A Boeing recebeu uma verba da Marinha dos EUA para desenvolver os tanques de combustíveis conformais do F/A-18 Super Hornet.

O Comando de Sistemas Aéreos da Marinha dos EUA (NAVAIR) concedeu à Boeing um contrato de mais de US$ 219 milhões para esforços não recorrentes associados à Proposta de Mudança de Engenharia (ECP) 6503 para o projeto, desenvolvimento, teste e integração dos tanques de combustível conformais (CFTs) no caça Super Hornet. O trabalho será concluído até julho de 2022.

A Marinha dos EUA disse na metade do ano passado que financiaria uma série de capacidades avançadas no Super Hornet (Advanced Super Hornet) através da atualização Block III. A Boeing anunciou os CFTs “montados no ombro” como uma das características do seu Roadmap International Super Hornet em 2011 e do seu conceito Advanced Super Hornet foi apresentado em 2013. Estes CFTs foram agora incorporados à atualização do Super Hornet Block 3 da Marinha dos EUA, que deve iniciar a entrada em operação no início dos anos 2020.

A Marinha quer os CFTs, o display no cockpit de grande área, de 10 x 19 polegadas, da Elbit; o novo computador com mais potente processador; o Distributed Targeting Processor-Networked (DTP-N) e a conectividade de banda alta ultra-rápida, denominada TTNT (Tactical Targeting Network Technology).

Esses recursos, combinados com outros itens já agendados, como aprimoramentos de radar, melhorias no conjunto defensivo da aeronave e um pod de busca e rastreamento por infravermelho (IRST), ajudarão a garantir que o Super Hornet permaneça um elemento confiável nas alas de combate por várias décadas.

A maior parte do trabalho deve ser realizada em El Segundo, Califórnia e em St. Louis, Missouri.

12 COMENTÁRIOS

  1. A aeronave é um trabalho a quatro mãos entre a forças armadas e o fabricante. A US Navy estabelece requisitos, avalia e dá feedback.

    Como uma força que nunca entrou em combate junto com uma empresa que nunca fabricou um grande caça, do dia pra noite vai aparecer com um super mega caça? Nunca abateu ninguém, nunca fez uma missão operacional.

    É sistema AA que não abate nem drone, mas é o melhor do mundo. É caça que não tem uma vitória ou atacou um alvo. É força aérea que nunca lutou, mas vai derrotar o planeta inteiro.

    É o mundo maravilhoso de Bob Chan.

    • Verdade amigo! Mas é assim mesmo, tem gente que vive nas suas fantasias movidas a fumo (estragado) ideológico….

    • Deixando de lado o sistema AA com medo de drone e a força aérea movida a vodka, o F18 tem dois abates confirmados, se não me engano contra migs 21.

    • Bob Chan e seus conterraneos deveriam agradecer aos EUA e homenagear os Tigres Voadores norte americanos que com seus Curtiss P-40 Tomahawk, defenderam os chinos durante a segunda guerra abatendo quase 300 aeronaves inimigas e perdendo apenas 12.

  2. Os CFTs têm a vantagem de diminuir o RCS do caça e também permitir o transporte de mais carga bélica. Sem dúvida será um aprimoramento e tanto no Super Hornet assim como a WAD. De igual forma também seria interessante os novos motores F-414 EPE, que acrescenta mais de 20% de empuxo podendo o motor alcançar 13.200 Kg de empuxo.

  3. Vida longa ao Super Super Hornet que vai ficar ainda mais mortal e eficaz!!!

  4. Na falta de coisa melhor para faturar, a Boeing vai juntando um caramingua'.

  5. Um caça não precisa necessariamente de vitórias em campo para ser bom. As forças de defesa e ataque de uma nação são criadas em primeiro plano para demonstrar força. Se conseguem essa dissuasão, já cumpriram seu papel. E duvidar da capacidade do F18, seja ele A ou E, é o mesmo que falar que o F22 não serve. Afinal, não tem histórico de combate…

Comments are closed.