Martin XB-51Os EUA tornaram-se líderes na construção de bombardeiros, a partir do pós-guerra, com o desenvolvimento de muitos projetos nas principais fábricas. Os modelos que entraram em produção formaram a maior e mais eficiente força de bombardeiros de todos os tempos.

Depois da Alemanha nazista, o país que mais incrementou o ritmo da fabricação de bombardeiros a jato foram os Estados Unidos. Primeiro surgiu o Douglas XB-43, uma versão a jato do eficiente XB-42. Logo apareceram três protótipos com aerodinâmica tradicional, mas com novos turbojatos fixados sob as asas: o North American XB-45, o Convair XB-46 e o Martin XB-48. Desenvolveu-se somente o projeto do B-45, que recebeu o nome de “Tornado”.

O Martin XB-51, que voou pela primeira vez em outubro de 1949, apresentava uma pequena asa enflechada e três turbojatos: um montado na cauda e os outros nas laterais da fuselagem, na frente dos bordos de ataque. A Força Aérea americana optou pelo projeto britânico Canberra.
O Martin XB-51, que voou pela primeira vez em outubro de 1949, apresentava uma pequena asa enflechada e três turbojatos: um montado na cauda e os outros nas laterais da fuselagem, na frente dos bordos de ataque. A Força Aérea americana optou pelo projeto britânico Canberra.

O mais importante dos primeiros bombardeiros a jato da USAF, contudo, foi o Boeing B-47. Ele teve seu lançamento adiado enquanto se estudavam os resultados de pesquisas alemãs sobre asas enflechadas; mesmo assim, seu protótipo voou no final de 1947, anos antes de qualquer similar.

Propulsionado por seis jatos fixados embaixo de sua fina asa enflechada, o B-47 transportava grande quantidade de combustível em sua fuselagem aerodinâmica e, ainda, uma carga de bombas de mais de 9.000 kg. Levava três tripulantes, dois deles acomodados numa cabina em tandem, semelhante à de um caça. Na cauda ficavam duas metralhadoras, que eram apontadas por um sistema de controle remoto acoplado a um radar.

XB-46
O Convair XB-46 foi projetado juntamente com o North America B-45 e o Martin XB-48. Os três eram aviões convencionais com turbojatos axiais montados sob as asas. O XB-46 tinha quatro motores General Electric TG-180. Porém, somente o B-45 prestou serviços à USAF.
Northrop XB-49 (S/N 42-102367) (a.k.a YB-49 No. 1). (U.S. Air Force photo)
Projeto americano interessante, o Northrop YB-49, desenvolvido a partir do modelo XV-35, dispunha de oito motores. Apesar dos bons resultados quanto a velocidade e alcance, graças à aerodinâmica da “asa voadora”, o projeto foi abandonado.

O principal bombardeiro dos EUA, o B-52, foi planejado após a Segunda Guerra Mundial. Possuía oito jatos em quatro casulos sob as asas. Seu tamanho imenso e sua grande potência de decolagem fizeram dele uma verdadeira lenda da aviação.

Os primeiros modelos levavam uma tripulação de cinco homens num compartimento localizado no nariz e um atirador na cauda. As versões posteriores trouxeram o atirador para a frente, com a instalação de pontaria automática para as quatro metralhadoras de 12,7 mm e o canhão Gatling de 20 mm dispostos na cauda. O compartimento de armas comportava uma carga de 12.147 kg de bombas. Na Guerra do Vietnã, vários B-52 foram adaptados para carregar até 31.752 kg de explosivos convencionais.


FONTE: Máquinas de Guerra


Próximo: Bombardeiros do pós-guerra: Martin B-57 Canberra

Anterior: Bombardeiros do pós-guerra: Boeing B-47 Stratojet

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

  1. Vai ter um post sobre o xB-60? ele participou da concorrencia que o b-52 ganhou se nao me engano

  2. Bela série de matérias, Giordani.

    Parabéns.

    Impressionante como eram as coisas naquela época… Tudo era novidade. Tudo era experimentação. Tudo muito… Flash Gordon… 🙂

Comments are closed.