A Boeing recebeu o ok para fabricar 36 caças F-15QA para Força Aérea do Emirado do Catar.

A Boeing recebeu um contrato de US$ 6,2 bilhões para fabricar 36 aeronaves F-15QA para a Força Aérea do Emirado do Catar, disse o Pentágono em comunicado na sexta-feira.

As novas aeronaves de caça serão fabricadas na unidade da Boeing em St. Louis, no Missouri, e devem ser entregues ao Catar no final de 2022. O contrato de compra foi assinado em junho deste ano.

“Este contrato prevê o requisito de vendas militares estrangeiras (FMS) para adquirir 36 novas aeronaves F-15QA para a Força Aérea do Emirado do Catar”, afirmou o comunicado.

O anúncio cobre metade dos 72 caças F-15 que o Catar deseja comprar dos EUA.

Em novembro de 2016, os Estados Unidos aprovaram a possível venda de até 72 aeronaves F-15QA para o Catar por US$ 21,1 bilhões. A Boeing é o contratante principal da venda de jatos de combate para a nação do Oriente Médio.

O ministro da Defesa do Catar, Khalid Al Attiyah, disse que o acordo enfatizou o “compromisso de longa data do estado do Catar em trabalhar em conjunto com nossos amigos e aliados nos Estados Unidos no avanço da nossa cooperação militar para uma colaboração estratégica mais estreita em nossa luta para combater o extremismo violento e promover paz e estabilidade na nossa região e além”.

Em novembro, um contrato separado entre os dois países foi assinado para um programa de apoio aos aviões de combate F-15QA do Qatar. Esse contrato tinha um valor estimado de US$ 1,1 bilhão e incluiu o desenvolvimento de segurança cibernética, proteção, suporte e outros serviços relacionados.

No início deste mês, o Catar também disse que vai comprar 24 jatos de combate Typhoon no valor de US$ 8 bilhões do Reino Unido, e mais 12 caças Rafales da França.

Em junho, a Arábia Saudita, o Bahrein, o Egito e os Emirados Árabes Unidos disseram que cortariam todos os laços diplomáticos e econômicos com a nação do Golfo.

Os países acusaram o Catar de ter laços com o “terrorismo”, fortalecendo suas relações com o Irã e se envolvendo em seus assuntos internos.

Anúncios

14 COMENTÁRIOS

  1. Pelo menos o Trump não tem aquela frescura do Obama de não vender F-15 na região para não desagradar os israelenses.

  2. Os pedidos começaram agora e vão receber os 36 caças antes dos nossos Gripens chegarem.

  3. Mano do céu, a Boeing e a Embraer se unem, Bolsonaro ganha em 2018, se aproxima de Trump e 2022 os primeiros F-15BR pousam em Canoas .. sonho meu …

  4. vão passar de 12 Mirage 2000 para 36 F-15, 36 Rafales e 24 Typhoons! Estão se preparando para guerra mesmo.

  5. Alguém diz pra mim que o Gripen NG é superior ao F-15 pra que eu possa me sentir melhor ! O F-35 eu entendo , muito caro etc etc etc agora porque nao podemos ter o F-15 ?

    • Custo operacional do F-15C, cerca de 24 mil dólares por hora de voo, custo estimado do Gripen NG, cerca de 4 mil dólares por hora de voo, e no momento, segundo o CMD Rossato, por falta de recursos, a FAB diminuiu de 200 mil horas para 120 mil horas por ano seus voos. Ou seja, nao temos grana para operar superjatos bimotores como o Eagle.

      • Ainda assim muito, mas muito, mais barato do que se manter quinhentos e não sei quantos ministros, deputados, senadores e outros milhares de parasitas relacionados que não trazem nada de beneficio ao país.
        .
        Ou seja, esse papo de custo de hora de voo é conversa fiada.
        Dá raiva ouvir essa falácia sendo repetida tantas e tantas vezes pelos blogs da vida.
        E ainda sonham com um "Brasil potência.."
        Dinheiro não é o problema, o problema é esse pensamento retrógrado, inclusive de nossa própria parte como entusiastas da aviação.
        Imagine então a corja politica que têm a caneta na mão..

Comments are closed.