O Boeing B-17F “Memphis Belle” após a abertura da exposição no Museu Nacional da Força Aérea dos EUA, junto a Base Aérea de Wright-Patterson, Ohio. (Foto: National Air Force Museum)

Um dos símbolos mais reconhecidos da Segunda Guerra Mundial, o bombardeiro B-17F “Memphis Belle” (Boeing B-17F-10-BO Flying Fortress, S/N 41-24485) foi chamado para o serviço exatamente 75 anos depois que sua tripulação terminou sua última missão na guerra contra a Alemanha nazista no dia 17 de maio de 1943. Os planos exigiram que a aeronave fosse colocada em exposição pública permanente na Galeria da Segunda Guerra Mundial do Museu Nacional da Força Aérea dos Estados Unidos, junto a Base Aérea de Wright-Patterson, Ohio, desde o dia 17 de maio de 2018.

A nova exposição em torno do “Memphis Belle”, que não estava exposto publicamente desde 2002, e a exposição ao redor, inclui exibições interativas, filmagens de arquivo raras e muitos artefatos pessoais que nunca foram vistos pelos visitantes do museu.

O famoso B-17F Memphis Belle e sua tripulação se tornaram símbolos emblemáticos das tripulações de bombardeiros pesados e do pessoal de apoio que ajudou a derrotar a Alemanha nazista. O “Memphis Belle” foi o primeiro bombardeiro pesado das Forças Aéreas do Exército dos EUA (USAAF) a retornar aos Estados Unidos após completar 25 missões de combate na Europa durante a Segunda Guerra Mundial. A USAAF escolheu a aeronave para uma turnê de bônus de guerra altamente divulgada de junho a agosto de 1943, e sua tripulação foi celebrada como heróis nacionais. A aeronave e a tripulação também foram objeto de dois filmes de Hollywood amplamente vistos (um em 1944 e outro em 1990).

Um evento comemorativo de três dias (de 17 a 19 de maio de 2018) incluiu três fortalezas voadoras B-17 Flying Fortresses, seis P-51 Mustangs e três aeronaves de treinamento da era da Segunda Guerra Mundial em exibição estática; uma cerimônia de inauguração da área do Memphis Belle juntamente com uma nova exposição de bombardeiros estratégicos, com mais de 160 pessoas atuando como militares da Segunda Guerra Mundial; cerca de 30 veículos militares e civis antigos; um concerto de big band; assinaturas de livros; e ambos os filmes de Memphis Belle apresentados por oradores convidados no ‘Air Force Museum Theatre’. As atividades ocorreram dentro e fora do Museu Nacional da Força Aérea dos EUA, localizado em Dayton, Ohio.

Para o voo histórico realizado no dia 16 de maio, sobre o museu durante a abertura, o B-17 “Movie Memphis Belle” se juntou ao B-17G “Yankee Lady” e ao B-17G “Aluminum Overcast”, juntamente com seis P-51 Mustangs e três aeronaves de treinamento da era da Segunda Guerra Mundial nos céus de Dayton como parte dos eventos em torno da inauguração da nova exposição de Memphis Belle original no Museu Nacional da Força Aérea dos EUA.

A tripulação do B-17F “Memphis Belle” no dia 17 de maio de 1943, quando a aeronave completava sua 25ª missão durante a Segunda Guerra Mundial.
O B-17G “Movie Memphis Belle” e a equipe do filme de 1990.

Um réplica do bombardeiro, chamado “Movie Memphis Belle”, de propriedade da Military Aircraft Restoration Corporation em Anaheim, Califórnia, e operado pelo National Warplane Museum em Geneseo, New York, o Memphis Belle do filme foi construído em 1944 como um B-17G e foi amplamente reconstruído para representar uma aeronave B-17F no filme de 1990 “Memphis Belle.”

“O Memphis Belle é parte integrante da história da Força Aérea dos EUA e uma das aeronaves mais emblemáticas da história americana, e continua a ser reconhecida 75 anos depois por todo o mundo”, disse o Diretor do Museu, tenente-general (aposentado) Jack Hudson. “Para nossos visitantes mais jovens e para aqueles que não estão tão familiarizados com a história do Memphis Belle, esta nova exposição e os eventos ao redor o levarão de volta aos anos 40, e oferece uma tremenda oportunidade para aprender mais sobre o serviço e os sacrifícios que foram feitos durante a Segunda Guerra Mundial”.

Anúncios

1 COMENTÁRIO

  1. Bela matéria. Assisti os 2 filmes. Sempre penso se a tripulação não temeu por um acidente nessa turnê pelos EUA ( lembro que os combatentes tinham muitas superstições ), seria uma grande ironia sobreviver a todas essas perigosas missões e cair logo em casa.

Comments are closed.