Documento da Boeing teria informado que o 737 MAX 8 não seria adequado para operações em aeroportos “altos” e “quentes”.

A fabricante Boeing teria revelado um documento legal que informava que os 737 MAX 8s não são adequados para os aeroportos em locais quentes ou altos.

O Aeroporto Internacional de Addis Ababa está localizado a 7.657 pés do nível do mar e se enquadra nessa categoria. Aeroportos que estão localizados geograficamente em elevadas altitudes exigem pistas mais longas e maiores velocidades de decolagem.

O ar é rarefeito em altas altitudes e a aeronave deve correr mais e mais rápido na pista para obter a força de sustentação necessária nas asas.

Um porta-voz da Boeing disse que o aeroporto de Addis Ababa não é um fator no acidente do voo ET 302, porque tem uma pista longa e pode operar com aviões de grande porte. Mas poderia ter exacerbado a situação porque o desempenho de um avião se degrada em altitudes maiores, disse um piloto do 737 que voa para aeroportos de grande altitude como Denver e concordou em falar sobre o assunto.

Dados divulgados na semana passada do voo da Ethiopian Airlines indicaram que os pilotos não cortaram a velocidade do avião 737 MAX 8 após a decolagem quando deveriam. O relatório preliminar sobre o desastre disse que o sistema anti-stall do avião jogou o nariz do avião para baixo menos de dois minutos do voo por causa de um sensor com defeito. Os pilotos se esforçaram para controlar o avião enquanto ele se movia em direção ao solo a 575 milhas por hora.

Segundo a agência de notícias Bloomberg, a limitação do Boeing 737 MAX foi mencionada pela primeira vez pela Boeing durante o processo na Comissão de Comércio Internacional dos EUA em 2017. A Boeing havia culpado a fabricante de aviões canadense Bombardier por receber subsídios injustos do governo depois de perder um grande pedido da Delta Air Lines.

Nesta avaliação, a Boeing disse que o 737 MAX 7 poderia atender nos aeroportos em altas altitudes e temperaturas quentes graças ao seu tamanho menor, onde o MAX 8, 9 e 10 não podem.

Os documentos legais apresentados à comissão citaram pelo menos 16 aeroportos nos Estados Unidos como “altos e quentes” e, portanto, não são adequados para as operações do MAX 8, 9 e 10. Essas instalações não foram tornadas públicas no julgamento, mas, quando perguntadas durante uma audiência da comissão de comércio, uma testemunha especializada da Boeing respondeu que o aeroporto de Denver se enquadrava nessa categoria.

O consultor de aviação Bob Mann disse que as companhias aéreas normalmente usam uma versão menor e anterior do jato da Boeing, o 737-700, em altitudes mais elevadas, porque esse avião geralmente possui uma “melhor taxa de subida” do que o MAX 8.

Denver está mais de 2.000 pés abaixo do aeroporto de Addis Ababa e tem cinco pistas mais longas que a do aeroporto etíope.

O Aeroporto de Jacarta, onde um Boeing 737 MAX 8 da Lion Air caiu no ano passado, é considerado um aeroporto quente. Aeroportos em locais quentes produzem densidades de ar semelhantes às altas, que também exigem pistas mais longas e velocidades de decolagem mais rápidas.

O desempenho de todos os aviões se deteriora em alta temperatura ou elevação, e todos os pilotos precisam ter conhecimento disso antes de decolar, disse Steve Wallace, ex-diretor da agência de investigação de acidentes da Administração Federal de Aviação (FAA).

11 COMENTÁRIOS

  1. Sendo um bom avião ou não, o 737 Max ganhou uma fama péssima e a Boeing perdeu credibilidade!
    .
    Acredito que os problemas no software serão solucionados porém você como dono de companhia aérea compraria um 737 Max depois disso?

    • Seguindo esse seu raciocínio, você acha que um dono de companhia aérea compraria o Airbus A-320 depois que caiu no voo de demonstração??? Outra coisa, a familia Boeing 737 tem números absurdos de confiabilidade. Por isso esta a mais de 40 anos sendo comercializada. Certo que alguns clientes vão cancelar seus pedidos da Boeing, mas o número vai ser tão insignificante que não alterara nada.

      • é mas confiabilidade da família não é hereditário , são aviões,mudou modelo ,mudaram várias caracteristicas, a tal confiabilidade subiu no telhado.

  2. O que deveria ser analisado são os processos de desenvolvimento e validação desta aeronave. A Boeing cortou algum caminho para alcançar os A320NEO. E deu nisso ai, os dias atuais não permitem tais enganos, e acho que a Boeing deve pagar caro por esses short cuts. Inclusive já devem estar pensando em aposentar o MAX.

    • Realmente a Boeing deve estar pensando em aposentar o 737 Max. A carteira total de pedidos firmes do 737 passa de 4.300 unidades. Só a Gol tem pedido de 135 aeronaves entre o Max 8 e Max 10. Acho que a Boeing vai cancelar esses pedidos e pedir para que os clientes comprem da concorrente.

      • em nenhuma resposta vc se ateve as questões levantadas , partiu pro ataque em defesa da empresa.
        quanto empenho em defender a boeing,clubinho de funcionários aqui ?se é bom é bom , se tem defeito tem ,pode ser o fabricante que for.

  3. Boeing se ferrou e pode legar a Embraer junto. agora tenho receio que os jato regionais desta sejam sujados pela má fama do MAX8

    • Não se preocupe não que os jatos da Embraer são bem limpinhos.

    • arrisca de sofrer no médio prazo contaminação de filosofia,pular etapas,cortes constantes de pessoal pra alegrar acionistas …e por ai vai .
      as empresas mudam , o que não quer dizer necessariamente que evoluem.

Comments are closed.