O Boeing TX, novo jato de treinamento que foi oficialmente oferecido no programa T-X da USAF. (Foto: Boeing)

A aeronave de treinamento a jato da Boeing / Saab tornou-se a primeira competidora a ser formalmente apresentada como candidata à competição T-X da Força Aérea dos EUA (USAF), que pretende substituir a atual frota de jatos de treinamento Northrop T-38 Talon.

No último dia 30 de março, a Boeing oficialmente apresentou sua proposta, chamada de BTX para o programa de Sistemas Avançados de Treinamento de Pilotos Avançados (APT) para a USAF, um programa avaliado em US$ 16,4 bilhões. O jato Boeing / Saab T-X tem uma cauda dupla, uma grande cabine com excelente visibilidade, e LERX, itens que foram baseados a partir da família de caças F/A-18 Hornet. Além disso, o T-X da Boeing/Saab possui um único motor General Electric F404 também usado no Hornet e no Gripen.

A Boeing disse que o design e desempenho da aeronave com cauda dupla proporcionou um controle excelente e uma estabilidade muito boa para tarefas de reabastecimento em voo. Darryl Davis, presidente da Boeing Phantom Works, disse que o avião foi projetado para atender todos os requisitos do programa e notou que ele vai oferecer um alto ângulo de ataque (AOA) e alto desempenho em aceleração.

A Boeing também observou que o desenho da cabine oferece uma localização ideal para o instrutor com uma boa visibilidade, tanto para instrução de voo como formação avançada em combate aéreo visual. O Boeing / Saab usou um cockpit moderno, semelhante à de um caça, com uma tela reconfigurável de área grande (LDA, Large Area Display), que imita as telas encontradas no F-22 e F-35 e também no novo Gripen E. O Boeing TX também é compatível com óculos de visão noturna.

O Boeing / Saab TX tem uma capacidade de reabastecimento em voo e tem um ponto fixo central para transporte de equipamentos relacionados.

Nas próximas semanas, as outras concorrentes devem apresentar suas propostas oficiais no programa T-X da USAF. A Lockheed Martin e a Korean Aerospace Industries (KAI) com o T-50A (um derivado do T-50 Golden Eagle) e a Leonardo DRS com o T-100 (um derivado do M-346 Master). Uma equipe composta pela Sierra Nevada Corporation e a Turkish Aerospace Industries (TAI) também está desenvolvendo um jato totalmente novo, enquanto a empresa norte-americana Stavatti diz que vai oferecer o seu Javelin.

O primeiro voo da aeronave BTX foi conduzido nas instalações da Boeing em St. Louis, Missouri, no dia 20 de dezembro de 2016. A USAF pretende selecionar o vencedor ainda em 2017, para poder receber as primeiras unidades em 2023 ou 2024.

Anúncios

14 COMENTÁRIOS

  1. Uma versão de ataque dessa aeronave serviria como um complemento para o Gripen E?

    • acho difícil, já que pela reportagem, ela só possui um único ponto de suporte de armas….para conseguir pelo menos mais dois seria necessário reprojetar a asa, já que ela parece ter sido projetada e construída pra não levar nada pendurado

    • O Futuro pede aeronaves multifuncionais. O tempo dos aviões dedicados já passou.

      • Eu acredito nos ciclos , sim , quando todos estiverem indo de generalistas , alguem vai perceber que um especialista serah mais barato e mais eficiente para neutralizar os generalistas , podendo ateh ser drones caçadores e , ai segue a historia ,ciclos (torço por isto ) !

  2. Esse treinador da Boeing deve ser bem competitivo e parece bem acertado. Porém, a Boeing e Saab parceiras deve ser um Mandrake gigante.

    • Boa notícia… agora queria saber como é que está essa parceria.

      []'s

  3. Gosto deste jactinho, mas o M-346/T-100, ao meu ver, já é um treinador maduro. Já larga em vantagem.
    Acredito que o T-X vencedor será aquele que melhor formar as tripulações nas qualidades de voo do F-35.

  4. Giordani, continuo achando que o T-50 seria o melhor jato para atender a USAF.
    É um veículo robusto, já maduro testado e provado.
    A briga é boa e com certeza daí sairá um avião que deverá dominar o mercado de treinadores por muito tempo.

  5. A meu ver tivesse a Boeing projetado o treinador sozinha, jah teria ganho, seria um diferencial que penderia muito a favor dela, não o sendo alem de não oferecer nada significativamente melhor, ainda disputa contra aviões muito mais maduros. Nessa competição entre Boeing/Lockheed, aposto minhas fichas no T-50… No mais espero que a SNC surpreenda.

    PS.: alguem sabe me dizer quais as chances do javelin?

  6. Creio que o DNA Boeing dará muita vantagem a esse pequeno pássaro.

  7. Sabem a ironia nisto?! O BTX da Boeing e SAAB já voou e nem contrato assinado tem, enquanto isto o Gripen E/F……… mal deu um passeio pela pista de decolagem. Detalhe, selecionado desde 2013.

  8. Lindo ele, bela navinha. Mas to doido pra ver o projeto da Northrop ser o escolhido. Sou fã demais dessa empresa.

Comments are closed.