acompanha os preparativos para retomar a produção na fábrica de Renton: com referência a fontes industriais, a Reuters relata que a Boeing instruiu seus fornecedores a se prepararem para a entrega de novas peças do 737 em abril. Uma segunda fonte informou à Reuters que a Boeing planeja reiniciar a produção do MAX em maio.

Originalmente, era desejo do fabricante norte-americano iniciar a produção novamente em abril, informou a Reuters uma terceira fonte. A pandemia do coronavírus acabou com este projeto.

A Boeing não quer oficialmente se comprometer com uma data específica. Em geral, aumentar a produção leva tempo, como explica Greg Smith, CFO da Boeing, quando perguntado pela Reuters: “Será uma abordagem muito lenta, metódica e sistemática para pré-aquecer a linha de montagem e colocar os trabalhadores de volta à posição”.

“A principal prioridade da Boeing é desmontar o estoque de máquinas concluídas, mas ainda não entregues, antes de iniciar a produção novamente. Ambos devem andar de mãos dadas”, diz Smith. Isso, por sua vez, exigiria um novo registro prévio da aeronave. Atualmente, a Boeing possui cerca de 400 montantes do 737 MAX à espera do fim do aterramento. “Não queremos aumentar o estoque”, diz Smith.

Ao mesmo tempo, a Boeing também está combatendo ativamente o coronavírus. A demanda por novos jatos atualmente não está em espera no mundo todo, porque o tráfego aéreo está em grande parte parado.

A Boeing também é diretamente afetada pelo vírus: a fabricante registrou dezenas de pessoas infectadas pelo COVID-19 entre sua força de trabalho, especialmente no Planta principal Everett. Dizem que um trabalhador da Boeing morreu da doença. Como medida de precaução, o fabricante da aeronave anunciou, na segunda-feira, que suspenderia temporariamente a produção em todas as fábricas do estado de Washington. Além da Everett, isso também inclui a planta do 737 em Renton.

Anúncios

1 COMENTÁRIO

  1. Só quero saber se a China pagará a conta por toda essa catastrofe que criou? Os china e africanos tem que parar de comer tudo que exótico no mundo. Daqui a pouco um china come uma girafa e acaba com a humanidade.