Dois caças CF-18 Hornet das Forças Armadas Canadenses. (Foto: CAF)

A Boeing pode expressar interesse em participar de uma concorrência de jatos de combate no Canadá, apesar de uma recente disputa comercial, mas ainda está estudando o caso, disse nesta segunda-feira um executivo sênior.

A Boeing tem até 9 de fevereiro para expressar interesse em fazer parte de uma oferta por 88 jatos avaliados entre 15 bilhões e 19 bilhões de dólares canadenses (12,1 bilhões a 15,3 bilhões de dólares).

Perguntado antes do Singapore Airshow se a fabricante de aeronaves norte-americana manifestaria interesse até sexta-feira, o vice-presidente de vendas na divisão de Defesa e Espacial da companhia, Gene Cunningham, disse a repórteres: “Essa é certamente uma possibilidade e informaremos assim que se desenrolar.”

A relação da Boeing com o Canadá azedou desde que a empresa norte-americana prestou queixa contra a atuação da fabricante canadense de aeronaves Bombardier no mercado norte-americano. Uma comissão de comércio dos EUA rejeitou a reclamação registrada pela Boeing em 26 de janeiro.

Cunningham ainda disse que a Boeing está em discussões na Ásia para possíveis vendas de defesa, incluindo helicópteros de ataque nas Filipinas e na Tailândia.

A Boeing também teve conversas preliminares com o Vietnã, após a suspensão de um embargo de armas norte-americano, em 2016.

“Estivemos no Vietnã diversas vezes para conversar, mas ainda estamos em uma fase de formulação”, afirmou Cunningham, acrescentando que a Boeing seguirá estritamente controles de exportação específicos que se aplicam a todos os produtos militares.


Fonte: Reuters

Anúncios

16 COMENTÁRIOS

  1. A Boeing está atirando para todos os lados. Daqui a pouco, vai oferecer armamentos ao Kim.

  2. A Boeing tem de se conformar que tanto o F-18 quanto o F-15 estão com os dias contados.
    Eventualmente, uma pequena encomenda aqui e outra ali podem uma sobrevida de alguns poucos meses.
    Mas, já eram.

  3. A Boeing tem que criar um novo avião de caça, outro ícone, outra lenda.

    • O problema é deixar de lado aviões como F-15 e F-18. Lógico, estes ainda voarão por muito tempo e ainda serão atualizados diversas vezes, mas com um certo saudosismo de minha parte, não tenho muito entusiasmo com as linhas futurísticas dos aviões que estão por vir.

    • A Boeing vai ter que demonstrar muita competência para fazer substitutos a altura destes ícones veneráveis da Mcdonnell Douglas, F-15 e F-18, e que não seja parecido com este Bob Esponja com asas: https://goo.gl/images/H3C3ST

Comments are closed.