Canberra_T.4_MOD_45144928Desde o fim da Segunda Guerra Mundial, os bombardeiros passaram por rápida evolução: do tipo propulsionado por motor a pistão, que lançava bombas em queda livre, até o modelo supersônico de alto desempenho, equipado com armas nucleares.

Em 1945, o projetista W. E. W. Petter foi contratado pela English Electric. A empresa, que construíra milhares de bombardeiros e os primeiros caças a jato, queria se capacitar para o projeto de suas próprias aeronaves. Um dos resultados do trabalho de Petter foi o English Electric Canberra, que voou em 13 de maio de 1949, surpreendendo os especialistas por sua agilidade, mesmo levando uma respeitável carga de bombas: 2.722 kg.

Entrando em serviço no Comando de Bombardeiros da RAF (Royal Air Force, Real Força Aérea, britânica), em 1951, o Canberra mostrou-se superior a muitos caças interceptadores em aspectos como altitude máxima, velocidade e maneabilidade. O modelo B(I).Mk 8, lançado em 1954, apresentava novo nariz e o navegador/bombardeador ficava na frente, indo o piloto sob uma cobertura transparente igual à dos caças. Os modelos anteriores tinham três assentos, com dois tripulantes em assentos ejetáveis atrás do piloto.

Canberra_prototipoO Canberra B.Mk 1, equipado com radar, não chegou a entrar em produção. A primeira versão produzida foi o B.Mk 2. O Canberra B.Mk 6 contou com motores mais potentes e suportes sob as asas para duas bombas adicionais de 454 kg.

Como algumas outras versões, tinha um depósito extra de combustível na borda de ataque da parte exterior das asas. Todos os modelos eram equipados com um posto de mira visual no nariz. Os modelos táticos contavam eventualmente com um conjunto removível de quatro canhões de 20 mm, levando munição para cerca de 2.000 tiros.

Foram fabricados pela English Electric aproximadamente 1.000 bombardeiros Canberra.


Características

Tipo: Bombardeiro leve de três lugares.

Propulsão: Dois motores turbojatos Rolls-Royce Avon Mk 109 com 3.402 kg de empuxo.

Desempenho: Velocidade máxima, 973 km/h; teto de serviço, 14.630 m; raio de ação, 1.779 km.

Pesos: Vazio, 10.099 kg; máximo, 24.041 kg.

Dimensões: Envergadura, 19,51 m; comprimento, 19,96 m; altura, 4,75 m; área alar, 89,19 m².

Armamento: Carga interna de bombas de 2.722 kg e suportes para duas bombas de 454 kg; mísseis AS.30 ou outras provisões.


FONTE: Máquinas de Guerra


Próximo: Bombardeiros do pós-guerra: Avro Lincoln

Anterior: Bombardeiros do pós-guerra: Boeing B-52 Stratofortress

Anúncios

4 COMENTÁRIOS

  1. Sempre achei as asas do Canberra muito bonitas! Pensa naquele meme do careca passando as mãos no pescoço…

  2. estou adorando essa série de bombardeiros 😀

    o Handley Page Victor terá sua vez ?

    Sds.

    • Com certeza!
      Essa diminuta série tem por objetivo mostrar o quão belo era o início da Era do jato, aonde um refinamento tecnológico logo se tornava obsoleto, aonde soluções aerodinâmicas eram descobertas a cada dia e aonde se era permitido pensar, sem essa imposição stealth, que deixou tudo com forma de pirâmide e monocromática…

  3. Em uma Repibliqueta das Bananas, que é vizinha da Argentina, mesmo com governo militar, só seria possível interceptar os Canberra argentinos com a entrada em serviço dos Mirage III, nos anos 70. Esse nosso atraso não vem de hoje.

Comments are closed.