Aeronaves 787 Dreamliners que estavam na unidade da Boeing da Carolina do Sul foram deslocadas para Seattle devido a passagem do furacão Florence.

A unidade da Boeing na Carolina do Sul e as operações na Base Conjunta de Charleston podem enfrentar sérios danos, já que o furacão Florence e a tempestade tropical Olivia se aproximam da costa sudeste dos EUA. Em resposta ao clima extremo, a Boeing fechou sua unidade na Carolina do Sul, evacuando pelo menos oito aeronaves 787 da fábrica e alertando seus funcionários para “tornar a segurança a prioridade”.

Alguns locais de fabricação da Boeing nos Estados Unidos serão afetados pelas fortes tempestades. Em particular, as operações na unidade da Carolina do Sul já foram suspensas. A fabricante também está suspendendo as operações de aviões de transporte militar C-17 na Base Conjunta de Charleston – a base da Força Aérea dos EUA na Carolina do Sul – desde o dia 12 de setembro de 2018.

Em uma mensagem aos funcionários, publicada no site da Boeing em 11 de setembro de 2018, a fabricante de aviões dos EUA pede que seus funcionários permaneçam em segurança e salienta que “sua segurança é nossa maior prioridade”. E assim é a segurança de seus 787s.

O site de notícias Bloomberg relata que o fabricante dos EUA já realizou alguma evacuação – de aeronaves, isto é. Com base nas informações do Flightradar24.com, parece que pelo menos oito aviões B787 foram transportados da Carolina do Sul para o Paine Field em Seattle no dia 11 de setembro de 2018. Dois B787-9s da Hainan Airlines e um B787-10 do United estavam entre os “evacuados”.

As companhias aéreas norte-americanas também estão se preparando para o clima extremo. A American ainda não cancelou nenhum voo, mas emitiu um alerta de viagem para mais de 30 aeroportos. A American, assim como a United e a Delta, estão permitindo que os clientes afetados remarquem sem taxas de mudança. A Southwest também permitiu a remarcação nas cidades afetadas pelo furacão Florence.

SEM COMENTÁRIOS