Convair XB-58 HustlerDesde o fim da Segunda Guerra Mundial, os bombardeiros passaram por rápida evolução: do tipo propulsionado por motor a pistão, que lançava bombas em queda livre, até o modelo supersônico de alto desempenho, equipado com armas nucleares.

O projeto e desenvolvimento do primeiro bombardeiro supersônico do mundo — o Convair B-58 Hustler — foi um dos maiores desafios na história da aviação. O protótipo desse aparelho voou em novembro de 1956, entrando em operação três anos depois.

A Convair produziu 86 bombardeiros B-58A, o modelo padrão. Dezessete modelos YB-58A, de pré-produção, foram modificados para aeronaves de reconhecimento tipo RB-58A. Outros oito se destinaram a treinamento, com a designação TB-58A.

Na versão comum, o piloto e o navegador/bombardeador/operador de sistemas defensivos sentavam-se numa cabina em tandem, equipada com dispositivo de ejeção automática, para caso de emergência.

B-58 #1O B-58 tinha configuração em delta, sem cauda, e asa extremamente fina. Não contava com qualquer compartimento de bombas interno. Seu armamento era carregado num gigantesco casulo sob a linha central da aeronave, o TPC (two-component pod, casulo de dois componentes), que continha, também, combustível. Após o consumo do combustível, o casulo externo era descartado. O casulo menor carregava os equipamentos bélicos.

Essas aeronaves eram barulhentas e exigiam muito da tripulação, devido à enorme quantidade de aparelhos de manejo complexo. Todavia, eram máquinas com desempenho fantástico. A primeira esquadrilha do Comando Aéreo Estratégico, a 43.ª, estabeleceu com elas dezenove recordes mundiais, entre os quais voos supersônicos para Londres, Tóquio e Paris, bem como a realização de um círculo perfeito de 1.609 km que foi percorrido em menos de 1 hora — um desempenho inédito e até então considerado ficção científica. Essa proeza valeu um troféu, em disputa desde 1909.

Em 1970, a 43.ª e a 305.ª Esquadrilha de Grissom foram desativadas, devido a seu altíssimo custo operacional.


Características

Tipo: Bombardeiro médio supersônico.

Propulsão: Quatro turbojatos General Electric J79-GE-5A/5B ou 5C com pós-queimadores, com um empuxo de 7.076 kg cada.

Desempenho: Velocidade máxima a grande altitude, 2.290 km/h; teto de serviço, 18.290 m; alcance, 8.248 km.

Pesos: Vazio, 25.202 kg; máximo, 73.937 kg.

Dimensões: Envergadura, 17,3 m; comprimento, 29,5 m; altura, 9,58 m; área alar, 143,3 m².

Armamento: Um canhão de seis canos de 20 mm na cauda; casulos variados para transporte de bombas ou outras cargas para missões específicas.


FONTE: Máquinas de Guerra


Próximo: Bombardeiros do pós-guerra: Comando Aéreo Estratégico

Anterior: Bombardeiros do pós-guerra: Martin B-57 Canberra

 

Anúncios

18 COMENTÁRIOS

  1. Mas o B-58 foi um abuso dos EUA…. como era belo, e rápido!

    Muito bom o artigo, Tchê…. um belo tributo a uma grande máquina.

    • O Hustler é uma máquina "esquecida" por muitos. Tem vivente que fala com propriedade sobre um certo avião, mas desconhecem, em absoluto, a rica história da conquista do reino supersônico, na qual o B-58 é um dos principais protagonistas.

      • Verdade, Giordani. Por oportuno, fica uma sugestão para artigos: os aviões da família X (x-planes). Ainda se fala do Bell X-1, mas os demais praticamente caíram no esquecimento, exceção feita, talvez, ao X-15.

  2. Claro que seu custo de operação não baixo.
    A cada voo descartava um F-5.

    Na terceira foto, o que tem atrás do B-58?
    Não consegui indentificar.

    • Caríssimo! Tanto que o SAC planejara ter uns trocentos, mas acabou com um punhado. Essa ave era tão barulhenta que sua base era no meio do deserto, o mais longe possível das cidades. Diz-se que a 40 km de distância era possível ouvir um B-58 decolando com pós combustão total! Devia ser um espetáculo ver aqueles quatro maçaricos flamejando!

  3. Bacana a matéria.

    Uma inovação incrível foi o sistema de ejeção, com uma capsula de fuga para cada tripulante.

Comments are closed.