O bombardeiro B-2 após pouso de emergência e aeroporto civil no Colorado. (Foto: Jerilee Benett / The Gazette)

Um bombardeiro stealth B-2 Spirit, da 509ª Ala de Bombardeiros da Base da Força Aérea de Whiteman, Missouri, teve que pousar em um aeroporto civil-militar público de propriedade da cidade de Colorado Springs, no Colorado, após uma emergência durante o voo na manhã de terça-feira (23).

O B-2 estava a caminho de Whiteman, no Missouri, no momento do incidente, disse a base em um comunicado divulgado no Facebook. Ambos os pilotos não ficaram feridos, disse a base de Whiteman, e a causa da emergência está sob investigação. O pessoal da base de Whiteman não disse qual problema o bombardeiro enfrentou.

“Nossos aviadores são extremamente habilidosos”, disse o General Brigadeiro John Nichols, comandante da 509ª Ala. “Eles são treinados para lidar com uma ampla variedade de emergências em voo em uma das aeronaves mais avançadas do mundo e demonstraram perfeitamente isso hoje.”

Uma estação local de notícias do Colorado, que relatou a emergência do B-2, disse que ele pousou no aeroporto de Colorado Springs. A Base Aérea de Peterson fica localizada no setor norte do aeroporto.

A Força Aérea dos EUA teve vários pousos de emergência nos últimos meses, incluindo em um período de uma semana no início de junho, quando três aeronaves – um KC-135 Stratotanker, um KC-10 Extender e um CV-22 Osprey – tiveram que pousar inesperadamente em incidentes separados.

Um F-22 Raptor também fez um pouso de emergência na Base Conjunta Elmendorf-Richardson no Alasca no início deste mês devido a um problema no trem de pouso, que deixou o caça apoiado no lado esquerdo.

E em um incidente proeminente em maio, um B-1 da Base Aérea de Dyess aterrissou com segurança no Aeroporto Internacional de Midland, no Texas, após um incêndio potencialmente catastrófico ter ocorrido durante o voo. A tripulação tentou ejetar, mas um assento de ejeção avariado levou o comandante do bombardeiro a decidir abortar a sequência de ejeção e tentar aterrissar.


Fonte: Air Force Times

Anúncios

12 COMENTÁRIOS

  1. Em uma Força Aérea com mais de 13.000 aviões e centenas de voos diários, é natural que acidentes e incidentes aconteçam.
    Agora imaginem se essa máquina tem uma pane próximo a Rússia, Irã, Coréia do Norte.. E seja obrigado a pousar em um desse países heim…

    • Jamais

      O piloto vai colocar a o bico do avião em direção ao solo e se ejetar
      Fora que o B2 é um bombardeio e não um avião espião, não existe a necessidade de sobrevoar a Rússia ao menos que uma guerra ocorra.

    • Caro Bruno_R,

      Tenha certeza de que esse bichinho não "pousaria" intacto: em caso de problema técnico sobre território crítico, o que não acho muito possível (as rotas são altamente estudadas, vide os exercícios perto de Guam, com armamento real ou "de manejo"), haveriam ejeções — e ele se espatifaria no solo/mar, esfarelando algumas centenas de milhões de dólares (não se esqueça da desvalorização natural do bem, devido ao uso… 😀 ).

  2. Bom quando salva as vidas e se salvar a aeronave também foi um sucesso…em tempos de paz nada de mais ,mas em tempos hostis em território alheio já era…

  3. Se fosse em um país inimigo a aeronave seria apontada para o solo e o pilo ejetaria provocando a destruição da aeronave. Mas isso seria em último caso

  4. Manos…tá soltando "pechinha"! Nooooossa, lá também cai!
    Cadê o especialista?
    CM

    • Já que não entende os argumentos de aviação.

      Comprei três Lenovo Vibe B, um estava quebrado mesmo novo, peguei fila de duas horas e demorou um mês pra assistência técnica consertar.

      Um em cada 1 milhão de iPhones X quebra, A Apple troca o IPhone na hora por um novo. Sem fila e sem stress.

      Na sua cabeça, o Iphone X é igual ao Lenovo Vibe B.

      Se vc não entendeu, posso dar outra explicação.

  5. Sem problemas, temos que passar bem longe da ideia de duvidar do nível da manutenção da USAF, são apenas casos isolados e puro azar.

    • Fato! Assim como ocorre em outras forças, mas os "especialistas " sempre vem com a mesma. A "estória "…made in China, Rússia, Índia" é tudo uma bos. …"
      Atrito acontece pelo uso e em maior número em decorrencia do tamanho da força.
      Eu só tiro um sarro da cara dos" Otávio" que caem na minha provocação. Tipo o especialista lá em cima.

      CM

      • Errado. Se vc acha que um B2 é a mesma coisa que um H6.

        A qualidade das forças é muito diferente. Quem não tem argumentos tem que apelar.

  6. USAF > pouso de emergência por pane elétrico. Cada uma custa uma fabula
    “Um bombardeiro furtivo B-2 da Força Aérea dos Estados Unidos aterrissou com segurança no aeroporto de Colorado Springs na manhã de terça-feira, após sofrer uma emergência durante o vôo, informou à CNN um porta-voz da 21a Ala Espacial da Base da Força Aérea de Peterson.”
    “A aeronave de US $ 1,2 bilhão estava a caminho da Base da Força Aérea Whiteman, no Missouri. Dois pilotos estavam a bordo e ambos os aviadores estavam ilesos, e a causa exata da emergência durante o vôo está sob investigação, segundo a Força Aérea.”

Comments are closed.